Ciência e Tecnologia

Banco Central do Brasil libera Pix Saque e Pix Troco para a utilização

0

Foi liberado nesta segunda-feira (29/11) duas novas modalidades do Pix. Com a nova atualização é permitido, agora, que o usuário faça saques em locais que não sejam caixas eletrônicos e utilize o Pix como forma de troco.

De acordo com informações repassadas pelo Banco Central (BC), as modalidades Pix Saque e Pix Troco são ferramentas opcionais, a decisão final de adesão vem por parte dos estabelecimentos comerciais, empresas proprietárias de redes de autoatendimento e instituições financeiras.

Pix Saque e Pix Troco

Esta categoria permite que sejam realizados saques, de qualquer instituição
financeira participante, em qualquer estabelecimento que ofereça o
serviço. Poderão oferecer seu serviço aos clientes e usuários Pix, lojas
comerciais, caixas eletrônicos 24 horas, participantes do Pix através de serviços de autoatendimento próprio.

Para realizar um saque através do Pix, o interessado deve realizar uma
transferência para o agente de saque através de um processo semelhante ao de um Pix convencional, porém, será necessário o uso de um QR Code ou do aplicativo do prestador de serviços.

Não há muitas diferenças entre o Pix Saque e o Pix troco, já que é semelhante a dinâmica das duas modalidades. A diferença básica entre elas é que a efetivação do saque em espécie pode ser feita no momento em que o usuário está realizando uma compra. Caso opte pela retirada do dinheiro no momento da compra, o cliente deve transferir, no momento do pagamento, o valor da sua compra juntamente com o valor que deseja retirar.

Foto: Guilherme Rodrigues | Myphoto Press

Limites e Tarifas

Em relação aos valores limites para a utilização das novas atualizações, foi
informado pelo Banco Central que, inicialmente, o limite diurno será de R$ 500 reais e o noturno (entre as 20h às 06h) de R$ 100 reais. Estes valores têm validade tanto para o saque quanto para o Pix troco.

Todavia, vale destacar que apesar deste ser o limite estipulado pelo BC do Brasil, os estabelecimentos comerciais que aderirem aos novos produtos do Pix possuem a liberdade de trabalhar com valores menores, se julgarem adequado e necessário.

Durante todo o processo de desenvolvimento das novidades, um ponto de
atenção para o Banco Central era a preocupação dos usuários quanto às taxas
de cobrança provenientes da utilização dos novos produtos. Segundo a própria casa da moeda brasileira, não serão cobradas tarifas, por parte da instituição financeira detentora da conta de depósito ou pagamento pré-pago, de pessoas físicas e microempreendedores individuais (as famosas pessoas naturais do mercado).

Entretanto, o limite de uso é de oito transações durante um mês. A partir da nona transação realizada dentro do mês vigente é permitido que as instituições financeiras, ou de pagamento de detentoras da conta do usuário pagador, cobrem uma taxa pela utilização do serviço. Os valores cobrados variam de instituição para instituição.

Nesse sentido, no momento da confirmação da transição, a instituição deve informar ao pagador sobre o valor da tarifa a ser paga. O Banco Central chama a atenção dos usuários quanto à cobrança de tarifas, ressaltando que estas cobranças não devem partir dos agentes de saque.

Essas sobranças serão permitidas a serem feitas apenas pelas instituições financeiras. Outro ponto que foi explicado pelo BC é que os quatro saques tradicionais gratuitos, realizados pelos clientes fora do Pix saque e Pix troco, poderão ser descontados da franquia de saques livres da cobrança de taxas.

Em outras palavras, o usuário que realizar um saque tradicional de sua conta, aquele sem a utilização dos novos produtos Pix, poderá ter a sua quantidade de saques gratuitos reduzidos. A contabilização do saque tradicional dentro da franquia de gratuidade do Pix Saque e Pix Troco fica à critério de cada instituição financeira optante.

Em relação aos comércios que disponibilizarem o serviço para a população, o
recebimento de tarifas referente às novas operações de Pix Saque e Pix Troco
poderá variar por transação. Os valores da taxa estão entre R$ 0,25 e R$
0,95. Por fim, o montante recebido pela transação dependerá da negociação do estabelecimento comercial com a instituição de relacionamento que atende à empresa.

Fonte: Agência Brasil

Cenas improvisadas que você não fazia ideia

Matéria anterior

Saiba quais são os 10 filmes de maior bilheteria da história do cinema

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos