• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Podemos comer algo que caiu no chão e pegamos em menos de 5 segundos?

POR Fatos Desconhecidos (Acervo)    EM Ciência e Tecnologia      20/07/15 às 19h49

Já ouviu falar na lei dos cinco segundos? Imagine que você está com um apetitoso pedaço de pizza na mão, mas quando você vai levá-lo à boca, ele cai no chão. Muita gente acredita que se você pegar a fatia de pizza em até cinco segundos depois que ela caiu no chão é seguro comê-la. Será mesmo?

Foi o que tentaram responder um grupo de pesquisadores chefiados pelo Dr. Ronald Cutler, um médico especialista do hospital universitário Queen Mary, em Londres.

Para provar se a teoria é correta ou não, os cientistas deixaram cair uma fatia de pizza em uma cozinha, um pedaço de maçã na rua e uma torrada no chão em um escritório. Todos os alimentos foram recolhidos do chão em menos de cinco segundos e depois analisados em laboratório.

Impróprios para consumo

pesquisa

Depois de analisar as amostras, os pesquisadores encontraram grandes quantidades de bactérias em todos os alimentos. O que levou à conclusão de que depois de cair no chão, mesmo sendo pegos rapidamente, as comidas se tornaram impróprias para consumo.

De acordo com os cientistas, mesmo pegando o alimento no chão um segundo depois de cair evitaria a contaminação. Dessa maneira, a recomendação é não consumir nada que teve contato com o solo.

Mais tempo, maior contaminação

bac

Outra descoberta realizada com a pesquisa é que quanto maior o tempo no chão, maior também é a contaminação dos alimentos.

A quantidade de bactérias que contaminavam a comida em cinco segundos, por exemplo, era maior do que aquelas que eram recolhidas imediatamente.

Próxima Matéria
Fatos Desconhecidos (Acervo)
Acervo, matérias feitas antes do ano de 2015.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+