A franquia Avatar voltou a ganhar destaque ultimamente. Como se não bastasse o lançamento de novos livros com a Avatar Kyoshi, também tivemos a maravilhosa notícia sobre a nova série live-action da Netflix. A série clássica foi um sucesso da Nickelodeon e todos os episódios estão disponíveis na Netflix. Enquanto o live-action não chega, que tal rever o desenho?

Quem conhece a Fatos Nerd sabe que adoramos trazer curiosidades sobre as produções de desenhos, animes e séries. Recentemente fizemos uma lista sobre a produção de Naruto, e dessa vez resolvemos trazer sobre o desenho Avatar. Se liga aí:

1- Os criadores odiaram a falta de representatividade do filme live-action

O fracasso do filme live-action de Avatar foi devido a vários motivos. Um deles foi a falta de representatividade no elenco. Bryan Knietzko, o diretor do desenho, comentou que personagens como Sokka e Katara deveriam ter a pele mais escura. Depois da notícia de que a Netflix irá produzir uma série live-action de Avatar, os criadores comentaram sobre o assunto mais uma vez: "Não podemos esperar para realizar o mundo de Aang de maneira tão cinematográfica quanto sempre imaginamos, e com um elenco culturalmente apropriado e não-branco".

2- Os criadores defendem a relação de Korra e Asami

Publicidade
continue a leitura

O final de Avatar: A lenda de Korra foi surpreendente. A confirmação do relacionamento romântico entre duas mulheres foi um movimento que ninguém esperava. A inclusão de um romance LGBTQ em um programa infantil foi arriscada, mas o público recebeu a novidade de braços abertos. No entanto, muitos fãs acreditam que esse romance foi colocado apenas por causa dos fãs que já shippavam o casal - ou seja, fanservice. Sobre isso, Bryan Knietzko comentou: "Quanto mais o relacionamento de Korra e Asami progredia, mais a ideia de um romance entre elas organicamente floresceu para nós."

3- Executivos da Nickelodeon estavam receosos em colocar uma menina como protagonista

A ideia de colocar uma protagonista feminina em desenhos para ambos os sexos ainda é vista como risco por alguns executivos, mas existem autores que estão dispostos a enfrentar essas críticas e dar um passo adiante na caminhada pela igualdade de gênero. Com Avatar: A Lenda de Korra não foi diferente. Bryan Knietzko falou sobre isso também: "Alguns executivos da Nickelodeon estavam preocupados em apoiar um anime de ação com uma protagonista feminina. A sabedoria convencional da TV diz que as garotas assistem a programas sobre garotos, mas garotos não assistem a programas sobre garotas. Os garotos disseram que não se importavam com o fato de Korra ser uma garota. Eles apenas disseram que ela era incrível".

4- O silêncio de Iroh, coincidentemente, se tornou um memorial

Publicidade
continue a leitura

Poucas pessoas sabem que Mako, o dublador original de Iroh, faleceu devido a uma doença durante a segunda temporada da série. Ao retornar para a terceira temporada, Iroh aparece em silêncio na prisão. Essa cena serviu como um memorial para o dublador. O que muitos não imaginam é que isso foi totalmente acidental. Bryan Konietzko explica: "Na verdade, tínhamos escrito que o Iroh não falaria no início da terceira temporada, o que na verdade não tinha nada a ver com a situação de Mako. Foi planejado muito antes de sabermos disso, então funcionou, nos deu tempo para encontrar alguém para substituí-lo, mas foi apenas isso... aconteceu dessa maneira. Coincidência".

5- Os criadores tiveram que diminuir a influência da cultura japonesa

Os criadores de Avatar pegaram influências de diversas culturas ao redor do mundo para compor a sua mitologia. Isso é refletido tanto em seus personagens quanto em suas nações. A Nação do Fogo, em específico, passou por uma situação delicada com a cultura japonesa. O escritor-chefe Aaron Ehasz falou sobre o assunto: "Você não quer, acidentalmente, dizer algo ruim sobre uma cultura. Por exemplo, no início muitos dos designs para a Nação do Fogo eram inspirados em desenhos do Japão, o que criou um problema - você tem uma nação ruim, e se todos seus designs eram japoneses, você projeta uma mensagem pobre sobre sua cultura. Nós retrabalhamos completamente a arte para que ela fosse mais amplamente inspirada".

6- O show foi criado para servir as necessidades da rede após a ideia original do criador ser rejeitada

Publicidade
continue a leitura

Nem sempre nossa primeira ideia é a melhor. Lembro-me até hoje de um professor que sempre me dizia: "Coloque dez ideias no papel, quando terminar, jogue-as fora e escreva mais dez". O que geralmente acontece é que as primeiras ideias são aqueles que todo mundo tem, as mais comuns. Com os criadores de Avatar foi a mesma coisa. Bryan Konietzko disse: "Mike e eu voltamos à estaca zero. Apresentamos todas as ideias que tivemos na mesa indiscriminadamente". Após vários brainstorms, um desenho de Konietzko e muita paciência, Avatar: A Lenda de Aang foi criado.

7- Nickelodeon parou de exibir Korra sem avisar os criadores

Existem vários motivos para trocar a programação de uma série. Avatar: A Lenda de Korra sofreu diversas mudanças. Inicialmente, a série foi transferida do período matutino para o noturno. A explicação para essa troca foi uma tática de marketing para que a série conseguisse atrair um público mais adulto. No entanto, sua última troca foi a mais drástica e nem os criadores ficaram sabendo da mudança. O terceiro livro saiu da TV e foi para a internet. A explicação foi que, aparentemente, Korra fazia mais sucesso online do que no canal. Sobre isso, Konietzko disse: "Ela definitivamente nos pegou de surpresa e não foi necessariamente feita da maneira mais suave e isso foi perturbador para muitos de vocês e para nós também".

Qual curiosidade mais chamou sua atenção? Conta pra gente nos comentários. Até a próxima.

Publicado em: 02/10/18 17h17