Natureza

No Dia Mundial dos Oceanos, Nasa só quer saber de Cabo Frio

0

No Dia dos Oceanos, assim como muitos turistas mineiros, a NASA, a agência espacial dos EUA, também se deixou encantar por Cabo Frio, no litoral do Rio de Janeiro.

Em comemoração ao Dia Mundial dos Oceanos, celebrado no último sábado (08/06), a agência publicou uma imagem de satélite da cidade, chamada em inglês de “Cape Cold”.

“Relaxando no Brasil”, começa o post da agência norte-americana. “Localizada no leste do Rio de Janeiro, Cabo Frio recebe o nome de ‘Cape Cold’ em português — uma alcunha derivada do fato de que o oceano que a circunda é mais frio do que o habitual”.

A agência explica por que as águas de Cabo Frio são frequentemente geladas. Eles explicam que os ventos do nordeste que sopram ao longo da costa da cidade empurram as águas quentes da superfície para longe da praia, permitindo que as águas frias do fundo do oceano subam.

Essas águas são ricas em nutrientes e contribuem para o ecossistema diversificado das praias. A imagem compartilhada pela agência foi capturada em 16 de setembro de 2023 pelo satélite Landsat 9.

Brasileiros rapidamente inundaram o post com comentários e bandeiras do país. “Se você aumentar o zoom, consegue ver um monte de mineiros”, brincou um usuário. “Até a NASA querendo engajar o público brasileiro”, comentou outro — se essa era a intenção, eles definitivamente conseguiram.

Via Wikimedia

Cabo Frio

Cabo Frio, situada no litoral do estado do Rio de Janeiro, é conhecida por suas características únicas que atraem tanto turistas nacionais quanto estrangeiros.

Seu nome, derivado do português “Cape Cold”, sugere o fenômeno que a torna especial: as águas do oceano que a cercam são notavelmente frias, algo incomum para a região tropical em que está inserida.

Esse frio peculiar é resultado dos ventos, como explicou o post da Nasa. O movimento permite que as águas frias do fundo do oceano subam, trazendo consigo uma rica carga de nutrientes. Essa combinação de correntes e nutrientes cria um ecossistema marinho diversificado e vibrante, fundamental para a vida marinha e para o sustento das praias da região.

Além de suas águas frias e seu rico ecossistema marinho, Cabo Frio é famosa por suas belas praias de areias brancas e águas cristalinas. Praias como a Praia do Forte, a Praia do Peró e a Praia das Dunas são destinos populares para quem busca relaxamento, esportes aquáticos ou simplesmente contemplar a paisagem deslumbrante.

A cidade também possui um patrimônio histórico e cultural significativo, marcado pela presença de construções coloniais e pelo Forte São Mateus, uma antiga fortificação que remonta ao século XVI e que hoje abriga um museu.

Com sua combinação única de beleza natural, história e cultura, Cabo Frio se destaca como um destino turístico imperdível para aqueles que desejam explorar o litoral brasileiro e desfrutar de suas maravilhas naturais e culturais.

Dia dos Oceanos

Via Wikimedia

A postagem da Nasa foi especial para o Dia Mundial dos Oceanos. Essa é uma data dedicada à conscientização e preservação dos oceanos, celebrada em 8 de junho de cada ano.

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), esse dia busca chamar a atenção para a importância dos oceanos para o equilíbrio ambiental do planeta e para a vida humana.

Os oceanos desempenham um papel fundamental na regulação do clima, na produção de oxigênio, na absorção de dióxido de carbono e na manutenção da biodiversidade marinha. Além disso, são fontes de recursos naturais essenciais para a alimentação, transporte, comércio e lazer de milhões de pessoas em todo o mundo.

No Dia dos Oceanos, são promovidas diversas atividades e campanhas de conscientização, como limpezas de praias, palestras educativas, exposições sobre a vida marinha, lançamento de iniciativas de preservação e restauração de ecossistemas marinhos, entre outras ações.

É uma oportunidade para destacar os desafios enfrentados pelos oceanos, como a poluição, a sobrepesca, o aquecimento global e a acidificação das águas, e para incentivar ações individuais e coletivas em prol da conservação e uso sustentável dos recursos marinhos.

 

Fonte: O Tempo, Governo do Rio de Janeiro

Imagens: Wikimedia, Wikimedia

O ser humano não foi feito para correr e, sim, para descansar: é o que diz professor de Harvard

Artigo anterior

A história da pesquisadora que coletou cérebros de baleia na Bahia e desenvolveu estudo pioneiro

Próximo artigo