O que acontece quando meninos e meninas estudam separados durante 3 anos?

POR Mateus Graff    EM Ciência e Tecnologia      12/01/18 às 16h49

Vocês acham que meninos e meninas deveriam estudar juntos ou separadamente? Pois bem, na cidade de Sverdlovsk, na Rússia, uma escola resolveu fazer uma experiência um tanto incomum. Eles resolveram separar os meninos das meninas por três anos para ver se o resultado era positivo ou não.

O experimento começou ainda em 2014 e já obteve alguns resultados. Ao menos para os professores dessa escola, os resultados das crianças foram positivos. Mas quais foram os resultados dessa experiência, digamos assim, polêmica? A Fatos Desconhecidos mostra para vocês agora.

Meninos e meninas são distraídos uns pelos outros

Para os psicólogos, se houver estudantes do sexo oposto no mesmo ambiente, mesmo inconscientemente, alguém tentará impressionar e distrair os colegas na hora da aula. Quando isso acontece, a concentração, consequentemente, cai. Ou vai dizer que quando você era uma criança não ficava tentando impressionar a menina/menino que você gostava?

A saúde e postura das crianças melhoraram

Elena Romantsova, chefe do departamento de pediatras da Amur Medical Academy, observou que as crianças se tornaram melhores, tanto mentalmente quanto na saúde. O monitoramento da saúde realizado por médicos mostrou que as crianças ficaram menos propensas a adoecer. Observou-se também que nas aulas mescladas, nos seis primeiros meses, as crianças perderam peso por causa do estresse e da adaptação. Em classes separadas isso não aconteceu. Seria um bom sinal?

Percepção de suas qualidades de liderança

Na ausência de garotas, os meninos não hesitam em dizer o que pensam, expressam seus pensamentos mesmo que o mesmo seja contrário ao geralmente aceito. Mesmo que conversas e gritos sejam frequentes, os professores perceberam que os garotos ficaram menos agressivos. Na presença de uma garota, eles tentam se afirmar. Quando estão só entre eles, todos são iguais e suas tentativas de se afirmar são direcionadas ao desenvolvimento de qualidade de liderança.

As meninas são excelentes em tarefas coletivas

Nas aulas experimentais, as meninas se saíram muito bem em tarefas coletivas. Elas trocaram favores, pediram ajuda para as colegas e encontraram a solução para problemas juntas. Em tarefas individuais, elas ficaram mais indecisas, mesmo sabendo a resposta correta.

Os professores também perceberam que as meninas gostavam de ser elogiadas, mesmo depois de errar. Quando isso não acontecia, elas ficavam com medo de responder outras perguntas.

O experimento foi um sucesso, embora também haja oponentes

Mesmo que o resultado tenha sido positivo, ainda existem as pessoas contra esse tipo de educação. Alguns acreditam que esse seja um passo para trás em relação a puberdade. Mas a experiência de aulas separadas sugere o oposto e até agora todas as críticas receberam uma boa resposta.

Mas e você, colocaria seu filho/filha em aulas desse tipo? Não esqueça de deixar o seu comentário!

Via   ADME  
Imagens Mater Instov
Mateus Graff
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+