Muitos artefatos, que datam do século 12 a.C., foram encontrados durante a temporada de escavações do início de 2020 em um sítio arqueológico de Israel. Essas descobertas foram feitas por estudantes universitários australianos e israelenses. Segundo os pesquisadores responsáveis pelas descobertas, os objetos sugerem que a região pertença à Ziclague, uma cidade bíblica de 3 mil anos em Israel, que, até então, estava perdida.

Na Bíblia, o local aparece em momentos que narram como o rei filisteu Aquis, de Gate, deu a cidade de Ziclague a Davi enquanto fugia do rei Saul. Anos depois, quando Saul morreu, Davi se tornou rei em Hebrom. Enquanto isso, Ziclague permaneceu sob o comando do reino de Judá. Esse também é o mesmo Davi que derrotou o gigante Golias.

Na Bíblia, a cidade teria sido entregue a Davi

Publicidade
continue a leitura

Dessa forma, a cidade permaneceu desaparecida desde então. Mas, graças aos esforços de estudantes da Universidade de Macquarie, na Austrália, da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Autoridade de Antiguidades de Israel, o lugar parece ter sido finalmente encontrado.

Assim, as escavações da equipe revelaram camadas arqueológicas que datam do período entre os séculos 12 e 10 a.C.. Esse é o mesmo período em que cidade teria sido fundada pelo cananeus. Depois disso, ela foi dominada pelos filisteus. E, então, governada pelo reino israelita de Judá. Inimigos jurados do povo judeu, os filisteus controlavam um território que hoje corresponde a parte de Israel e da Faixa de Gaza. Além disso, os pesquisadores encontraram evidências de que um incêndio teria atingido a região. Dessa forma, isso também coincidiria com o relato bíblico da invasão de Ziclague pelos amalequitas.

Ao longo da história, outras regiões já foram identificadas como sendo a verdadeira localização de Ziclague. No entanto, dessa vez, os pesquisadores estão otimistas de que corretos. "Nosso sítio está cronologicamente no período de tempo certo. E, à medida que escavamos e descobrimos o quão significativo esse lugar era de uma perspectiva política, econômica e geográfica, o identificamos como um local bíblico", explicou Kyle Keimer, um dos líderes do estudo.

Publicidade
continue a leitura

Um local cercado por mistérios

De fato, muitos artefatos interessantes foram encontrados na área da cidade bíblica. Dentre os objetos que chamaram atenção dos arqueólogos, estão uma estatueta de bezerro de bronze e dois selos. Além de, uma cerâmica decorada com arte canaanita e filisteia, e uma estatueta do deus Baal, um das principais entidades para os cananeus. Na Bíblia, o deus Baal é retratado com uma aparência ameaçadora. Dessa forma, ele preparado para destruir os seus inimigos. Assim, a estatueta de bezerro fez lembrar aos arqueólogos do bíblico "bezerro de ouro".

Publicidade
continue a leitura

Com as escavações, a equipe também descobriu os destroços do que foram edifícios públicos e casas, bem como alguns monumentos e templos. De acordo com os cientistas, a arquitetura e as pequenas descobertas indicam que uma sociedade sofisticada e com conexões internacionais existia por ali, no século 12 a.C. "Quando realizamos uma escavação arqueológica, temos grandes esperanças e baixas expectativas. Mas é claro que é maravilhoso quando fazemos descobertas emocionantes", disse Gil Davis, um dos pesquisadores. "Sonhamos em fazer descobertas que mudarão nossa compreensão de uma parte significativa do passado antigo."

Publicado em: 17/04/20 23h14