• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 histórias surreais por trás de grandes eventos da humanidade

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      10/05/19 às 14h45

Os historiadores são frequentemente questionados sobre o uso ou relevância do estudo da História. Qual o objetivo em estudar o passado e os seus legados no presente? Bem, para começar, todas as pessoas e povos são histórias vivas. Para dar alguns exemplos óbvios: as comunidades falam idiomas herdados do passado. Além disso, vivem em sociedades com culturas, tradições e religiões complexas que não foram criadas no calor do momento. As pessoas, inclusive, usam tecnologias que elas próprias não inventaram. Sem contar que cada indivíduo nasce com uma variante pessoal de um modelo genético herdado, conhecido como genoma, que evoluiu durante toda a vida da espécie humana. Entendeu onde eu quero chegar? E, vamos ser bem sinceros, os processos históricos estão repletos de momentos incrivelmente estranhos. Como explicá-los sem registros prévios com detalhes sobre o contexto de cada circunstância? Como entender a história sem a História? É por meio dela que descobrimos histórias surreais por trás de grandes eventos da humanidade.

Compreender as ligações entre o passado e o presente é absolutamente básico para uma boa compreensão do que constitui o ser humano. Ainda mais quando estamos falando de bizarrices registradas. A corda bamba entre ficção e realidade pende à verossimilhança por meio da História.

1- O veneno Halley

Muitas pessoas se aproveitaram do fenômeno Halley quando ele nos visitou em 1910. As vendas de telescópios aumentaram exponencialmente quando o cometa se aproximou. Tudo isso para vê-lo bem de perto. Os hotéis até ofereciam ofertas especiais para que as pessoas pudessem se reunir em cima de seus telhados.

Contudo, nem todos estavam satisfeitos com a aparição do cometa, pois achavam que ele acabaria com toda a civilização. Essa ideia teve como base os preceitos de Camille Flammarion. O astrônomo francês acreditava que a cauda de 24 milhões de quilômetros do cometa continha um venenoso gás cianogênico. Segundo ele, o veneno "impregnaria a atmosfera e possivelmente extinguiria toda a vida do planeta".

Infelizmente, o New York Times fez um artigo sobre a teoria apocalíptica de Flammarion e a conspiração correu solta. Então, além dos telescópios, as pessoas começaram a revistar lojas em busca de máscaras de gás.

2- Os vaga-lumes congelados no Sistema Solar

John Glenn participou do projeto Mercury Seven, sendo o primeiro norte-americano a orbitar a Terra. Em 20 de fevereiro de 1962, ele subiu a bordo do Friendship Seven. Enquanto monitorava a espaçonave, Glenn circulou o planeta três vezes em cerca de cinco horas. Você diria que ele mal se lembrou de perceber o espaço ao seu redor, considerando o pouco tempo em que tanta coisa aconteceu? Certo? Bem, digamos que pequenas luzes brilhantes chamaram sua atenção nesse ínterim.

Enquanto Glenn circulava pela Terra na segunda vez, olhou para fora e percebeu que a espaçonave estava cercada por minúsculos "brilhos". Atemorizado, disse ao Mission Control que ele estava "em uma grande massa de milhares de partículas muito pequenas que são brilhantemente iluminadas como se fossem luminescentes". O astronauta ainda afirmou que cada orbe parecia "um vaga-lume em uma noite escura e real".

Nem Glenn e nem a NASA sabiam o que estava acontecendo. Alguns suspeitavam de extraterrestres. Outros, como o próprio astronauta, acreditavam que era uma espécie de milagre. Esses vaga-lumes, para falar a verdade, tinham uma explicação simples e mais realista. A espaçonave Mercury estava equipada com uma abertura que projetava os fluidos corporais do astronauta no espaço. Quando o líquido foi lançado no vazio, acabou congelando instantaneamente. As gotas, se a luz atingisse no ângulo certo, brilhariam como mil pequenos "vaga-lumes celestes". Essa é uma das histórias surreais por trás de grandes eventos da humanidade.

3- A morte de Edgar Allan Poe

Em 27 de setembro de 1849, Edgar Allan Poe deveria viajar de Richmond, na Virgínia, para a Filadélfia. Ele ia ajudar um colega escritor a editar poesias, mas nunca chegou à Cidade do Amor Fraterno. Em vez disso, de alguma forma, acabou indo para Baltimore, Maryland. Ninguém sabe como ele chegou lá ou o que estava fazendo. Poe foi encontrado na rua do lado de fora de um bar chamado Gunner's Hall. Estava deitado, pouco consciente e vestindo roupas usadas de outra pessoa.

Tragicamente, o escritor passou seus últimos dias inconsciente ou repetindo o nome "Reynolds". Poe acabou morrendo em 7 de outubro e, desde então, tem havido todo o tipo de teorias sobre a causa de sua morte. Uma das mais críveis está ligada ao processo de cooping que acontecia na época.

No século 19, o processo de votação era realmente perigoso. Trapaceiros conhecidos como "tanoeiros" tiravam as pessoas das ruas, espancavam-nas e faziam com que elas ingerissem ópio. Tudo isso para que as vítimas fossem votar sem plena consciência do que estavam fazendo. Com o objetivo de disfarçar esses eleitores drogados, os tanoeiros vestiam suas vítimas em trajes diferentes. A teoria explica tanto a mudança de roupas de Poe como seu estado delirante. O escritor, ainda por cima, foi encontrado justamente no dia da eleição, em frente ao espaço que também servia como local de votação.

4- A salvação é celestial

Em agosto de 1914, a Primeira Guerra Mundial estava apenas começando. Os alemães se preparavam para invadir a França, mas primeiro tiveram que passar pela British Expeditionary Force. O BEF conseguiu deter os germânicos durante certo período, mas foram forçados a recuar.

Segundo algumas pessoas, no entanto, a vitória foi britânica. Quando as coisas ficaram difíceis, um bando de anjos desceu dos céus e dizimou os alemães. Este conto alá Antigo Testamento se espalhou por toda a Inglaterra, cortesia de livros, jornais e igrejas. Muitos dos fiéis ingleses acreditavam sinceramente que seres do outro mundo tinham aparecido em Mons, na Bélgica, com espadas flamejantes. Como tudo isso começou?

Semanas após a batalha, um escritor de ficção chamado Arthur Machen escreveu um conto chamado "The Bowmen". Nele, arqueiros medievais fantasmagóricos aparecem em Mons para ajudar a combater os alemães. A história foi publicada no The Evening News e, enquanto foi claramente inventada, "The Bowmen" disseminou o início de uma histeria coletiva. Relatos de soldados, similares à história, incendiaram o consciente regional. Essa é uma das histórias surreais por trás de grandes eventos da humanidade.

5- O cheiro doce de Illinois

Mais um caso de histeria coletiva aconteceu no outono de 1944, em Mattoon/Illinois. No dia 1º de setembro do mesmo ano, uma mulher e sua filha de três anos adoeceram depois de sentir um cheiro doce em sua casa. A mãe ficou paralisada, mas o seu marido avistara um misterioso ladrão à porta da casa. A história foi publicada no The Daily Journal-Gazette, um jornal local que implicava que mais "ataques" poderiam acontecer.

Logo após o relatório, três pessoas apresentaram histórias semelhantes. De acordo com um casal, eles acordaram em 31 de agosto de 1944 depois de detectar um cheiro doentio. O marido começou a vomitar, enquanto a esposa não conseguia mexer as pernas.

A polícia nunca capturou o criminoso dotado de anestesias mortais, mas provavelmente é porque ele não existia. Os médicos nunca encontraram nada de errado com as vítimas e a polícia não percebeu vestígios de produtos químicos. Enquanto alguns culpam as emissões de plantas industriais próximas da região, o famigerado ladrão foi provavelmente o resultado da histeria em massa, provocada por reportagens irresponsáveis ??do jornal local.

6- Estreptococo

O mundo se viu rodeado por inúmeras epidemias terríveis, mas nenhuma foi tão misteriosa quanto a encefalite letárgica. A doença apareceu pela primeira vez em 1916, mas realmente começou a se espalhar durante os anos 20. Ela causou todos os tipos de sintomas, como tremores, psicose e sonolência. Além disso, foi incrivelmente letal, matando cerca de um milhão de pessoas. Aqueles que sobreviveram foram muitas vezes "trancados dentro de seus próprios corpos".

Então, no final dos anos 20, a doença simplesmente desapareceu, deixando um número assombroso de pacientes em coma. Por décadas, parecia que a doença havia realmente desaparecido, até que retornara no ano de 1993. Desta vez, no entanto, um trio de médicos - John Oxford, Andrew Church e Russell Dale - refutaram a hipótese. Esses profissionais descobriram que a maioria das vítimas dos tempos modernos contraíram uma forma rara de estreptococo. Esta bactéria bizarra sofre mutações e fazem com que o sistema imunológico ataque o cérebro.

7- A mãe de coelhos

Em setembro de 1726, uma inglesa chamada Mary Toft deu à luz ao que parecia ser um intestino de gato. Quando o obstetra local John Howard chegou em sua casa, ajudou Toft a desprenhar pernas do mesmo animal e nove coelhos mortos. Oi? Logo, a notícia dos nascimentos milagrosos chegou ao rei Jorge I.

Mas espera aí que esta história não durou muito tempo. Depois que um médico ameaçou realizar uma cirurgia para averiguar o que tinha acontecido, Toft confessou que era tudo uma farsa. Na esperança de ganhar dinheiro em shows malucos (e enganar alguns médicos proeminentes), Toft estava inserindo os coelhos dentro da vagina e depois empurrando-os para fora. Meu Deus do céu. Essa é definitivamente uma das histórias surreais por trás de grandes eventos da humanidade.

Viu como só a história é capaz de nos informar o que realmente aconteceu há centenas de anos? Por isso, é mais do que importante não subestimá-la ou menosprezá-la. Até porque ela tem muito a nos mostrar ainda.




Matérias selecionadas especialmente para você

Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+