7 fatos sobre pinturas famosas que todo mundo vai querer saber
Tempo de leitura:3 Minutos, 48 Segundos

7 fatos sobre pinturas famosas que todo mundo vai querer saber

A arte em suas diversas formas traz consigo vários significados, interpretações e resoluções. E mesmo que não seja de interesse de todos, algumas grandes obras trazem consigo alguns fatos curiosos sobre a sua origem. Principalmente as pinturas, que para muitos pode ser entediantes e chatas, mas carregam em si detalhes interessantes por trás da sua história. Seja a técnica usada pelo artista, a sua impressão, ou a inovação, por trás de muitas pinturas. Enfim, existem histórias sobre sua criação, detalhes que passaram despercebidos e mesmo questões estranhos sobre elas.

Hoje vamos listar aqui algumas curiosidades sobre pinturas famosas que muita gente não sabe. Confira!

1 – Gafanhoto no quadro de Van Gogh

Vincent Van Gogh foi um grande pintor que deixou um enorme legado de grandes pinturas. Seu traço característico é conhecido em todo o mundo. Em 2017, pesquisadores do Museu de Arte Nelson de Atkins, nos Estados Unidos, encontraram um gafanhoto seco em uma de suas obras, a pintura Olive Trees. O quadro foi pintado em 1889, ou seja, o gafanhoto esteve ali por mais de 120 anos e teve a honra de ver um dos pintores mais importantes e fazer parte de uma de suas obras.

2 – O gato e a criança

A inundação que a Holanda sofreu em 1421, onde 72 aldeias foram inundadas e mais de 100 mil pessoas se afogaram, foi retratada em uma das obras de Lawrence Alma-Tadena, no quando Inundação em Biesboch, em 1421. O pintor decidiu retratar em sua arte uma lenda local sobre o acontecimento.

A lenda conta que, após a inundação, os sobreviventes encontraram um berço em um pedaço de terra. Nele estava um gato, pulando de um lado para o outro no berço, eles então salvaram o animal, mas para a surpresa de todos, quando se aproximaram, encontram dentro do berço um bebê dormindo. O gato estava pulando para a frente e para trás para manter o equilíbrio para que a água não chegasse até a criança.

3 – O bem e o mal

A pintura O casamento Desigual de Vasily Pukirev foi feita com a intenção de se dividir a tela em duas partes semânticas, que personificam o bem e o mal. Se você dividir a tela em duas partes, da metade direita você verá a noiva e seus dois amigos, enquanto na outra parte a esquerda estão os convidados do noivo. Os rostos desagradáveis foram uma escolha proposital do artista, para enfatizar a sua mensagem.

4 – Uma obra com dois autores

Na pintura Manhã em uma floresta de pinheiros, muitas vezes você encontrará a autoria de Ivan Shishkin. Mas, na verdade, ele pintou apenas a floresta, enquanto os ursos retratados na imagem foram pintados por Konstantin Savitsky, que terminou o quadro de acordo com os esboços de Shishkin. Mas, para o colecionador Pavel Tretyakov, em sua opinião, do desenho a execução tudo remente ao estilo e método criativo peculiar de Shishkin, por isso ele fez questão de apagar o nome de Savitsky do quadro.

5 – O reflexo

Na pintura de Alexander Ivanov, A Aparição de Cristo ao Povo, no canto a esquerda é possível ver um homem velho vestindo uma tanga cinza clara. E por estar próximo um lago o seu reflexo na água é vermelho. Pode ser que nos esboços iniciais a roupa seria vermelha, e na versão final, o pintor se esqueceu de mudar também a cor do reflexo.

6 – Versões de uma mesma mulher

Karl Bryllov em sua pintura O Último Dia de Pompéia retratou a sua amada condessa Julia Samoilova entre uma multidão. O fato interessante é que, segundo historiadores de arte, nessa pintura onde é retratada diversas pessoas, a imagem de Julia é incorporada em várias mulheres na pintura, ao menos 4 vezes.

7 – O gênero do personagem

A obra de Fyodor Rokotov, Retrato de um homem desconhecido em um chapéu armado, de 1770, carrega um mistério por trás da sua origem. Existem duas versões sobre o personagem retratado na pintura. Em uma delas, o homem retratado seria o conde Bobrinsky, filho de Catarina II.

A outra versão é baseada em dados de raios-x, que mostra que a imagem foi pintada sobre o desenho de uma mulher, cujo rosto foi preservado e mantido na versão final do quadro. A pose e o traje foram alterados pelo artista. Especula-se que a mulher seria Olimpíada Balbekov, primeira esposa do poeta Nikolai Struysky, e que após a sua morte, ele pediu que o pintor refizesse o retrato em respeito a sua nova esposa.

E você, já sabia algum desses fatos? Conta para a gente nos comentários.