CuriosidadesHistória

Arqueólogo amador encontra xingamento escrito em pedra há 1700 anos

0

Alguém tinha sérios problemas com Secundinus. Nessa semana, um arqueólogo voluntário achou um xingamento escrito em uma pedra na trincheira de Vindolanda, Inglaterra. Basicamente, o recado diz: “SECVNDINVS CACOR”.

Em português simples e suave, o autor do recado disse: “Secundinus, filho de uma mulher que presta serviços sexuais em troca de dinheiro”. As palavras foram escritas há 1.700 anos, e ao lado delas, há um pênis desenhado.

Fonte: VINDOLANDA CHARITABLE TRUST

Que nunca xingou que escreva na primeira pedra

Depois de se aposentar como bioquímico, Dylan Herbert resolveu passar o tempo se dedicando a um outra paixão sua: a arqueologia. Sendo assim, ele atua como voluntário no Patrimônio Mundial Muralha de Adriano, nome em homenagem ao imperador romano que ordenou a construção Públio Élio Trajano Adriano.

O forte fica no norte da Inglaterra, bem perto da fronteira com a Escócia. Em resumo, a estrutura antiga consiste em trincheiras feitas com pedras e madeiras, com erguimento durante o período em que os romanos dominavam a área.

Nesse sentido, Dylan anda por ali enquanto presta serviços de voluntário ao sítio arqueológico. Ao longo desse percurso, ele começou a se incomodar com uma pedra que obstruía a passagem nas trilhas do local.

Dessa forma, Dylan Herbert pediu permissão à administração do sítio para remover a rocha. “Essa pedra estava atrapalhando meu caminho, fiquei feliz quando me disseram que poderia tirá-la da trincheira”, conta o bioquímico ao Daily Mail.

Fonte: AFP

No entanto, o que parecia uma tarefa braçal e mecânica se tornou uma grande descoberta da arqueologia. “Na parte de trás, parecia com todas as outras, uma pedra muito comum, mas quando a virei, fiquei surpreso ao ver algumas letras claras”.

Foi então que o arqueólogo amador limpou a lama e desvendou o que estava escrito na pedra. Além disso, vale lembrar que havia o desenho de um pênis ao lado da mensagem para Secundinus. Portanto, percebe-se um empenho gigante do emissor para deixar uma ofensa a este sujeito.

“Seu autor tinha um grande problema com Secundinus e estava confiante o suficiente para anunciar seus pensamentos publicamente em uma pedra”, diz Andrew Birley, CEO da instituição que gerencia o sítio arqueológico.

Muralhas de Adriano

Como já é de conhecimento comum, os romanos expandiram seu territórios a níveis inimagináveis, formando um verdadeiro império. Como consequência disso, uma série de tribos e povos perderam suas terras, e assim, tinham um rancor enorme de Roma.

Portanto, havia muita gente querendo derrubar a força imperial que partiu do sul da Itália e conquistou quase toda a Europa. Nesse sentido, o imperador Adriano percebeu algo que seus antecessores não haviam se dado conta: era preciso cessar a expansão militar e se dedicar a proteger o que já se dominou.

Fonte: English Heritage

Sendo assim, no século II d.C, o líder ordenou a construção de uma muralha no norte da Inglaterra. Com isso, o Império Romano estaria protegido de invasões vindas de povos da Escócia ou de qualquer exército que quisesse usar aquela rota para adentrar nos domínios de Roma.

Logo, cada soldado romano recebeu a missão de juntar pedras e madeiras, a fim de deixarem prontas as suas partes na muralha. Além disso, o paredão contava com a presença de torres de observação e quartéis dedicados a abrigar as tropas. A inauguração se deu no ano de 126 d.C, quando o trabalho dos soldados resultou em uma muralha de pedra com 4,5 metros de altura e 2,5 metros de largura.

Na parte de cima da estrutura, existia uma espécie de estrada que percorria os 118 km de comprimento do paredão. Dessa forma, além da proteção militar, a Muralha de Adriano serviu como um canal de comunicação e transporte do Império Romano.

Fonte: R7, Infoescola.

A emocionante trajetória de Val Kilmer, astro de “Top Gun”

Matéria anterior

Casal esquece câmera ligada em evento da sinagoga e aparece em relações íntimas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos