História

Era isso que as crianças aprendiam no século 13

0

As reformas na educação escolar vem acontecendo desde os primórdios do ensino. Para o aperfeiçoamento e concordância daquilo que é necessário aprender/saber para sobreviver/viver em determinada sociedade de determinado período da história da humanidade, seja no passado, presente ou futuro, mudanças sempre irão acontecer.

Um exemplo próximo a nós, e os mais “velhinhos” vão se lembrar bem, é a disciplina de OSPB (Organização Social e Política do Brasil), que foi ministrada no (atual) ensino médio da educação básica brasileira, entre os anos de 1962 e 1993.

Precisamos lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar e entreter. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem.

03

Mas, e se pensarmos em séculos atrás, como o século 13. Foram encontrados alguns trabalhos, acredita-se que, escolares de um menino desse período. Seu nome era Onfim, um menino comum da época, que viveu em Novgorod, Rússia.

Naquela época era comum escrever cartas e desenhar imagens em cascas de bétula (tipos de árvores) utilizando uma espécie de estilete bem afiado. Acidentalmente, Onfim acabou criando fascinantes dados arqueológicos, que foram descobertos séculos depois de sua existência.

04

Fora descoberta uma verdadeira cápsula do tempo, que nos permite ter uma melhor noção sobre como era a vida naquele período, pelo menos em uma parte do mundo. A coleção de artigos encontrados é composta por 17 cascas de bétula, sendo que 12 desses itens são desenhos e os cinco restantes, textos.

Onfim tinha entre 6 e 7 anos, e deixou registrado mensagens pessoais, cartas de amor, listas de compras, sílabas, notas e trabalhos escolares. Além disso, também registrou em desenhos como era a vida cotidiana, as brigas entre ele e seu professor.

05

Em uma dessas imagens, ele desenhou um cavaleiro, em cima de seu cavalo, apunhalando uma pessoa com uma lança. A conclusão dos historiadores era de que Onfim era o cavaleiro. Os registros do menino do século 13 são muito importantes, principalmente, por causa de sua honestidade infantil que descreve a vida dos tempos medievais de maneira imparcial, podendo ser estudados como história social.

Isso porque a maioria dos registros daquele período foram escritos por políticos, teólogos e historiadores, mas o trabalho preservado de uma criança descreve de maneira muito mais fiel a vida das pessoas “comuns”. Grande parte de seus registros eram trabalhos escolares.

02

Os historiadores encontraram inscrições do alfabeto e frases de salmos como os 6:2 e 27:3; além de frases como: Senhor, ajude seu servo Onfim. Boa parte de seus escritos eram citações do Livro de Salmos. Também deixou vários desenhos de cavaleiros, cavalos, flechas e inimigos mortos, aparentemente, suas ilustrações preferidas eram as pessoas.

01

Então pessoal, o que acharam dessa matéria? Encontraram algum erro? Ficaram com dúvidas? Possuem sugestões? Não se esqueçam de comentar com a gente!

8 pensamentos que todo mundo tem no quinto dia útil

Matéria anterior

8 coisas que só quem tem parentes que não sabem lidar com tecnologia vai entender

Próxima matéria

Mais em História

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.