Curiosidades

A pandemia pode estar prejudicando a visão das crianças. E o culpado não é o vírus

0

Não existe nenhuma dúvida de que 2020 foi um ano difícil para todo mundo. Por mais que nós ainda estejamos vivendo a pandemia do coronavírus, as vacinas contra esse vírus começaram a chegar e a serem distribuídas. Isso dá a todos uma esperança, mais que necessária, de uma possível volta à normalidade ainda nesse ano.

Entretanto, vivendo praticamente um ano dentro de casa, e com várias restrições e medidas de segurança, os hábitos de todos mudaram. O fechamento das escolas, por exemplo, levantou um debate a respeito dos custos educacionais, sociais e emocionais para as crianças.

E pesquisadores da China descobriram um outo problema de saúde que afeta as crianças que estão em isolamento por um grande período de tempo. A visão delas pode começar a deteriorar.

Problema de visão

A miopia já é um problema nos países do leste asiático. E isso fez com que a China a tornasse uma prioridade na saúde nos últimos anos. Por isso que, um dos seus programas públicos é um exame de vista anual para as crianças que estão em idade escolar.

O processo de diagnóstico é chamado de photoscreening. E ele captura reflexos induzidos pela luz em cada olho. Isso dá aos técnicos instantâneos erros de refração ou então algum desalinhamento na anatomia do olho.

Para seu estudo, os pesquisadores usaram registros do photoscreening de crianças em 10 escolas de Shandong. Todos os registros foram coletados no começo de cada ano letivo desde 2015.

Com a pandemia as escolas fecharam no primeiro semestre. E um novo ano letivo começou em junho, ao invés de setembro como é o normal. Mesmo assim, o rastreamento foi feito. Isso deu aos especialistas uma boa visão dos olhos de milhares de crianças de entre seis e 13 anos.

Nesses cinco anos consecutivos de testes, os cientistas tiveram acesso a um total de 389.808 olhos. E de acordo com uma análise da frequência de erros refrativos encontrados, uma tendência relativamente estável apareceu de 2015 a 2019. O que teve de diferença talvez fosse uma pequena mudança em direção à miopia.

Mais afetados

No entanto, em 2020, aconteceu um salto substancial nos erros que se qualificam como miopia. E isso foi visto, mais significativamente, entre crianças de seis a oito anos. A prevalência de miopia nas crianças de seis anos foi três vezes maior em 2020 do que em qualquer um dos anos anteriores.

Por mais que a causa dessa mudança não possa ser de fato confirmada é possível se especular. Já que olhar de forma atenta para livro e telas por longos períodos de tempo, enquanto se está isolado em casa, pode ser um dos motivos.

“Esta mudança miópica substancial não foi observada em nenhuma outra comparação ano a ano. Tornando a causa possivelmente devido à ocorrência incomum de confinamento em casa em 2020”, sugeriram os pesquisadores.

E o motivo pelo qual algumas idades foram mais afetadas que outras, ainda é um mistério. Até porque, crianças mais novas geralmente tinham menos tarefas para fazer em casa. E as variações de tempo em frente uma tela ou então a diferença na quantidade de  tarefas não são suficientes para explicar essa diferença.

Cuidados

O mais provável é que as crianças de seis anos estejam passando por um desenvolvimento mais sensível aos efeitos ambientais. Além disso, é possível que até mesmo as crianças mais velhas também tenham problemas de visão passando por um isolamento mais longo.

Seja qual for o motivo, os pesquisadores alertam que passar muito tempo em ambientes fechados durante a infância  aumenta o risco para a visão.

Assim seriam 6 personagens nos filmes se fossem fiéis aos livros

Matéria anterior

Seis fotos incríveis que mostram fusões de galáxias

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos