7 propagandas que foram tiradas do ar por serem consideradas machistas
Tempo de leitura:5 Minutos, 12 Segundos

7 propagandas que foram tiradas do ar por serem consideradas machistas

Não é de hoje que o machismo está presente na publicidade, e não estamos falando só aqui no Brasil, o machismo está presente em peças publicitárias do mundo inteiro. O costume de apelar para a sensualidade da mulher em propagandas de cerveja é algo que podemos ver circulando por aí há muito tempo, sempre mostrando uma mulher sarada, na praia, tomando cerveja e sendo apreciada pelos homens. Falando em propagandas, vocês já leram a nossa matéria com as 17 propagandas super fortes sobre cigarro?

Bom, mas nem sempre isso dá certo, algumas marcas dão verdadeiros vacilos e acabam tendo que tirar suas propagandas do ar por serem muito ofensivas. Tendo isso em mente, nós resolvemos trazer para vocês algumas propagandas que foram retiradas do ar por serem consideradas machistas, confiram:

1 – Schin – Propaganda para Oktoberfest

Essa propaganda foi feita para a Oktoberfest, em Blumenau, Santa Catarina, mas foi retirada do ar por ser acusada de machismo. No vídeo, alguns amigos chegam na cidade e encontram mulheres bonitas atuando em diversas profissões como motorista de ônibus, pedreira, mecânica, profissões que geralmente são exercidas por homens.

No final, a propaganda faz uma piada com duplo sentido, quando um dos amigos está tocando um instrumento e uma mulher comenta “Toca nada, hein?”, o rapaz responde, “Ih, toca pra gente então!”. A página do Facebook da Schin foi bombardeada por reclamações, acusando a propaganda de ser machista, nojenta, ofensiva e vergonhosa.

2 – Vono – “Mulheres não sabem o que querem, mas querem agora”

Segundo tal ilustração postada na página da Vono, as mulheres não sabem o que querem, mas querem agora. Em resposta a ilustração, várias seguidoras despejaram seu ódio diante de tal ilustração, onde uma delas até chegou a comentar o seguinte: “Sabe o que eu quero, Vono? Consumir produtos que não disseminem mensagens sexistas e que me respeitem como consumidora e ser humano. Por isso, Vono, eu não quero você.”

A resposta da Ajinomoto, responsável pela marca Vono foi a seguinte: “Em relação às postagens na fan page de VONO no Facebook, a Ajinomoto do Brasil, empresa proprietária da marca, esclarece que se trata de uma peça publicitária que recorre ao humor sem a intenção de julgar homens ou mulheres. A companhia lamenta o ocorrido e se desculpa publicamente com os que se sentiram constrangidos com a comunicação, além de reforçar que respeita, admira e defende a igualdade de gêneros e, por isso, retirou os posts do ar”.

3 – Skol – Deixei o não em casa

A Ambev substituiu os cartazes da Skol na campanha “Viva Redondo”, depois da campanha receber várias críticas de machismo nas redes sociais. As pessoas ficaram indignadas ao ver a mensagem “deixei o não em casa”, e afirmavam que essa campanha faziam incentivo ao estupro.

Segundo a Ambev, o sentido da campanha era outro, o de não aceitar convites de bons momentos. A marca fez o seguinte pronunciamento: “As peças em questão fazem parte da nossa campanha “Viva RedONdo”, que tem como mote aceitar os convites da vida e aproveitar os bons momentos. No entanto, fomos alertados nas redes sociais que parte de nossa comunicação poderia resultar em um entendimento dúbio. E, por respeito à diversidade de opiniões, substituiremos as frases atuais por mensagens mais claras e positivas, que transmitam o mesmo conceito. Repudiamos todo e qualquer ato de violência seja física ou emocional e reiteramos o nosso compromisso com o consumo responsável. Agradecemos a todos os comentários.”

4 – Ministério da Justiça – “Bebeu, perdeu”

O Ministério da Justiça tirou do ar ma peça publicitária da campanha “Bebeu, perdeu”, que foi veiculada no Facebook. O problema foi que os internautas acusaram a campanha de machista, e consideraram que a campanha culpabiliza vítimas de assédio e abuso sexual, além de estimular o bullying. Na peça, duas mulheres dão risadas de uma terceira mulher, acompanhada do texto “Bebeu demais e esqueceu o que fez? Seus amigos vão te lembrar por muito tempo”.

Após a postagem causar polêmicas no Facebook, a peça foi apagada da página e foi feita a seguinte retratação: “A campanha ‪#‎BebeuPerdeu‬ é muito mais do que isso. Nós nos equivocamos com a peça. Ela tem o objetivo de conscientizar jovens até 24 anos sobre os malefícios do álcool. Atuamos em políticas públicas em conjunto com a Secretaria de Políticas para a Mulher (SPM) contra a violência doméstica, o feminicídio e outras formas de violência contra a mulher. Pedimos desculpas pelo mal entendido e ao mesmo tempo contamos com a colaboração de todos na campanha.”

5 – Bayer – “Calma amor, não estou filmando isso.mov”

A Bayer tirou do ar uma propaganda premiada em Cannes por ter sido acusada de machismo. No caso, a propaganda era da marca aspirina e dizia o seguinte: “Calma amor, não estou filmando isso.mov”. Algumas pessoas criticaram a campanha, dizendo que fazia referência ao ato sexual gravado sem o consentimento da mulher, influenciando os chamados “pornografia de vingança”, que são quando vídeos íntimos de mulheres são divulgados na internet. A marca relacionou isso a uma “dor de cabeça”, que podia ser aliviada por uma aspirina.

6 – Itaipava – “Verão”

A peça publicitária da Itaipava exibe uma mulher que segura uma cerveja da marca indicando que a cerveja tem 300 ml, na outra mão, ela mostra uma cerveja indicando que tem 350 ml, e nos seios da modelo aparece escrito 600 ml. Logo abaixo, a peça tem a seguinte mensagem: “Faça sua escola”. O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) recomendou que a marca retirasse a peça do ar por considerar que ali existia apelo à sensualidade. E aí, qual a opinião de vocês?

7 – Always – 0% Vazamentos

A intenção da peça publicitária da “Always – 0% Vazamentos” era de reforçar a ideia de que as mulheres são culpadas pelas fotos vazadas, indicando que não tirem fotos íntimas caso não queiram aparecer na internet. Bom, mas a propaganda não foi interpretada dessa maneira, já que querendo ou não ela dá o sentido que fotos vazadas na internet não é responsabilidade dos homens que divulgam esse tipo de conteúdo.

E aí, caros leitores da Fatos Desconhecidos, vocês concordam que todas essas propagandas eram machistas e deveriam sair do ar ou acham que não há nada de ofensivo? Deixei aqui o seu comentário!

Continue in browser
To install tap Add to Home Screen
Add to Home Screen
Fatos Desconhecidos
Adicione o atalho da Fatos na sua home
Install
See this post in...
Fatos Desconhecidos
Chrome
Add Fatos Desconhecidos to Home Screen
Close

For an optimized experience on mobile, add Fatos Desconhecidos shortcut to your mobile device's home screen

1) Press the share button on your browser's menu bar
2) Press 'Add to Home Screen'.