Curiosidades

O japonês que há 32 anos vive de cupons e vouchers

0

Todos nós amamos cupons e vouchers, não é verdade? Mas você consegue imaginar, como seria viver exclusivamente de vales? Eu, confesso, que tal realidade jamais passou pela minha cabeça. Não até conhecer a história de Hiroto Kiritani, um japonês, de 71 anos, que afirma ter passado os últimos 36 anos usufruindo dos benefícios de cupons e vouchers.

Kiritani, ao longos destas quase quatro décadas, não gastou um iene de seu próprio dinheiro. Sua capacidade de viver – e confortavelmente – com a ajuda cupons, o transformou em uma celebridade em seu país. Desde que Kiritani revelou sua peculiar de levar a vida, o japonês tornou-se foco de vários programas de televisão e, claro, eventos.

Conhecido como “o homem dos cupons”, Kiritani diz que gasta dinheiro unicamente com serviços públicos e aluguel. Os cupons e os vouchers que o japonês desfruta são oriundos de empresas que ele investiu ao longo dos anos.

Ao longo de sua vida, Kiritani atuou como shogi profissional (jogador profissional de xadrez japonês). Quando completou 35 anos, começou a investir em ações. Após inserir-se no setor de investimentos, o “homem dos cupons” passou a trabalhar como consultor da Tokyo Securities, uma empresa de investimentos.

Xadrez e ações

Devido ao boom de investimentos em ações, que ocorreu década de 1980, Kiritani decidiu investir no setor em 1984. Em 1989, o Nikkei Stock Average, índice do mercado de ações da Bolsa de Valores de Tóquio, sofreu uma drástica queda e o japonês acabou perdendo 100 milhões de ienes.

Com a perda, Kiritani passou a investir nos benefícios que os dividendos acarreta aos investidores. Com a lucratividade de uma empresa permanecendo acima de um certo limite, os acionistas podem adquirir certos benefícios e muitos deles são oferecidos na forma de cupons e vouchers.

No conturbado período da quebra da bolsa de valores japonesa, foram esses benefícios que ajudaram Kiritani a sobreviver, permitindo, assim, que ele comprasse comida e roupas, sem a necessidade de gastar nenhuma cédula.

O cenário de 1989 se repetiu em 2011. Após um terremoto que devastou o Leste do Japão, a bolsa quebrou novamente e os vales, novamente, salvaram Kiritani. À medida que a notícia sobre sua capacidade de viver, quase que exclusivamente de cupons se espalhou, Kiritani acabou se tornando famoso no Japão.

Hiroto Kiritani, hoje, não se preocupa se o desempenho de um negócio pode piorar ou não, afinal, para ele, os dividendos seguem sendo vantajosos para grandes investidores. De acordo com Kiritani, atualmente, como os acionistas menores oferecem mais benefícios para os investidores, ele não precisa mais se preocupar com o mercado.

Com tudo que vivenciou, Kiritani acredita que qualquer pessoa pode ser capaz de viver de cupons. Um cupom que o japonês recebe, por exemplo, permite que ele vá ao cinema gratuitamente 300 vezes por ano. Há ainda outros que oferecem até mensalidades grátis em academias. Além disso, inúmeros outros vales permitem que o japonês compre qualquer produto em qualquer supermercado. Por ter acesso a todos os tipos de cupons, Kiritani, mesmo tendo acesso a tais benefícios, prefere comer em restaurantes.

Atualmente, o japonês possui ações de mais de 1.000 empresas e corporações japonesas. “Eu só uso dinheiro para pagar aluguel ou para cobrir custos que meus cupons não cobrem. Ou seja, não gasto muito dinheiro, vivo bem e, no final, estou economizando cada vez mais”, disse.

Galáxia fóssil é descoberta nas profundezas da Via Láctea

Matéria anterior

Marvel está oficialmente desenvolvendo uma sequência para Deadpool

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.