O que essa lutadora de UFC fez depois de ter sido humilhada várias vezes pela adversária é uma verdadeira lição de vida

POR Isabela Ferreira    EM Entretenimento      06/12/17 às 18h49

Até certo tempo atrás, era algo completamente incomum que mulheres praticassem esportes. Seja apenas como forma de entretenimento ou como algo levado a nível competitivo, era algo pouco visto. No entanto, ao longo dos anos vemos a presença feminina cada vez mais forte e intensa. Atualmente, praticam todos os tipos de esporte, até mesmo aqueles considerados mais "brutos", a exemplo do MMA. Ver uma lutadora em cima de um ringue é, na verdade, motivo de orgulho.

MMA é a sigla em inglês, que define "artes marciais mistas". Engloba diversos estilos e técnicas de artes marciais que vão desde os combates em pé, até lutas que acontecem no chão, após a queda de um adversário. A mais famosa organização a produzir eventos e lutas do tipo, é o tão famoso UFC. Nos últimos dias a mídia vinha transmitindo um combate que, no mínimo, seria épico: a americana Rose Namajunas enfrentaria a polonesa, e então campeã mundial de UFC, Joanna Jedrzejczyk.

Semana de humilhações

A luta aconteceu no mês passado, dia 04 de novembro. No entanto, a semana que antecedeu o combate não foi nada fácil para a lutadora Rose Namajunas. A campanha para promover o evento foi bastante complicada e repleta de desavenças.

Em uma tentativa de desestabilizar a adversária, toda vez que se encontravam, Joanna fazia uma série de provocações. Para ela, aquela luta seria definitiva em sua carreira, portanto, entendeu que atacando a oponente teria maiores chances de vitória.

Caso Joana vencesse, se igualaria à Ronda Rousey, uma lutadora de grande reconhecimento mundial e a ex-campeã de UFC. Ela alcançaria o mesmo número defesas bem sucedidas na luta pelo cinturão feminino. Os ataques sofridos por Rose se tornaram alvo de diversas críticas, visto que ela nunca reagia e escutava sempre calada. Muita gente cobrava a reação da moça, não entendendo porque ela simplesmente deixava tudo acontecer.

Isso fez com que muitos desacreditassem em seu potencial, associando seu comportamento com a suposta fraqueza que poderia demonstrar no octógono. Enquanto isso, de forma estranha, Joanna ganhava cada vez mais apoio e era estimulada a criar atritos. A lutadora apelava para o terror psicológico. Era nítido que Rose ficava desestabilizada, mas de fato, nunca disse uma palavra sequer.

A luta

O tão esperado 04 de novembro finalmente chegou. Joanna entrou no octógono sendo ovacionada, nitidamente, era a preferida do público. Enquanto isso, Rose entrou de forma mais tímida, no entanto, havia algo diferente nela. Certamente os nervos ficaram à flor da pele, e as provocações por parte da outra lutadora ainda não haviam cessado. Assim que a luta começou, deu pra perceber que Rose tinha "sangue nos olhos", realmente determinada a dar seu melhor e ao mesmo tempo, descontar tudo que havia sofrido ao decorrer da semana.

Por outro lado, Joanna tinha a certeza de que levaria a melhor e se consagraria. Entretanto, ocorreu aquilo que muitos já esperavam mas que outros desacreditavam: Rose literalmente atropelou a campeã, terminando o embate aos 3 minutos e 3 segundos, logo no primeiro round.

Parece que ninguém entendia muito bem a situação, muito menos Joanna. Ela ficou completamente perplexa pelo o aconteceu, nitidamente triste e desapontada. Enquanto isso, Rose comemorava a vitória, que segundo ela, teve um valor muito mais alto que apenas ganhar o cinturão: "Não parece real, parece que estou em um filme. Eu vi muita besteira na mídia, só queria entrar e usar o que tenho para seguir meus sonhos. O cinturão é apenas um extra, no fim das contas, é só entretenimento", disse ela, assim que a luta teve fim. Emocionada, chorou assim que recebeu sua premiação, satisfeita com tudo o que havia feito, desde não revidar, até o momento da vitória.

Joanna permanecia invicta há 14 lutas, o que era o maior motivo para o excesso de confiança. Felizmente, a lutadora Rose se transformou em um verdadeiro exemplo de vida. Não adianta se rebaixar ao nível de uma pessoa que apenas quer prejudicar a outra. No fim das contas, as palavras evaporam-se pelo ar e o que realmente fica, são as ações e o potencial de cada um.

E então pessoal, o que acharam? Acompanharam o caso pelos veículos de comunicação? O que acharam do resultado da luta? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+