Curiosidades

Ródio desbanca ouro, prata e platina: o metal precioso mais caro do mundo, valendo 17 vezes mais que ouro

0

Ouro, prata e platina são famosos por valerem muito, mas, atualmente, o metal mais precioso do mundo não é nenhum deles! Na verdade ele é quase um desconhecido. Trata-se do ródio.

Nos últimos anos, ele se tornou o metal mais caro do mundo, com um impressionante aumento de 265%.

Segundo analistas de mercado, esse metal, mais valioso que o ouro, pode continuar a subir de preço e assustar investidores em todo o mundo.

E isso aconteceu porque o ródio, o metal mais precioso do mundo, é amplamente utilizado em catalisadores automotivos para reduzir emissões nocivas.

Ou seja, pode ser a solução que procuramos para os problemas carbônicos e de poluição ambiental.

SONY DSC

David Holmes, vice-presidente comercial da Heraeus Metals, empresa responsável pela comercialização dos metais, afirma que, como o controle da poluição é uma tendência crescente, a indústria automobilística está cada vez mais comprometida em cumprir as metas ambientais.

Por outro lado, o ródio, sendo um metal mais precioso que o ouro, extraído em outros países, incluindo a Rússia e a África do Sul, está acabando. Com isso, sendo o metal precioso e mais caro do mundo, tende a ter um preço exorbitante e diminuir as produções em várias indústrias.

Assim, a combinação de alta demanda e baixa oferta cria muita incerteza no mercado, que deixa de valorizar esse metal.

Valor

Há mais de dez anos, o preço do ródio era de 10.000 dólares/por onça, equivalente a 31,10 gramas, porém, em 2009, o metal mais caro do mundo caiu para 1.000 USD.

Em agosto de 2016 o ródio atingiu o preço mais baixo de 639 dólares, em 2018 atingiu o preço mais alto de 2.300 dólares/onça, em outubro de 2020 foi superior a 12 mil dólares/onça e em 2022 foi vendido por 29.800 dólares.

O preço do metal mais precioso do mundo disparou como uma montanha-russa, deixando qualquer investidor preocupado.

Metal mais precioso do mundo e seus usos

O ródio, o metal mais caro do mundo, tem muitas aplicações comerciais devido à sua boa condutividade elétrica.

Além disso, devido à sua alta dureza, pode ser utilizado em ligas e outros metais, proporcionando maior resistência à corrosão.

A indústria eletrônica precisa desse metal mais caro do mundo e o utiliza em alguns dispositivos ópticos e em alguns tipos de vidro.

Na joalheria, o ródio é utilizado em pequenas quantidades, o que pode aumentar a durabilidade do ouro e dar brilho ao seu aspecto. Além disso, permite criar semijoias mais elegantes, o que atraiu públicos diversificados.

Contudo, a concorrência aumentou, e as indústrias estão tendo que lidar com várias procuras diferentes para o uso.

É justo dizer que não existem muito mais minas de metais preciosos no mundo. Na verdade, é um subproduto de outras atividades mineiras.

Em países como África do Sul, que responde por 80% da produção, é um produto de platina. Na Rússia, é um produto do níquel.

Via Bing

Escassez

A escassez de ródio, que também é um subproduto da mineração de outros metais, e a sua excelente capacidade de reduzir as emissões de óxido de azoto dos motores de automóveis fizeram subir os preços face a leis de poluição mais rigorosas, o que impulsionou a procura.

Em março de 2021, se consolidou como o metal precioso e mais caro do mundo, com recordes de valores e ultrapassando o ouro.

De acordo com Mandi Dungwa, analista mineiro da Kagiso Asset Management na Cidade do Cabo, os preços do metal mais caro do mundo diminuíram ligeiramente em comparação.

No entanto, continuam a contribuir significativamente para as receitas dos países, especialmente nas minas ricas em ródio.

Com o metal mais precioso do mundo acumulando mais de 40% de desconto em tamanho, esta oferta provavelmente não se repetirá.

 

Fonte: Click Petróleo e Gás

Imagens: Wikimedia, Bing

Coringa é oficialmente imune a um dos seres mais poderosos do Universo DC

Artigo anterior

Após 5 anos de falhas, recordista em série quebra recorde mundial ‘mais fácil’ de todos

Próximo artigo