O tabaco é um produto agrícola derivado das folhas de plantas do gênero nicotiana. E pode ser consumido, legalmente, através de cigarros, charutos, cachimbos, narguilés, rapés, fumo mascado, etc. No formato de tarato de nicotina é usado em pesticidas. É uma planta que teve sua origem nos Andes e peregrinou com os indígenas por toda a América Central até chegar ao Brasil.

Aqui, houve a necessidade de cultivo das próprias lavouras para que o consumo próprio fosse garantido. A ideia funcionou e o excesso era vendido para os europeus, que na época, mantinham uma busca frenética pelo consumo e estabelecimento de um local regular para a produção e abastecimento. Logo no início a produção do tabaco se restringia às regiões do Recôncavo Bahiano, entre Salvador e Recife.

Lá pelo fim do século XVII, houve a tentativa de implementação de uma legislação de regulamentação sobre o controle das cargas que eram transportadas, isso por causa das grandes expansões territoriais e áreas de produção. Dessa forma, órgãos especiais foram criados , como a Mesa de Inspeção do Tabaco.  Essa legislação ganhou força e vigorou até depois da Independência do Brasil.

O que facilitou o cultivo das mais variadas espécies de fumo em qualquer lugar. A possibilidade do comércio diretamente com outros países também teve grande impulsionamento. Esse momento já era os anos de 1850, quando as províncias da Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se destacavam.

O cigarro

Publicidade
continue a leitura

01

Logo em seu início, o tabaco era utilizado através de espécies de cachimbo e aspirados na forma de rapé. apesar de o tabaco ter sido descoberto há mais de três mil anos, ele só foi levado para a Europa por navegadores nos anos de 1400. O cigarro em si, como o conhecemos hoje, só foi ser produzido pela primeira vez no final do século XIX.

Por mais que, para os não fumantes, os cigarros pareçam iguais, eles possuem algumas diferenças. O cigarro é produzido com os seguintes ingredientes: papelfiltroaçúcares e vários tipos de fumo. Sendo que este último é seu principal componente. O fumo, por natureza, contém nicotina, é uma planta da família das solanáceas.

Para que possa ser utilizado, o fumo precisa ser curado. Esse processo consiste na secagem das folhas do produto. À partir dessa secagem, as folhas sofrerão uma série de mudanças bioquímicas, que resultarão no sabor específico de cada fumo.

Publicidade
continue a leitura

Por exemplo, o Virgínia é curado em estufas de alvenaria, são utilizadas lenhas de origens florestais energéticas como fontes de calor; depois do processo de cura o fumo fica com uma coloração alaranjada. Outro exemplo é o fumo Burley, que é curado em galpões, nos quais as laterais são fechadas apenas parcialmente par que seja possível a circulação do ar, retirando a umidade das folhas; depois da finalização do processo ele fica com uma cor castanha.

É no processo de cura que se associada as variedades, é que é possível obter aromas e sabores típicos de cada fumo. Assim, a combinar diferentes tipos de fumo em diferentes proporções e uni-los a ingredientes é que se te a mistura conhecida como blend, essa mistura é o que dará o sabor característico de cada marca.

Num geral, os cigarros são produzidos dos mais variados tipos e formatos, seu design varia em relação ao fumo, o tamanho, seja comprimento ou circunferência, tipo de filtro, ventilação, etc. No Brasil, os cigarros mais vendidos são conhecidos como KS (King Size), possuem um comprimento de 83mm  e 24,3mm de circunferência.

As listras

Publicidade
continue a leitura

02

Sabe aquelas listras que existem ao redor do cigarro, como se fossem anéis? Será que sabe para o que eles servem? Não, não são apenas enfeite. Dizem por aí que elas são compostas por pólvora, mas isso não é verdade! Um das explicações plausíveis que nossa redação encontrou foi a de que os produtos químicos inseridos dentro do cigarro são para que ele queime mais rápido, e as listras são marcas d'água que permitem que o cigarro queime de forma uniforme.

Normalmente, algumas dessas listras são mais finas e outras mais grossas, essa característica faz com que as finas impeçam que o cigarro apague, enquanto as grossas mantem o calor necessário para aquecer e queimar o fumo. Dessa forma, como o fumo é prensado e na arte interna não há oxigênio, apenas a parte externa queima.

Então pessoal, gostaram da matéria? Sugestões, correções? Não se esqueçam de comentar com a gente!

Publicado em: 04/05/16 16h10