NaturezaNotícias

Reino Unido: Pegadas de dinossauro de 200 milhões de anos é encontrada

0

Especialistas apontam que pegadas descobertas em uma praia do País de Gales, no Reino Unido, podem pertencer a um dinossauro que viveu no local há mais de 200 milhões de anos.

De acordo com paleontólogos do Museu de História Natural de Londres, as pegadas, que datam do período Triássico, podem pertencer a um saurópode ou a algum parente próximo à espécie.

“Nós sabemos que os saurópodes mais antigos estavam vivendo na Inglaterra na época, já que os ossos do Camelotia, um saurópode primário, foram encontrados em rochas de Somerset datadas do mesmo período”, declarou a Dra. Susannah Maidment. Ela é paleontóloga do museu, participou da pesquisa e também foi responsável por divulgar a descoberta em um comunicado.

“Nós não sabemos se a espécie é a responsável pela pegada, mas há outras pistas que sugerem algo do gênero”, complementou.

A descoberta foi publicada pelos cientistas na revista Geological Magazine, em 29 de dezembro de 2021.

Descoberta das pegadas do dinossauro

Peter Falkingham/Museu de História Natural de Londres

As pegadas começaram a ser estudadas após Maidment e seu colega, o professor Paul Barrett, terem recebido fotos enviadas das trilhas na praia de Penarth, compartilhadas por um paleontólogo amador em 2020. Inicialmente, eles estavam céticos sobre as imagens recebidas.

“Nós recebemos muitos questionamentos por parte do público a respeito de coisas que podem ser pegadas, mas muitas são marcas geológicas que podem confundir”, explicou Maidment.

Ele acrescentou que devido às fotos, eles perceberam que havia uma alta possibilidade daquela marca ser uma pegada, “por isso valeria dar uma olhada”, completou.

A dupla trabalhou com colegas, com isso descobriram que o sítio já teria sido inspecionado por Cindy Howells. A paleontóloga do Museu Nacional do País de Gales trabalha com o time francês e junto a uma equipe da Universidade de Cardiff.

Ao chegar ao local das fotos, Maidment e Barrent registraram as medições e investigaram o caminho.

“Acreditávamos que as pegadas que vimos em Penarth estavam consistentemente espaçadas para sugerir uma caminhada de um animal. Também vimos aros de deslocamento onde a lama tinha sido empurrada para cima. Estas estruturas são características do movimento ativo através do terreno macio”, declarou Barrett durante o anúncio da descoberta das pegadas.

O que as descobertas apontam 

Peter Falkingham

De acordo com os especialistas, as descobertas podem revelar informações sobre o comportamento dos dinossauros. Como por exemplo, a forma que eles caminhavam e como viajavam em rebanhos.

“Estes tipos de trilhas não são particularmente comuns em todo o mundo. Portanto, acreditamos que este é um acréscimo interessante ao nosso conhecimento sobre a vida triássica no Reino Unido. O registro de dinossauros triássicos neste país é bastante pequeno, portanto, qualquer coisa que possamos encontrar a partir do período acrescenta ao nosso quadro o que estava acontecendo naquela época”, afirmou Barrett.

O museu acrescentou que as pegadas devem permanecer no local até serem desgastadas pela maré.

Fonte: CNN Brasil

Como as moscas enxergam?

Matéria anterior

Vômito de baleia é vendido por R$ 7,5 milhões

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos