História

7 exemplos medonhos de como doenças mentais já foram tratadas

0

Se você acha que hoje em dia passar por algum tratamento ou terapia pode ser difícil, você não conseguiria imaginar como esses distúrbios eram tratados no passado. Se você voltasse a algumas décadas atrás, começaria a achar que antipsicóticos são remédios bem tranquilos perto dos métodos utilizados antigamente. Esses tratamentos, muitas vezes, podiam piorar sua condição ou até te deixar com sequelas irreversíveis.

E não era só os métodos, qualquer coisa que fugisse do “padrão” da época era considerado uma doença mental. Se seu filho fosse “teimoso”, ele tinha uma condição metal, se mulheres sentiam tesão, elas tinham uma condição mental, se você tivesse depressão (ou se achasse que tivesse), eles te eletrocutavam (literalmente). Ainda bem que mudamos vários de nossos conceitos e descobrimos métodos menos “medievais” que os de antigamente.

Hoje a Fatos  Desconhecidos traz para você alguns dos métodos e práticas mais absurdas da medicina “psiquiátrica” de décadas atras. Muitas dessas abordagens são tidas hoje como formas completamente absurdas de se tratar uma pessoa. Descubra 7 exemplos medonhos de como doenças mentais já foram tratadas.

1 – Choque Elétrico

Se você acha que combater a depressão é algo difícil hoje em dia, imagina na década de 30. Nessa época as pessoas passavam por um tratamento de choque. Esse método anti-depressivo era chamado de terapia eletroconvulsiva.

2 – Lobotomia

Em 1948, Egash Monish, ganhou o prêmio Nobel por inventar esse método. Certa vez, um garoto chamado Howard Dall, de 12 anos, foi lobotomizado só pelo fato dele não se comportar. Sim, em 1940, se você fosse um “pestinha”, as pessoas furavam seu cérebro… Literalmente. Outro caso famoso é da irmã de John F. Kennedy, ex-presidente do Estados Unidos. Ela foi lobotomizada por conta de mudanças de humor e comportamento agressivo.

3 – Exorcismo

Se uma pessoa está com algum transtorno ou condição mental, a culpa é de espirito malignos, claro. Curiosamente, após o processo de exorcismo de uma pessoa que sofria de esquizofrenia, ou até mesmo um transtorno de ansiedade, muitas vezes o trauma era piorado… Mas é claro, isso era por causa que “o capeta era muito forte na pessoa”.

4 – Poço de Cobras

Essa história de possessão demoníaca fez vários enfermos ficarem pendurados em poços de cobras. Um poço de cobras? Sim, um poço de cobras! Eles achavam que dessa forma iriam espantar os demônios da mente da pessoa.

5 – Hidroterapia

Não, esse método do começo do século 20 não se tratava de um banho relaxante. Está mais para uma tortura que usava jatos fortes de água e lençóis de gelo. As pessoas eram deixadas ali por horas até que “melhorassem” ou tivessem uma hipotermia.

6 – Trepanação

Na antiguidade, uma das primeiras operações utilizadas para tratar males mentais foi a trepanação. Basicamente as pessoas faziam um buraco no crânio do enfermo para que lá de dentro os “demônios” e espíritos malignos saíssem.

7 – Orgasmos

Existiu uma época que se a mulher sentisse tesão, qualquer variação de humor ou tivesse “mal comportamento”, era considerado uma doença mental. O que hoje as mulheres chamam de insatisfação sexual era chamado de histeria antigamente. O tratamento para insônia, pensamento “pervertidos”, fantasias sexuais e estresse baseava-se em dar orgasmos a mulheres no século 20 como forma de tratamento. Bom, com a evolução da ideia da sexualidade feminina, alguns médicos inventaram os primeiros vibradores.

E aí, o que você achou dessa matéria? Deixe seu comentário e até a próxima.

Como seria se homens e mulheres invertessem os papéis na publicidade?

Matéria anterior

25 personagens da nossa infância reimaginados como meninas

Próxima matéria

Mais em História

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.