Curiosidades

Estudo revela que teremos 6 meses de verão antes de 2100

0

De acordo com um recente estudo, o aquecimento global já está influenciando a duração das quatro estações e, em um futuro breve, deverá, potencialmente, fazer com que o Hemisfério Norte tenha 6 meses de verão até 2100. Em contrapartida, os invernos podem durar menos de dois meses ao ano, bem como a primavera e o outono, que serão igualmente mais curtos.

Obviamente, essas mudanças drásticas sazonais devem gerar impactos de amplo alcance no mundo, influenciando a agricultura e o reino animal. Os cientistas acreditam também que teremos que lidar com ondas de calor, tempestades e incêndios florestais, o que, provavelmente, afetará drasticamente a humanidade.

“Mosquitos tropicais que são portadores de vírus devem migrar para o norte e provocarão surtos explosivos de doenças durante os verões mais longos e mais quentes”, escreveram os pesquisadores no estudo publicado pela revista Geophysical Research Letters.

Estudo

Para descobrir como o aquecimento global está afetando as estações, os autores do estudo analisaram dados climáticos do hemisfério norte de 1952 a 2011. O resultado obtido por meio de análises mostrou que as temperaturas aumentaram 25% ao longo do período estudado. Curiosamente, durante os invernos do mesmo período, as temperaturas também caíram cerca de 25%, o que influenciou diretamente o outono e a primavera.

Os cientistas, ao tentar prever o futuro, também descobriram que, em média, o verão prolongou-se de 78 para 95 dias entre 1952 e 2011. Enquanto isso, o inverno encolheu de 76 para 73 dias. As estações de transição também diminuíram, com a primavera encurtando de 124 para 115 dias e o outono de 87 para 82 dias.

Para prever o quanto as estações provavelmente mudarão no futuro, a equipe de cientistas estudou modelos climáticos. No cenário business-as-usual (ou seja, se nenhum esforço for feito para mitigar o aquecimento global), a primavera e o verão começarão um mês antes em 2100 do que em 2011, enquanto o outono e o inverno começarão meio mês depois. Como resultado, o Hemisfério Norte passará mais da metade do ano no verão – e as temperaturas médias no verão só deverão aumentar .

Essa mudança sazonal afetaria tudo, desde a migração dos pássaros migram até as safras de plantio.

Aquecimento global

Conforme uma projeção elaborada pela BBC, “até 2100, as temperaturas médias de junho a agosto podem chegar a 38°C em várias partes do mundo”. Segundo o portal, “Nova Delhi, na Índia, pode ter oito meses por ano com temperaturas médias de 32ºC; Phoenix, nos Estados Unidos, pode chegar a quase 200 dias por ano com temperaturas que chegam a pelo menos 32ºC; regiões do sul da Europa podem atingir temperaturas médias de junho a agosto de 30°C; as temperaturas de junho a agosto no Vietnã, Camboja, Malásia e Indonésia podem ficar com uma média superior a 30°C e a elevação do nível do mar pode levar ao desaparecimento de Miami e Fort Lauderdale, na Flórida”.

De acordo com o Fórum Econômico Mundial, para que gerações futuras não vivenciem tal cenário, é imprescindível que empresas e líderes governamentais passem, desde já, a adotar novas medidas.

Segundo os especialistas, se as nações se comprometeram a limitar o aquecimento global a menos de 2ºC acima dos níveis pré-industriais agora, conseguiremos evitar os piores impactos.

“Entre as medidas que devem ser tomadas para chegar a esse resultado, estão adotar políticas climáticas eficazes, lutar contra os esforços para desacreditar a legitimidade da ciência, remover dióxido de carbono da atmosfera ou compensá-lo com o plantio de novas florestas, além de melhorar os sistemas de transporte e energia”, revelam os especialistas do Fórum Econômico Mundial.

Por que não devemos dormir com nossas joias?

Matéria anterior

Relatório surpreendente descobre que 110 mil pessoas foram contaminadas por testes nucleares franceses

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos