Curiosidades

Especialistas sugerem fazer essa pergunta para acabar com a birra do seu filho

0

Ser mãe é o maior desejo de muitas mulheres. Algumas sonham com isso desde a infância, outras começam a despertar essa vontade só depois da vida adulta. E também têm aquelas que não querem isso para sua vida. Enfim, cada uma tem seu livre arbítrio, para fazer e ter o que quiser em seus projetos pessoais.

Uma coisa é fato, ser mãe é, certamente, uma das melhores sensações na vida de uma mulher. E quando o bebê nasce, a mulher experimenta um amor, que nunca sentiu antes, e consegue amar aquele ser de uma maneira que somente mães podem mesmo entender.

Mas claro que nem tudo são flores quando se tem um filho. A relação tanto do pai quanto da mãe com seu filho é especial. Com certeza eles não querem que falte nada para seus filhos, que eles tenham tudo que precisam e fiquem sempre protegidos.

Mesmo dando todo o amor e carinho para uma criança, existirão os momentos de gritos descontrolados, choro insistente e até demonstrações de agressividade. Todos esses comportamentos são sinais característicos das conhecidas birras infantis.

Esse tipo de comportamento começa a aparecer quando a criança se sente frustrada, com raiva ou então triste por não ter conseguido encontrar as palavras certas para expressar o que está sentindo.

Segundo especialistas, as birras são uma coisa necessária para o desenvolvimento da criança. Mas, para a saúde mental deles, e a dos pais, é muito importante que se saiba dar limites. Claro que sem perder a paciência ou então desrespeitar a criança.

Essa técnica bastante simples é bem fácil de ser aplicada e vai ajudar a melhorar a relação com seu filho. Quem criou essa alternativa “mágica” e inovador foi Sally R. Neuberger. Ela é psicóloga clínica e terapeuta infantil.

Pergunta

De acordo com ela, para interromper esse tipo de comportamento, basta aprender como “desarmar”  birra da criança. Se o adulto perceber que seu filho está prestes a ter um acesso de raiva, ele deve se agachar, olhar a criança no olhos e perguntar com calma: “este é um problema pequeno, um problema médio ou um grande problema?”

Essa pergunta irá fazer com que a criança se questione e fará com que ela analise e avalie a situação. Desse maneira, o adulto mediará a importância do problema e irá saber como resolvê-lo com uma facilidade maior.

Além disso, esse método também ajuda a criança a expressar suas emoções sem que ela precise perder o controle. Assim, ela saberá que sua opinião e os seus sentimentos também são  importantes.

O  site especializado “Being the Parent” também diz que manter uma atitude empática e descontraída com a criança no momento em que ela estiver dando birra é essencial. Os pais têm que fazer isso para criar laços de confiança com seus filhos e melhorar a comunicação entre os dois.

Respostas

Quando perguntada sobre a gravidade do problema, a criança irá avaliar e responder aos pais. Se eles disserem que aquilo é um problema pequeno, mostre que existem várias opções como saída e a criança irá entender que ele é fácil de resolver.

Se o problema for médio, ele requer um pouco mais de reflexão e tempo para ser resolvido. E o bom é perguntar à criança como ela se sente e como ela gostaria de resolver a situação.

Agora se o problema for classificado como grande o mais importante a se fazer é não minimizar os sentimentos da criança e demonstrar empatia. Até porque aquilo pode não parecer grande para o adulto, mas pode estar afetando profundamente a criança.

Eficácia

Essa técnica é eficaz porque quando as crianças ficam com raiva ou frustradas, na verdade, essa é a forma que elas encontram de pedir ajuda. E essa técnica faz com que elas entendam que suas emoções são válidas e importantes. Além de dar a elas a oportunidade de pensar em outras maneiras para resolverem seus problemas.

Estudo descobre que o derretimento do permafrost pode liberar mais carbono do que era pensado

Matéria anterior

Variante peruana do Covid-19 é encontrada pela 1ª vez no Brasil

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.