Curiosidades

Alienígenas podem demorar 400 mil anos para fazer contato com a Terra

0

A vida fora da Terra é um assunto que levanta várias discussões. Tendo os alienígenas características como pele verde com cabeças grandes ou não, existem aqueles que acreditam que não estamos sozinhos no espaço e aqueles que acham que vida fora do nosso planeta é totalmente impossível.

Até o momento, não se pode afirmar que alienígenas, de fato, não existem, ao mesmo tempo que sua não existência também não é provada. Por conta disso que muitas pessoas acreditam que esses seres irão fazer contato com a Terra.

No entanto, se essas civilizações alienígenas realmente existem, por que elas não entram em contato com a nossa? Isso é chamado de Paradoxo de Fermi e vem tentado ser respondido por pesquisadores há algum tempo.

Estudo

Vandal

Agora, um novo estudo mostrou que a humanidade pode ter que esperar até 400 mil anos para que esse contato com alienígenas aconteça. Esse estudo foi feito pelos pesquisadores Wenjie Song e He Gao, que estimaram o número de civilizações inteligentes extraterrestres comunicantes (CETIs) que existem no universo através da possibilidade de surgir um planeta rochoso habitável e no estágio que estaria sua estrela hospedeira.

Depois que isso foi feito, eles criaram nove cenários diferentes em que essas CETIs variaram entre raras, cerca de 110 em toda Via Láctea, e comuns, na casa de cerca de 43 mil. Ao final, os pesquisadores fizeram a estimativa de quanto tempo uma civilização alienígena comunicadora teria que sobreviver antes de receber o sinal de outra. Como resultado, no cenário mais raro, esse tempo era de 400 mil anos, enquanto que no cenário mais comum o tempo era aproximadamente dois mil anos.

“A razão pela qual não recebemos um sinal pode ser porque o tempo de vida da comunicação humana não é suficientemente longo no momento”, diz um trecho do estudo.

Contato

UOL

Outro ponto levantado foi que o tempo de vida de uma civilização comunicadora é limitado por ela mesma e por fatores externos, como por exemplo, questões populacionais, aniquilação nuclear, mudanças climáticas repentinas, cometas invasores e mudanças ecológicas. Por conta de tudo isso, os humanos podem nem chegar a receber esse sinal de alienígenas antes de serem extintos.

Como essa possibilidade de contato alienígena é uma coisa que intriga praticamente todo mundo, não é de se espantar que existam vários estudos sobre isso. Tanto é que outros estudos probabilísticos sobre o Paradoxo de Fermi sugerem que as buscas por outras civilizações fora da Terra ainda são bastante limitadas.

Até porque, para que alguém recebesse um sinal enviado do nosso planeta, eles precisariam estar relativamente perto de nós. Contudo, os pesquisadores dizem que existem várias incertezas a respeito dessa probabilidade e CETIs podem acabar sendo encontradas mais cedo ou mais tarde.

Alienígenas

Terra

Esse estudo mostra que o contato poderia levar milhares de anos por não se saber quantas civilizações existem. E mesmo que não se possa provar que alienígenas existam, um cientista espanhol anunciou que desenvolveu um cálculo matemático capaz de indicar quantas civilizações alienígenas existem na galáxia. Contudo, alguns especialistas dizem que essa descoberta pode atrair formas de vida hostis.

Tanto é que, vários anos atrás, o físico Stephen Hawking disse que as tecnologias de comunicação com alienígenas podem ter resultados perigosos. Isso porque essas tecnologias iriam deixar a localização da Terra exposta, colocando em risco a segurança dos humanos e de todos os outros seres vivos do nosso planeta.

Mesmo assim, isso não impediu que Alberto Caballero, doutorando da Universidade de Vigo, na Espanha, tenha criado o seu cálculo. Nele, o pesquisador elaborou estimativas que apontaram para a existência de até 15.785 civilizações diferentes na Via Láctea. Dentre esse número, algumas podem representar uma ameaça para a Terra.

O estudo feito por Caballero partiu de uma análise do famoso “WOW!”, forte sinal de rádio detectado em 1977 por um radiotelescópio dos Estados Unidos usado para tentar identificar vidas alienígenas.

Como resultado, ele concluiu que a probabilidade de alienígenas hostis atacarem nosso planeta é bem baixa. “A chance de invasão extraterrestre no planeta caso entremos em contato com eles é cerca de duas ordens de magnitude menor do que a probabilidade de uma colisão de asteroides aqui”, explicou ele.
“Uma civilização alienígena pode ter um cérebro com uma composição química diferente e pode não ter empatia. Talvez eles sejam dotados de comportamentos psicopatológicos. Apesar das limitações, esta teoria foi o caminho que encontrei para o estudo, já que não temos informações suficientes sobre como os alienígenas pensam”, concluiu Cabellero.

Fonte: Olhar digital, UOL

Imagens: Vandal, UOL, Terra

Você gosta de banho quente? Veja o que a ciência fala sobre esse hábito

Artigo anterior

Por que lavar o arroz é errado? E o que fazer?

Próximo artigo