Qual é o peso da alma?

POR Thamyris Fernandes    EM Curiosidades      10/07/14 às 01h21

Milhares de estudos, ao longo dos séculos foram desenvolvidos a fim de provar a existência ou não da alma humana. Esse assunto, assim como uma série de outras vertentes sobrenaturais, fazem parte de temáticas que o homem tenta, mas não consegue entender.

Pois bem, em 1907, um pesquisador americano chamado Duncan MacDougall, de Massachusets, se aventurou por esse campo de estudo para provar que a alma existe e que tem peso. Ele observou 6 pessoas, em fase terminal, antes e depois de morrerem e constatou que elas simplesmente perdiam peso assim que faziam a "passagem". Aliás, o peso exato que ele supôs pertencer ao espírito era de 21 gramas.

1

A primeira cobaia do experimento foi um homem com tuberculose. Após algumas horas de observação, em que MacDougall anotava suas variações de peso, o sujeito acabou morrendo e, segundo o médico, a balança registrou, instantaneamente, 21 gramas a menos.

Apesar de outros pacientes terem registrados perdas diferentes de peso e de muitos até terem recuperado o peso original depois de algum tempo, o cientista se convenceu que o resultado do primeiro experimento - com o tuberculoso - seria o verdadeiro. Conforme ele, embora tenha o padrão de 21 gramas, o peso do espírito pode variar de acordo com o temperamento de cada um: pessoas mais apáticas teriam almas mais leves, enquanto as mais enérgicas teriam almas mais pesadas.

2

Claro que hoje em dia o estudo do americano é motivo de risadas. Pesquisadores da Universidade do Arizona, por exemplo, garantem que a pesquisa de MacDougall não prova nada, até porque não existe um momento exato da morte. Conforme eles, o coração pode parar de bater, o cérebro pode parar de funcionar, mas várias célula do corpo ainda estarão trabalhando por um longo tempo.

Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+