A DC Comics possui uma vasta galeria de heróis. Sem dúvidas, a editora tem alguns dos personagens fictícios mais influentes do planeta, entre eles estão três popularmente conhecidos como Trindade: Superman, Batman e Mulher Maravilha. Os três já possuem décadas de existência, no entanto, apenas os dois primeiros ganharam adaptações cinematográficas. Entre altos e baixos, os dois personagens sempre ganharam inúmeras chances ao longo dos anos. Enquanto Superman e Batman tiveram diversos atores os representando em tela e vários arcos explorados em filmes e séries, Mulher Maravilha continuava encostada, deixada de lado no que se tratava de live action.

Foi apenas da década de 1970 que a Princesa de Themyscira ganhou uma versão em carne e osso na pele de Lynda Carter. A série durou três temporadas e, por mais de quarenta anos, ela foi a única representação live action de sucesso que a personagem teve. Foi então que, como sucesso do universo unificado da Marvel Studios, a Warner/DC finalmente resolveram que seria uma boa ideia ela reunir seus maiores heróis no cinema e anunciou que seus principais heróis iriam ganhar novas versões no cinema, incluindo um longa solo da heroína. Dessa forma, em 2013, Superman deu o primeiro passo para seu universo cinematográfico com Homem de Aço. O filme dividiu opiniões, mas não foi nada parecido com o que aconteceria três anos depois com Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

Publicidade
continue a leitura

O filme chegou a dividir a opinião de muitos fãs e espectadores padrão, no entanto, ele foi massacrado pela crítica especializada, assim como o próximo lançamento do estúdio, Esquadrão Suicida. Ou seja, o Universo Cinematográfico DC não teve um bom começo. Tendo enfrentado pré-julgamento desde a escalação de Gal Gadot como a personagem título, o filme foi produzido sob vigilância, Mulher Maravilha é o próximo lançamento da lista e, recaiu sobre a Princesa Amazona, não apenas o peso de salvar o universo unificado, como também a grande responsabilidade de representar a força feminina, através de uma personagem altamente respeitada no meio nerd e uma heroína mundialmente conhecida, da melhor maneira possível. Pois bem, na última semana aconteceu diversas premières e cabines para jornalistas e profissionais da área e as primeiras críticas sobre o filme não poderiam ser melhores.

De acordo com o site Critical Hit, depois de assistir o filme “você vai acreditar que uma mulher pode salvar o universo cinematográfico DC”. Já de acordo com o Movie Web, “O UCDC finalmente entrega um ótimo filme!”. O editor chefe do site Collider, Stven Weintraub, colocou em seu Twitter que o filme foi um grande passo para a DC Film e que a melhor parte está no longa apresentar uma protagonista heroica e otimista. Jim Vejvoda, do IGN, revelou que Mulher Maravilha é “o coração e a humanidade que faltava no universo cinematográfico DC”. No site de IMDB, até o momento, o filme está com a média de 8,5 - a maior nota entre todos as produções do universo atual Warner/DC. Mesmo o Rotten Tomatoes, site famoso pelas duras críticas negativas à DC, marca 99% de interesse dos usurários para assistir o longa e impressionantes 96% de aprovação. Em contrapartida, o site Mouth Shut já reúne 27 reviews e um total de 96% de aprovação - até a presente data. O filme também teve a aprovação de ninguém menos que a Mulher Maravilha original, Lynda Carter.

Publicidade
continue a leitura

Ao que tudo indica, a diretora Patty Jenkins, o roteirista Allan Heinberg, Gal Gadot e companhia conseguiram conceder novo fôlego ao universo unificado dos heróis da DC. Dando a clássica heroína uma merecida representação, respeitando a mitologia da personagem e tudo o que ela representou e ainda representa para a sociedade moderna e na vida de centenas de fãs.

Publicidade
continue a leitura

Mulher Maravilha estreia mundialmente dia 1º de junho.

Publicado em: 30/05/17 12h51