O zika vírus foi identificado em Abril de 2015 e se tornou a nova dor de cabeça mundial de autoridades de saúde no país. O vírus é transmitido pelo mesmo mosquito que causa a Dengue, o Aedes aegypti.

Uma pessoa atingida pela picada do mosquito desenvolve febre intermitente, coceira, dor nos músculos, vermelhidão nos olhos, náuseas, conjuntivite e erupções na pele.

A diferença do Zika com a dengue é que ele é menos agressivo que a dengue pois desaparece em um prazo de 3 a 7 dias, mas as consequências da infecção são mais complicadas e críticas.

A doença fica encubada no corpo humano pelo período de quatro dias e, em seguida, os sintomas se manifestam. As medidas de prevenção são as mesmas para a dengue, a chikungunya e a febre amarela.

10-1939-F

A pessoa precisa eliminar os focos de água parada nos mais diversos recipientes e lugares abandonados.

E o mais preocupante é a relação que o Ministério da Saúde relatou entre o zika vírus e a microcefalia, onde exames feitos em fetos com microcefalia apontaram que as gestantes que os portavam estavam infectadas. O caso serviu de alerta para todas as gestantes.

Até o ano de 2015, os surtos de vírus ocorreram apenas em regiões da África, Ilhas do Pacífico e Sudeste da Ásia, mas segundo um alerta da Organização Panamericana de Saúde (OPAS), os surtos estão se espalhando e chegando a vários países, assim como os primeiros casos confirmados no Brasil.

A Organização Mundial da Saúde emitiu um alerta avisando que é esperado que o Zika chegue a todos os países das Américas, com exceção do Canadá e o Chile, que são lugares onde os mosquitos que transportam o vírus não moram.

Confira o mapa da contaminação pelo mundo:

Publicidade
continue a leitura

zik-world-map_active_01-22-2016_web

AMERICAS

Barbados
Bolívia
Brasil
Colômbia
Equador
El Salvador
Guiana Francesa

Publicidade
continue a leitura
Guadalupe
Guatemala
Guiana
Haiti
Honduras
Martinique
México
Publicidade
continue a leitura
Panamá
Paraguai
Porto Rico
Saint Martin
Suriname
Venezuela
OCEANIA / ILHAS DO PACÍFICO - Samoa
ÁFRICA - Cabo Verde

O Zika começou a chamar a atenção dos epidemiologistas depois de um surto na ilha de Yap, na Micronésia, que havia infectado 73 por cento da população do local. Depois de atingir a população da região, o Zika veio para a América do Sul em maio de 2015.

A Colômbia registrou mais de 13.500 pessoas infectadas e 560 mulheres grávidas foram infectadas e com caso de microcefalia. Segundo um comunicado em novembro de 2015 da Organização Mundial da Saúde, o nordeste do Brasil já registrou 739 casos de microcefalia, atingindo 9 estados do país. Foram notificados 399 casos de 7 estados.

Publicado em: 26/01/16 16h56