Você já foi ao cinema, passou duas horas sentado vendo um filme e saiu de lá sem entender nada? Acontece, enquanto uns saem em êxtase da sessão por ter conseguido imergir na proposta da narrativa, outros estão meio perdidos esperando que um amigo explique algumas coisas que pareceram não se encaixar muito bem.

Alguns filmes não te deixam relaxar um segundo e requerem cada mínimo momento de atenção para serem compreendidos perfeitamente. E, realmente, quando estamos tratando de temas como viagens no tempo, universos paralelos e dimensões diferentes precisamos estar 100% concentrados na narrativa. Cristopher Nolan, Stanley Kubrick e Terry Gilliam são alguns dos mestres em criar histórias assim.

Mas se você não entendeu algum filme, pode ficar calmo! A gente vai te explicar o que aconteceu e eu te juro que é mais simples do que parece. Confira explicações sobre cinco filmes, assista de novo e consiga apreciar plenamente essas obras!

1 - A Origem

Publicidade
continue a leitura

Se você não entendeu A Origem, de Christopher Nolan, provavelmente você bobeou no começo do filme quando Dom Cobb, interpretado por Leonardo DiCaprio, explica as regras sobre os mundos dos sonhos. Quando os personagens começam a colocar sua tarefa em ação as coisas parecem ficar mais complicadas, mas é só impressão. Para deixar mais simples de entender os sonhos têm uma ambientação completamente diferente um do outro, e também a questão da dilatação do tempo nos ajuda a identificar quais são as camadas exteriores e quais são as mais profundas. É por isso que a van demora tanto a cair da ponte! E sobre o pião que Dom Cobb gira para saber se está sonhando ou não: o último plano do filme é esse objeto justamente para a interpretação de se ele está sonhando ou acordado ficar nas mãos do espectador! A Origem foi um filme de tanto sucesso que um dos episódios do desenho Ricky e Morty também brinca com essa proposta de um sonho dentro de um sonho dentro de outro sonho...

2 - 12 Macacos

Provavelmente esse é o caso mais complicado de explicar da nossa lista. Na verdade, viagens no tempos sempre são um pouco confusas no começo, mas uma vez que você pegar a ideia central o desenvolver se torna mais fácil. Nessa obra de Terry Gilliam você precisa manter em mente que os eventos do passado não podem ser alterados. Então, quando James Cole é enviado ao passado para buscar a causa de um vírus mortal que devastou a humanidade, seu objetivo não é parar a catástrofe, mas conseguir uma amostra de algo que poderia dar origem a cura da doença.

3 - Donnie Darko

Publicidade
continue a leitura

Há grandes chances de Donnie Darko ter sido o primeiro filme a dar um nó na sua cabeça. Lançado no começo dos anos 2000, essa obra aborda temas como viagem no tempo e existência de linhas temporais diferentes. Segundo o que aprendemos em A Filosofia da Viagem no Tempo, livro usado durante a narrativa, a turbina de avião que cai no quarto de Donnie é um objeto vindo de uma realidade tangente, e a partir disso, são necessários duas figuras: o receptor vivo e o receptor morto. O receptor vivo é o protagonista Donnie, obviamente, e por isso ele obtém poderes como superforça, telecinese e controle de fogo e água: o que explica os acontecimentos estranhos que vemos como o incêndio na casa do pedófilo. Já o receptor morto é Frank, o colega vestido de coelho, após sua morte em uma realidade, ele realiza a primeira viagem no tempo até a linha temporal principal do filme para influenciar o receptor vivo para lhe indicar o caminho para realizar outra viagem no tempo. Quando Donnie consegue voltar no tempo e é visto em seu quarto, a turbina vai cair novamente e causar sua morte.

4 - Ilha do Medo

Publicidade
continue a leitura

Em Ilha do Medo, Teddy Daniels e seu parceiro Chuck viajam para uma ilha a fim de investigar acontecimentos estranhos de desaparecimento de pacientes num hospital psiquiátrico, e acabam descobrindo que o local realiza experimentos radicais nas pessoas e tratamentos não legalizados. A questão é que o problema não era o hospital e sim o próprio Teddy que na verdade se chama Andrew e é um dos pacientes desse hospital. Esse homem não sabendo lidar com a sua responsabilidade pela morte de sua família, cria uma realidade em sua mente onde ele é um herói e precisa salvar as pessoas. Os médicos do local sabem dessa situação e a utilizam como uma forma de tratamento para a doença do personagem, isso pode ser percebido pelo fato de que sempre que o investigador Teddy (que é Andrew) entra em conflito com os doutores, o diretor opta por closes nos médicos, indicando que aquele processo faz parte da análise do personagem.

5 - Amnésia

O título original desse filme de Nolan é Memento, palavra da expressão em latim Memento Mori que significa algo como: Lembre-se da morte. As filmagens de Amnésia são expostas da seguinte forma: sequências em preto e branco, e sequências coloridas sendo que as em preto e branco estão em ordem cronológica e as coloridas estão desordenadas. Mas, se você já assistiu algum filme do Tarantino já deve saber lidar com a não-linearidade do cinema. A intenção do diretor certamente foi deixar os espectadores perdidos durante a execução do filme, mas ao final, quando você compreender os dois tipos de sequências e elas se encaixarem tudo vai fazer sentido. Eu prometo.

Qual outro filme você assistiu e não entendeu? Deixe nos comentários e quem sabe no futuro a gente explique pra você direitinho o que aconteceu!

Publicado em: 25/07/17 19h06