Notícias

Padrinho se acidenta com fogos de artifício em chá de revelação

0

O que é usado para comemorar eventos importantes pode acabar sendo o motivo de um pesadelo. Esse é o caso dos fogos de artifício. No último sábado (14), um acidente com os objetos tiraram o foco de um chá de revelação da família da estudante de direito Maria Eduarda Silva, de 21 anos. O caso aconteceu em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

A prima de Maria Eduarda Silva está grávida e organizou com os irmãos que, caso o bebê fosse menina, um deles seria o padrinho. Na ocasião de ser um menino, o outro levaria o título.

Porém, após a revelação do sexo do bebê, que aconteceu por volta das 21h, o irmão que ganhou a disputa, João Cecilio Junior, de 33 anos, decidiu soltar um dos fogos de artifício.

O problema é que ele segurou o objeto de forma errada, e as fagulhas dispararam contra ele. Logo, o padrinho sofreu queimaduras leves e parte de sua camisa, na região do ombro, ficou chamuscada.

De acordo com Maria, o padrinho estava tomado pela emoção. “Ele somente passou pomadas no local. Não estava bêbado, porque não gosta. Ele estava bem emocionado”, disse a estudante.

Segundo ela, João não precisou de atendimento médico. “Nossa preocupação era se ele tivesse ferimentos graves, mas não aconteceu, graças a Deus”, contou. De acordo com o padrinho, tudo não passou de um susto, mas serve de alerta para quem decide usar fogos de artifício.

“Foi um acidente. Eu coloquei do jeito errado e deu ruim”, disse.

Fogos de artifício causam acidentes

Reprodução

Outro caso que chama atenção aconteceu na virada do ano, quando é tradição disparar fogos de artifício. Dois homens tiveram fraturas nas mãos após um acidente com os fogos em Cuiabá.

De acordo com a Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), que administra o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), para onde os homens foram encaminhados, cada paciente apresentou fraturas em uma das mãos.

Eles estavam comemorando a virada do ano e decidiram soltar fogos de artifício, mas sofreram o acidente. Não ficou claro como ocorreu a explosão. Assim sendo, a Secretaria de Saúde de Cuiabá informou que, além desses casos, um adulto e uma criança também foram atendidos no mesmo dia, na UPA do bairro Pascoal Ramos, com ferimentos leves decorrentes de fogos de artifício.

“A ECSP orienta às pessoas que evitem situações que possam causar acidentes e queimaduras, que aumentam nesta época do ano e acabam por sobrecarregar a rede de assistência em saúde”, diz a empresa em nota.

Proibição

Por razões de acidentes e também do barulho extremo que incomoda moradores e animais, muitos lutam pela proibição dos fogos de artifício. Dessa forma, um projeto apresentado no dia 29 de maio de 2019, durante sessão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), pretende proibir a queima e soltura de fogos de artifício, assim como artefatos pirotécnicos que emitam som em alta intensidade, em todo o estado.

Segundo descrito na proposta, caso o projeto seja aprovado, a soltura de fogos de artifício com barulho ficaria proibida em espaços abertos, fechados, em áreas públicas assim como locais privados. A multa prevista para o descumprimento é de cerca de R$ 13 mil.

O projeto é do deputado Max Russi (PSB) e destaca que o excesso de ruído produzido pelos fogos, especialmente em datas comemorativas, em que dezenas de pessoas os soltam numa mesma região, causa incômodo e dores em idosos e crianças.

Além disso, a proposta ressalta que o barulho dos artefatos pirotécnicos também provocam irritabilidade em pessoas que sofrem algum tipo de transtorno mental. Em especial, as que sofrem de autismo e que tenham hipersensibilidade auditiva.

Animais também sofrem imensamente com os sons e podem ter inúmeros problemas de saúde resultantes. Em vários casos, os animais acabam sendo vítimas fatais. Assim, de acordo com o propositor, o projeto visa preservar a saúde pública.

Fonte: G1

Ladrão rouba mochila de ucraniana e foge de cueca no Rio de Janeiro

Matéria anterior

Mulher fica com design de sobrancelhas terrível após microblading

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos