7 animais que estão sendo forçados a evoluir graças aos humanos

POR Natália Pereira    EM Mundo Animal      14/05/18 às 18h13

Independente das crenças que compartilham, todos já ouviram falar e sabem pelo menos um pouco sobre a teoria da evolução. Dependendo da situação que elas tem que enfrentar, determinada espécie acaba passando por algumas transformações no decorrer dos anos a fim de se adaptar a circunstância e sobreviver a ela. Isso faz com que elas desenvolvam novas características e, consequentemente, se transformem em uma espécie diferente daquela que lhes deu origem.

Não é muito difícil perceber as mudanças que aconteceram com certas espécies até que, por fim, elas acabassem dando origem a uma diferente. Os evolucionistas propõem que as mudanças no ambientem acabam gerando uma seleção natural que obriga os animais a se adaptarem e, consequentemente, são responsáveis pela evolução das espécies. Alguns exemplos simples, voltados para o ser humano, por exemplo, foi a sua perda de pelo e a inutilidade dos dentes sisos. Acontece que, assim como o ser humano evoluiu, ele também tem forçado algumas outras espécies animais a fazer o mesmo e essas são algumas delas.

1 - Elefante

Os elefantes, assim como outras espécies de animais, tem evoluído para poder sobreviver e o causador de tudo isso é o próprio ser humano. Talvez você já tenha reparado a ausência das presas nos elefantes mas não soube o motivo e, por isso, vamos explicar melhor o porque. Apesar de ser o maior animal terrestre ainda vivo em nosso planeta, os elefantes são perseguidos por caçadores que vão em busca das suas presas de marfim. Leis vigentes a mais de 100 anos tentam impedir que isso aconteça mas, ainda sim, o número de animais dessa espécie tem diminuído. E, mais uma vez, a evolução acabou tendo que trabalhar para impedir que ele entre em extinção.

Alguns elefantes começaram a evoluir sem presas já à alguns anos. Para se ter uma ideia, em 1969, 10,5% dos elefantes da Zâmbia haviam nascido sem as presas devido uma mutação que as impedia de crescer. E, em 1989, essa porcentagem acabou aumentando para 38,3%. Isso tem acontecido porque a falta dessa presa faz com que eles saíam da mira dos casadores e aumenta a sua chance de sobrevivência. Daqui à alguns anos pode ser que eles simplesmente percam essa característica e a culpa, mais uma vez, é dos seres humanos.

2 - Bacalhau-do-atlântico

Os peixes servem de alimento para os seres humanos a mais tempo do que podemos imaginar e o Bacalhau-do-atlântico é um dos mais procurados devido o seu tamanho e sabor. Acontece que essa procura incessante acabou fazendo com que eles entrassem em perigo de extinção e fossem protegidos. Mas, ainda sim, a natureza acabou se sentindo obrigada a fazer algo à respeito. Fazendo com que essa espécie de peixe mudasse o seu tamanho e hábitos de acasalamento.

Isso porque, quando são capturados pelos seres humanos, eles tendem a escolher apenas os peixes maiores e devolver aqueles que ainda estariam em desenvolvimento para o mar. E, levando isso em consideração, o Bacalhau-do-atlântico que começava o seu ciclo reprodutivo aos 6 anos passou por uma maturidade sexual que o fez iniciar esse período aos 5 anos. Isso faz com que ele tenha mais chances de se reproduzir antes de se tornar uma presa para os humanos.

3 - Percevejo

Os percevejos estão longe de serem adorados pelos seres humanos e isso fez com que eles tivessem a necessidade de se adaptar, a fim de sobreviver. E, se assim como muitos você tem encontrado dificuldade para eliminá-los, acredite, a culpa disso também é nossa. Esse inseto tem evoluído para se tornar mais resistentes aos pesticidas desenvolvidos para matá-los. Para que isso seja possível, por exemplo, a espessura do seu exoesqueleto acabou aumentando. E, como esse problema é enfrentado apenas pelas espécies de percevejos que se alimentam do sangue de humanos, a evolução destes tem se mostrado bem diferente daqueles que atacam outros mamíferos como os morcegos.

4 - Camundongo

O ódio pelos roedores parece ter se tornado cada vez mais evidente. E, para solucionar o problema, os humanos acabaram desenvolvendo diversos venenos para combatê-los. Acontece que a maioria deles é feito a base de 'Varfarina' e, recentemente, uma espécie híbrida tem se mostrado resistente a ele. O mais interessante é que, diferente de outros híbridos como a mula, uma espécie de roedor alemão e uma argelina deram origem a um animal com a capacidade de reprodução. Além disso, a sua resistência ao veneno mais utilizado - 'Varfarina', torna o seu extermínio ainda mais difícil e outras mutações como essa podem acabar sendo provocadas.

5 - Microgadus tomcod

Diferente de algumas outras evoluções observadas na natureza, essa espécie de peixe acabou se transformando extremamente rápido. Isso permitiu que uma mudança pudesse ser vista depois de 20 ou 50 gerações. Acontece que essa evolução, apesar de ter permitiu que o Microgadus tomcod sobrevivesse a poluição, pode acabar sendo a causa da sua extinção. A espécie, que pode ser encontrada no rio Hudson, se tornou imune aos efeitos tóxicos dos PCBs presentes no seu ambiente natural. Mas, esse composto acabou sendo proibido por volta de 1970 e as empresas tem trabalhado para remover os PCBs do rio.  Tal ação, apesar de ser o certo se pensarmos de forma geral, pode acabar desenvolvendo um ambiente inadequado para esse peixe.

6 - Coruja

A atuação do ser humano no planeta Terra tem contribuído para a mudança climática e isso tem afetado os mais diversos animais. Acontece que, recentemente, um estudo feito sobre uma população de corujas mostrou que a cor da sua plumagem é hereditária, sendo passada para os seus descendentes. No geral, a maioria das espécies desse animal tem as penas na cor cinza. Mas, aparentemente, isso tem mudado. Elas tem mudado a sua cor para tons de marrom devido o aumento da temperatura.

Isso tem acontecido porque a coloração marrom também tem as ajudado a prosperar. Uma análise de aves antigas mostra que aquelas com as penas mais escuras tinham uma taxa de mortalidade maior durante o inverno. Mas, como esse tem se tornado cada vez mais curtos, o crescimento de corujas marrons tem sido mais comum.

7 - Oncorhynchus gorbuscha

Conhecido como 'salmão-rosa', essa espécie de peixe tem mudado seu marcador genético e alterado a forma como migram. Acontece que, em determinado período do ano, esse animal nadava para a parte mais acima do rio a fim de fugir da temperatura quente que se instalava no fundo. Mas, como o clima tem se mostrado instável, ele teve que mudar o seu comportamento e migrar no início do ano, ao invés do final como era feito antes. Esse comportamento faz com que eles tenham mais chance de sobreviver e não morram antes de desovar.

Todas essas espécies de animais tem evoluído por conta de ações humanas, mesmo que muitos não soubessem essa verdade. O que achara? Já sabiam que esse era o causador e que elas estavam se transformando?

Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+