Muitos conhecem Buda por suas mensagens que trazem a verdade, a paz, humanidade e igualdade aos povos. Com seus ensinamentos, encontramos as ferramentas para conduzirmos nossas vidas de forma pacífica e feliz. Para iluminar nossas mentes e almas, em busca de elevarmos nosso espírito.

Seu verdadeiro nome é Siddhartha Gautama. Em muitas lendas, é o príncipe de um pequeno reino aos pés do Himalaia, que deixa sua família em busca de respostas que acabam guiando-o por uma jornada espiritual poderosa. Além de fundar um movimento religioso que sobrevive até os dias atuais. Hoje, preparamos uma lista incrível sobre alguns fatos que você provavelmente não conhecia sobre Buda. Confira!

1 - Não era um líder religioso

Provavelmente, você nunca encontrará em nenhum lugar uma alegação do "fundador" do budismo de que este estaria fundando uma religião. Não há registros históricos confiáveis onde Buda se considerava um líder religioso ou em que ele estava lançando as bases para um novo movimento.

O mais correto é dizer que Buda oferecia um caminho alternativo por rejeitar as formas tradicionais religiosas da cultura hindu. Somente depois de sua morte é que, a até então seita, se transformou em um movimento religioso.

2 - Não era um príncipe

Publicidade
continue a leitura

Não há bases históricas para creditar que, de fato, Buda era um príncipe, apesar de muitas lendas retratá-lo como tal. Acredita-se que seu pai, na verdade, fosse uma espécie de líder regional da organização social em que vivia Buda, e que se assemelhava a um sistema republicano em oposição à monarquia. Sua família era muito importante dentro desse sistema político.

3 - Poucos membros

Com base em registros históricos e arqueológicos, no começo da seita "fundada", por Buda não havia muitos seguidores. Mesmo após sua morte, tal movimento ainda era pequeno na Índia. Somente no terceiro século a.C. é que as coisas mudaram. Ashoka transformou o budismo em um religião na Índia.

Foi criado um clima social e político de aceitação das ideias budistas. No entanto, entre a morte de Buda e o tempo de Ashoka, as evidências arqueológicas, inscrições e documentos são escassos.

4 - Buda não é um deus

Publicidade
continue a leitura

Inúmeras figuras religiosas acabaram sendo elevadas ou até mesmo se afirmaram deuses, manifestações divinas ou profetas. Mas Buda nunca fez isso. Ele nunca se intitulou nem ao menos profeta. Ele simplesmente era um homem convicto de que o conhecimento e o esforço pessoal, não a devoção a deuses, eram os verdadeiros meios para a salvação.

5 - Ele não era vegetariano

A imagem de um Buda vegetariano é uma das reivindicações sobre sua vida sem suporte histórico. Nem mesmo as primeiras fontes budistas mencionam que Buda seria vegetariano. Na verdade, há muitos relatos descrevendo Buda comendo carne e até aconselhando o uso de caldos de carne para a cura de doenças. Relatos afirmam que a última refeição de Buda teria sido um javali.

6 - Prévias reencarnações

Publicidade
continue a leitura

No início, muitas tradições religiosas "competiam" com o budismo, tentando apoiar sua autoridade na alegação de que haviam se originado há mais tempo. Para reivindicar um nível de credibilidade, os primeiros budistas criaram várias obras literárias sobre os "budas do passado".

Tais obras buscavam enfatizar que os ensinamentos de Buda eram uma verdade atemporal. Curiosamente, o enredo dessas histórias são quase idênticos. Tendo todos os budas o mesmo nascimento, renúncia, momento de iluminação e a morte após comer carne .

7 - Buda divindade

Muitos círculos hinduístas consideram Buda uma divindade. Umas das múltiplas manifestações do deus Vishnu. E isso soa como uma grande ironia para uma pessoa que baseou seus ensinamentos na unicidade da humanidade e na igualdade entre as pessoas. Outra ironia, entretanto, é que ao elevar Buda a uma escala divina, sua imagem não se torna mais poderosa. No hinduísmo, repleto de divindades, Buda ser um deus o torna comum. Apenas mais um entre milhares.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Publicado em: 15/02/19 19h03