Curiosidades

7 artefatos encontrados em lugares estranhos que confundiram cientistas

0

Descobrir um artefato muitas vezes sem nem estar procurando por aquilo é sempre uma boa descoberta. Através de algum objeto ou fóssil, os cientistas, pesquisadores e arqueólogos podem ver e entender como eram as pessoas ou coisas em tal período de tempo e os costumes que elas tinham.

Mas achar algum artefato fora de contexto também pode ser bastante problemático, porque ele pode não se ligar a nada e levar as considerações para um lado totalmente oposto daquele que o objeto remete. Listamos alguns desses artefatos que levaram os cientistas a acreditarem em teorias longe da realidade.

1 – Artefato Coso

Esse artefato foi encontrado em 1961, na Califórnia, quando três pessoas que estavam caçando pedras preciosas o acharam. Primeiramente, eles acharam que tinham achado um geodo, que é uma rocha oca com minerais brilhantes. Mas o artefato era diferente, ele tinha um cilindro parecido com porcelana e uma fina haste de metal que estava em uma caixa hexagonal de cobre. Por essa aparência, já se viu que não se tratava de um geogo, já que eles datam de 500.000 anos.

Os campos mais sérios da ciência e arqueologia nunca deram muita moral para o artefato, mas várias teorias sobre o que ele poderia ser, surgiram. Alguns disseram que era algo pertencente à Atlântida, já outros acharam que foi deixado aqui na Terra por seres de outros planetas. Foi em 1999, que uma equipe pegou algumas imagens do artefato e viram que ele se parecia muito com uma vela de ignição velha e quando eles mostraram para alguns colecionadores, o mistério foi solucionado. Se tratava de uma vela de ignição dos anos 1920.

2 – Pedras de Beringer

Johan Beringer era um respeitado médico, historiador natural e cientista do início do século XVIII. O que se sabe é que ele não gostava de errar. Em uma escavação, seus estudantes decidiram brincar com ele e plantaram fósseis com as formas mais bizarras e Beringer achou que eles fossem verdadeiros. Baseado nesses falsos fósseis, ele começou a desenvolver uma teoria e até publicou um livro com ela. Logo depois que o livro saiu, Beringer encontrou outro fóssil dessa vez com seu nome escrito nele e aí viu que tudo não passava de uma brincadeira.

Segundo algumas versões, Beringer morreu pobre e frustado tentando comprar todas as edições existentes do seu livro. Mas a realidade foi que o historiador descobriu quem fez a brincadeira com ele e os processou, continuando com sua carreira e ainda escrevendo vários livros depois disso.

3 – Dedo do Yeti Pangboche

Uma grande mão humana com unha afiada e pele negra e crocante foi descoberta, em 1958, por um aventureiro que estava no mosteiro de Pangboche, no Nepal. Para conseguir um dedo da relíquia do mosteiro, o aventureiro combinou uma doação e algum substituto à altura. O dedo foi levado para os cofres do Museu Hunterian do Royal College of Surgeons, em Londres.

Somente em 2008, alguém resolveu fazer alguns testes no dedo trazido e tiveram quase certeza de que era de um humano. Por mais que o pequeno pedaço do dedo que estava no museu era certamente de um humano, eles queriam pegar mais evidências em Pangboche, mas o mosteiro teria sido roubado e as evidências foram junto.

4 – Kensington Runestone

Essa antiga pedra viking foi encontrada em Minnesota em 1898, quando Olaf Ohman desenterrou a pedra de 90 quilos com escritos antigos. Um tempo depois, os debates sobre a origem da pedra começaram. Os acadêmicos pensam que os vikings provavelmente não viajaram até o Lago Superior e tentaram provar que a pedra era falsa.

Em 2011, um grupo de pesquisa conseguiu provar que a pedra era uma falsificação. Eles conseguiram decifrar os escritos da pedra e viram que não passou de uma brincadeira elaborada.

5 – Sino Tamil

O mistério desse sino não é quem o fez ou quando. Ele foi feito entra 1400 e 1540 d.C. O mistério é como ele acabou em uma aldeia maori na Nova Zelândia, sendo usado como uma panela. O motivo é porque não existem registros de visitas na área antes de 1840, quando o europeu William Colenso conheceu essa aldeia.

Os aldeões disseram que tinham encontrado o sino nas raízes de uma árvore que tinha sido derrubada por uma tempestade. O motivo de como aquele sino foi parar na aldeia ninguém sabe, mas segundo algumas teorias o dono do sino era Tamil, que tinha vários navios no porto de Nagapattam, no sudoeste da Índia. E algum dos barcos teria sido tomado e abandonado depois. Ao que se sabe, com o tempo as correntes do mar o levaram para a aldeia.

6 – Lâmpada Dendera

O Templo de Hathor em Dendera, no Egito, tem várias cavernas, corredores subterrâneos e uma das paredes com uma imagem da Lâmpada Dendera que se parece com um tubo de crookes. Segundo alguns programas de televisão, a imagem prova a existência das misteriosas tecnologias antigas.

Essa teoria mudaria completamente a maneira de ver os povos do Antigo Egito, mas, segundo os historiadores, o que a figura representa é a flor de lotus e seu aroma saindo.

7 – Pot Dorchester

Esse objeto metálico foi encontrado depois de uma explosão, no século XIX, em duas partes. Ele estava escondido nas pedras por cerca de 500 milhões de anos, o que significava que não tinha sido feito por um homem. E logo começaram as teorias de que talvez pertencesse a uma civilização alienígena antiga.

Mas a verdade é que ele era um porta-tubos indiano da era vitoriana, ou seja, datava de pouco tempo antes de sua descoberta em 1852. O que ninguém soube é porque ele não foi reconhecido logo de cara. E como ele entrou dentro da rocha? Bom, provavelmente ele não entrou, já que ele foi achado nos escombros da explosão.

7 fatos sobre lobos que você não sabia

Matéria anterior

7 personagens superpoderosos dos animes que são mais fortes que Naruto

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos