Ciência e Tecnologia

Tesla passa a aceitar pagamentos em dogecoin

0

Consolidada no mercado como uma das empresas mais famosas de carro, a montadora Tesla passou a aceitar oficialmente a criptomoeda dogecoin como meio de pagamento. Mas, ao contrário do que se pensa, não é possível adquirir carros com a “moeda de cachorro”. O anúncio foi feito pelo CEO da empresa, Elon Musk.

A criptomoeda só pode ser utilizada dentro do site oficial da marca e na aquisição de acessórios e produtos licenciados, como roupas, carregadores e até a garrafa de tequila da empresa. Além disso,  não é possível pedir reembolso ou cancelamento nas aquisições feitas com a moeda por conta da volatilidade do valor que ela possui.

Em 2021, a Tesla chegou a liberar o uso de bitcoin para a aquisição de carros, mas voltou atrás da decisão meses depois. Uma missão espacial chefiada por Elon Musk também já foi financiada pela dogecoin.

A dogecoin

A criptomoeda dogecoin foi criada inicialmente como uma piada na internet no ano de 2013. O meme ficou famoso na internet com a imagem da cachorra Kabosu, da raça Shiba Inu. Por esse motivo e em tom de brincadeira, a moeda utiliza a cachorra Kabosu como logo.

dogecoin

AFP

Mesmo com um caráter diferente das demais criptomoedas existentes, a dogecoin ganhou espaço rapidamente e conquistou sua própria comunidade online. Já em 2014, a moeda havia alcançado uma capitalização de US$ 60 milhões.

A Dogecoin foi criada pelos programadores Billy Markus e Jackson Palmer, que esperavam criar uma criptomoeda divertida que pudesse atingir um público mais amplo do que o Bitcoin. Para isso, os programadores basearam a Dogecoin em uma criptomoeda existente, a Luckycoin.

Em comparação com as outras criptomoedas, a Dogecoin teve um rápido crescimento, conseguindo 100 milhões de moedas em circulação até meados de 2015, com um adicional de 5,256 bilhões de moedas todos os anos depois. Em 30 de junho de 2015, 100 bilhões de Dogecoins já haviam sido mineradas.

Ao contrário das demais criptomoedas, que têm um limite no número de moedas que podem ser produzidas, não há limite para quantas Dogecoins podem ser produzidas, o que a torna uma moeda inflacionária. A Dogecoin foi inicialmente pensada para ter um limite de 100 bilhões de moedas, o que já teria sido muito mais do que as principais moedas digitais estavam permitindo.

Em fevereiro de 2014, Jackson Palmer anunciou que esse limite seria removido e que não haveria limite máximo. Por esse motivo, a moeda está sob a influência da inflação e o valor pode ser alterado constantemente. Atualmente, cerca de 132,7 bilhões de Dogecoins estão em circulação.

Elon Musk

A dogecoin é bastante apreciada pelo CEO da Tesla, que foi eleito “personalidade do ano” pela revista Time. Recentemente, o bilionário afirmou, em entrevista à revista, que acredita que a Dogecoin tem uma grande vantagem sobre outras criptomoedas nas transações. “Fundamentalmente, o Bitcoin não é um bom substituto como moeda. Embora tenha sido criado como uma piada boba, a Dogecoin é mais adequada para transações”, afirmou.

Atualmente, Elon Musk é considerado o homem mais rico do mundo, com um patrimônio pessoal estimado em cerca de 188,5 bilhões de dólares. Além de ser CEO da Tesla, ele é o fundador, CEO e diretor técnico da SpaceX, vice-presidente da OpenAI, fundador e CEO da Neuralink e co-fundador e presidente da SolarCity.

Fabiano de Abreu: brasileiro entra na sociedade mais restrita do mundo

Artigo anterior

Conheça o peixe com cabeça transparente

Próximo artigo