A mudança climática mudou o eixo da Terra de maneira invisível
Tempo de leitura:2 Minutos, 37 Segundos

A mudança climática mudou o eixo da Terra de maneira invisível

Nosso planeta já tem seu longo período de existência e já passou por várias mudanças. Uma delas, que os pesquisadores consideram uma das mais drásticas, é a mudança climática. Isso vem afetando o mundo de várias maneiras diferentes e talvez caminhe para um ponto onde se torne cada vez mais difícil a nossa existência.

Esses impactos já são tão profundos que, há décadas, a humanidade tem mudado, sem querer, o próprio eixo sobre o qual a Terra gira. Os pesquisadores examinaram em um novo estudo esse fenômeno da deriva polar, onde as localizações geográficas dos polos do planeta derivam com relação ao eixo de rotação da Terra.

É acreditado que esse fenômeno misterioso seja influenciado por uma série de fatores. Incluindo os efeitos da mudança climática. “O derretimento mais rápido do gelo sob o aquecimento global foi a causa mais provável da mudança direcional da deriva polar na década de 1990”, explicou o pesquisador principal, Shanshan Deng, do Instituto de Ciências Geográficas e Pesquisa de Recursos Naturais da China.

Estudo

Nesse novo estudo, Dang e sua equipe analisaram até que ponto as mudanças no armazenamento de água terrestre (TWS) nas últimas décadas contribuíram para a quantidade de derrapagem polar registrada no mesmo período de tempo.

O TWS incluiu mudanças nos níveis de água do planeta que foram resultados do derretimento das geleiras conforme o mundo esquentava. Além das mudanças que foram produzidas pelo bombeamento de água subterrânea de reservatórios subterrâneos.

Essas mudanças são importantes porque elas afetam a distribuição de massa na Terra. E quando está lidando com um objeto girando, a maneira como a massa é distribuída afeta a forma como esse objeto vai girar.

“Isso traz uma evidência interessante para essa questão. Isso mostra o quão forte é essa mudança de massa. È tão grande que pode mudar o eixo da Terra”, disse o cientista climático Vincent Humphrey, da Universidade de Zurique, na Suíça, que não está envolvido no estudo.

Por mais que a deriva polar seja um fenômeno natural que foi observado pelos cientistas por mais de um século, o nível de deriva não é constante. O que evidencia uma mudança direcional pronunciada de oeste para leste e que foi vista pela primeira vez na década de 1990.

Mudança de eixo

Segundo os cálculos dos pesquisadores, o principal fator para essa mudança da deriva polar observada na década de 1990 foi o derretimento do gelo por conta das mudanças climáticas.

“O derretimento mais rápido do gelo sob o aquecimento global foi a causa mais provável da mudança direcional da deriva polar na década de 1990. As outras causas possíveis são a mudança de TWS em regiões não glaciais devido à mudança climática e ao consumo insustentável de água subterrânea para irrigação e outras atividades antropogênicas”, explicaram os pesquisadores.

Até o momento, o grau de mudança do eixo que foi experimentado foi estimado bem pequeno para que os humanos conseguissem percebê-lo na vida diária.  Contudo, os resultados sugerem outro efeito colateral alarmante sobre o uso insustentável dos recursos do planeta. Os rearranjos de massa em uma escala planetária significativa pode afetar de uma forma mensurável as revoluções do mundo em que vivemos.