• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

8 mitos e verdades sobre o micro-ondas que precisam ser conhecidos

POR Thamyris Fernandes    EM Ciência e Tecnologia      29/08/14 às 00h17

Poucas pessoas vivem sem um exemplar, mas muitas gente fala mal e cria histórias sobre o micro-ondas e seus malefícios. Ao longo da história, porém, muita coisa foi descoberta sobre esse tipo de forno e, embora a maioria desbanque boa parte dos medos que os usuários apresentam, raros são os que tomam ciência sobre essas informações ou que nelas acreditam.

É por isso que o Fatos Desconhecidos resolveu abordar o assunto e colocar "para fora" mitos e verdades que todos precisam saber sobre esses aparelhos. Confira a lista abaixo e pare de vez de recriminar esse "coitado" que ajuda tanto na cozinha:

1. Origem militar

1

Esse instrumento culinário que quase todo mundo tem em casa hoje em dia foi usado a primeira vez no final da Segunda Grande Guerra, depois do ataque japonês a Pearl Harbor, em 1941. Foi o cientista Percy Spencer que teve a grande ideia de usar as micro-ondas já familiares a ele para auxiliar no cozimento e aquecimento dos alimentos.

A ideia surgiu quando o homem observou que as tais ondas, usadas para detectar a presença de inimigos na fábrica de radares onde trabalhava, acabavam aquecendo um lanche que ele carregava no bolso. Assim, em 1947, surgiu o primeiro forno micro-ondas como o conhecemos.

2. Aquecimento x nutrientes dos alimentos

2

Embora muitos anos tenham se passado desde que a invenção entrou no mercado, o que mais tem por aí é quem veja o aparelho ainda com um pouco de preconceito. Um dos grandes problemas citados por algumas pessoas é o empobrecimento de nutrientes que o forno proporciona à comida. Mas, a bem da verdade, qualquer alimento que receba fortes quantidades de calor tem sua química alterada, incluindo aí a perda de alguns nutrientes; mesmo que esse processo de aquecimento seja proporcionado por outros aparelhos que não sejam o micro-ondas.

Os estudos na área, entretanto, são escassos, fazendo com que muitas informações falsas circulem pela internet. Mas essa perda não acontece de forma instantânea, dependendo assim do tempo de aquecimento a que o alimento ficará exposto. Além disso, há indícios de que as micro-ondas desse tipo de forno sejam capazes até de reter as vitaminas e outras substâncias das comidas.

3. Ondas de radiação e seus problemas

3

Outra história sobre o forno micro-ondas que causa polêmica é sobre suas ondas de radiação. De uma vez por todas: os alimentos não são capazes de absorver as micro-ondas emitidas pelo aparelho.

A única coisa que o forno faz é agitar as moléculas de água presentes na composição da comida, proporcionando seu aquecimento. Mesmo após o desligamento do forno não há problemas com a radiação, uma vez que quando se corta a emissão das ondas, elas desaparecem sem deixar vestígios no objeto aquecido.

4. Radiação externa

4

Outra coisa que todo mundo se preocupa é com a radiação emitida para fora do aparelho durante seu funcionamento. Isso, claro, não passa de mito, pelo menos quando o forno está em boas condições.

Além disso, as ondas que podem escapar do micro-ondas são regulamentadas pelo órgão administrador de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos como "muito abaixo de um nível considerado perigoso para machucar pessoas". Mas se os cuidados que os fabricantes são obrigados a tomar na hora de produzir esse tipo de forno ainda não convencer você da inocência dessa tecnologia, vale se manter afastado do aparelho enquanto ele esquenta algo.

5. Aquecimento desordenado

5

Ao esquentar um alimento, note que ele está inteiro, fechado e girando dentro de uma caixa, que, teoricamente, deveria aquecê-lo por completo. Em vários casos, entretanto, é possível notar que alguns pontos da comida parecem menos quentes, como se não tivessem sido atingidas corretamente pelas ondas de calor. Isso ocorre porque as ondas do aparelho não são homogêneas e sim programadas em intensidades diferentes.

6. O sentido do aquecimento

6

Para quem não sabe, o aquecimento dos alimentos no micro-ondas começa nas camadas mais externas, agitando as primeiras moléculas de água, que movimentam as que vêm imediatamente depois e assim por diante. Isso acontece até que o calor seja recebido pelas demais partes do alimento. Assim, esse estilo de forno não é ideal para aquecer grandes pedaços de carne, por exemplo, porque suas ondas não conseguem penetrar em todo seu interior, deixando áreas frias ou cruas.

7. Vidros, plásticos e metais

7

A segurança do objeto usando dentro do micro-ondas é indicada de acordo como ele age na presença do calor. O vidro se trata, por exemplo, de um material de fácil aquecimento, podendo atingir temperaturas perigosas para ser manuseado com as mãos, correndo o risco até de se partir dentro do aparelho.

O mesmo ocorre com pratos e outros objetos de cerâmica. Já os metais são materiais que não absorvem tanto as micro-ondas emitidas, portanto são considerados mais seguros por aquecerem menos, mas  em alta potência e se permanecer lá dentro por muito tempo, pode ocorrer produzir faíscas, especialmente quando se trata de materiais mais finos.

Os mais indicados, nesse sentido, são mesmo os plásticos e outros materiais especificamente feitos para isso. Normalmente os próprios fabricantes alertam sobre a resistência ou não do material às micro-ondas, fique atento!

8. Aquecimento de líquidos

8

Essa informação pouca gente conhece, mas é preciso divulgar, para que todos fiquem atentos. Isso porque alimentos líquidos, quando aquecidos no micro-ondas, podem explodir, caso sejam movidos bruscamente ou sofram adição de substâncias em pó, como café e achocolatados. Isso porque esses ingredientes fazem com que a formação de bolhas ocorra de forma atrasada e de maneira mais precipitada. Por isso, evite esquentar recipientes que contenham apenas água, adicionando sempre algum objeto como uma colher de madeira, para repartir o calor emitido pelas micro-ondas.

No entanto, com óleos em geral, ocorre exatamente o contrário: ele não esquenta de forma satisfatória, pois suas moléculas não possuem a mesma facilidade de excitação como as de água. Seguindo o mesmo processo, alimentos mais secos também não são muito indicados, sendo preferível optar por outros aparelhos, como as panelas.

Bônus

1

Procedimento

- Aqueça a xícara de café (foto 1) por cerca de um minuto à temperatura alta, em um forno micro-ondas.
- Retire a xícara do forno, coloque imediatamente a colher e mexa, o que acontece?

 

ATENÇÃO! É indispensável o uso das luvas durante esse processo, o risco de queimaduras é alto.

A foto acima (foto 2) ilustra o momento em que o café ferve e se derrama todo. Parece mágica, mas não é! A simples adição de uma colher fez todo este estrago. A explicação está no aquecimento irregular de superfícies.

As micro-ondas não penetram profundamente durante o aquecimento, que é feito de forma irregular, em alguns pontos é mais potente que em outros. Assim sendo, algumas partes da xícara se apresentam acima do ponto de ebulição e outras, ainda frias. O que acontece quando se coloca a colher é um precipitado de bolhas decorrentes do aquecimento repentino da parte fria da xícara.

O grande erro está mais no ato de mexer o café, essa ação faz com que o café frio entre em contato com o quente, daí o porquê do aquecimento brusco.

Agora que já se sabe o motivo desse eventual acidente, o professor deve alertar seus alunos com algumas dicas e precauções:

- tome mais cuidado ao aquecer um líquido;
- não insira a colher assim que o retirar do forno;
- espere alguns instantes para esta operação e, só então, deguste seu delicioso cafezinho!

Próxima Matéria
Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+