Curiosidades

Vida em Marte: este pode ser o primeiro habitante do planeta vermelho

0

Marte é um dos planetas mais explorados em nosso sistema solar, sendo o único a receber robôs da NASA com o objetivo de aprimorar a análise de campo. O quarto planeta do nosso sistema solar é, depois da Terra, o mais popular. Além disso, o sonho de colonizá-lo é alimentado quase que desde quando sua exploração começou. Nesse ponto, várias pesquisas são feitas. E de acordo com o The Inovation, existe um possível habitante para Marte capaz de sobreviver nas condições do planeta.

O mais curioso é que esse possível habitante para Marte vive aqui na Terra. E o que exatamente seria ele? De acordo com a descoberta feita pelos pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências (CAS), um tipo de musgo chamado Syntrichia caninervis, que é bastante comum no deserto de Mojave, poderia ser o ser vivo ideal para a modificação da atmosfera, geologia e ecossistema de Marte. Isso seria feito para que o Planeta Vermelho se tornasse propício par a vida humana ou outros tipos de vida terrestre.

Possível habitante de Marte

Olhar digital

Esse musgo pode ser o primeiro habitante de Marte porque quando ele foi exposto à fatores como desidratação, frio e radiação nos níveis vistos no planeta, ele conseguiu suportar tudo. Para se ter uma noção, a mais de 4.000 Gy, que é a dose de radiação absorvida, ele teve sinais de estresse, mas conseguiu se recuperar em aproximadamente 70% depois de 60 dias. Esse foi o melhor desempenho que os pesquisadores viram entre as plantas desidratadas.

Normalmente, as plantas não conseguem suportar mais de 1.000 Gy, já os humanos começam a sofrer convulsões e podem até morrer com cerca de 50 Gy. Ou seja, o musgo é extremamente resistente.

“Olhando para o futuro, esperamos que esse musgo promissor possa ser levado a Marte ou à Lua para testar ainda mais a possibilidade de colonização e crescimento de plantas no espaço sideral”, escreveram os pesquisadores no seu estudo.

Fonte: Olhar digital

Imagens: Olhar digital

Praia escondida há dois mil anos é reaberta ao público

Artigo anterior

Musk age em segredo, nomeia novo celular e surpreende o mercado

Próximo artigo