Qual foi a última vez que a Terra foi atingida por um grande meteoro?

POR Pietro Bottura    EM Curiosidades      15/08/14 às 00h26

Era 30 de junho de 1908. Em Tunguska, na Rússia siberiana, um cometa devastou 2 mil quilômetro quadrados em uma fração de segundos. Ou ao menos é isso que se supõe, já que o local só foi examinado oficialmente 19 anos depois do impacto. Outro detalhe, inclusive, é que esse impacto na verdade nunca aconteceu: pelos cálculos de área e solo afetado, a explosão do objeto que entrou em nossa atmosfera se deu a 5 km da superfície, e jamais foram encontrados vestígios do impacto ou do choque.

The aurora borealis in the skies over Hammerfest, Norway

Luzes estranhas foram vistas dias depois do impacto. Fantasmas? Alienígenas? Não, apenas gases que entraram em nossa atmosfera e refletiam a luz solar, em processos semelhantes ao da Aurora Boreal.

xkh376v7-1372241498

O impacto derrubou todas as árvores num raio de 30km, carbonizando as mais próximas do epicentro. O clarão foi visto a 800km de distância, e o vento gerado derrubou pessoas no chão, algumas a 100km do local de queda.

Fire-Meteor

Nunca foram encontrados restos sólidos do cometa, que era formado, em sua maioria, por gases e gelo. Acredita-se que tamanha era sua velocidade que o material que compunha as rochas do mesmo, que cientistas estimam que tivesse 70 metros de diâmetro. Pela velocidade e massa, teria sido incinerado no atrito contra o ar, e por isso não chegou à superfície no momento de impacto. É dito que uma colisão dessa acontece a cada milhar de anos, mas como a maioria da superfície terrestre é coberta por mares (ou a Sibéria, nesse caso), as chances de que isso nos afete são remotas.

Pegasus.Seiya.full.894106

E a verdade é que era apenas o Seiya treinando.

 

Pietro Bottura
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+