Curiosidades

Carro automático pega no tranco? Saiba por que essa prática pode acabar mal

0

O carro moderno nasceu em 1886 quando Karl Benz patenteou seu Benz Patent-Motorwagen. E com o passar do tempo, os carros foram ficando cada vez mais modernos e se adaptando às necessidades novas, como por exemplo, o câmbio automático. Ele já é visto há algum tempo nos modelos intermediários e também nos topos de linha.

Mesmo ele estando presente em grande parte dos veículos vendidos no Brasil, muitos dos compradores nunca dirigiram um carro automático antes. Por conta disso, eles precisam se adaptar. Por isso não é incomum ouvir relatos de motoristas que pisam no freio como se fosse a embreagem por conta do hábito.

Essa adaptação acontece rapidamente, mas é claro que os motoristas podem ter dúvidas com relação a essa tecnologia. Uma das mais comuns é com relação à bateria arriada. Será que em um carro automático é possível fazer o motor “pegar no tranco”, como nos manuais, e não estragar a transmissão?

A resposta é sim, é possível. Contudo, essa prática traz riscos com ela. Para fazer um carro automático pegar no tranco, na falta de alternativas melhores, é preciso colocar o seletor no “N” e colocar no “D” ou “2” quando o automóvel chegar a uma velocidade de cerca de 20 quilômetros por hora. Feito isso, o motor deve ligar.

É importante ressaltar que o câmbio nunca deve ser colocado na posição “P” com o carro em movimento, já que isso iria travar as rodas, tendo um grande potencial de causar danos. Quando o motorista coloca no “P”, um pino que trava o eixo que conecta o câmbio ao motor é acionado. Ele pode quebrar, além de estragar outros componentes como o sincronizador.

Prática arriscada

Autopapo

Mesmo que seja possível fazer o motor de um carro automático pegar no tranco, o mais recomendável é que essa prática seja evitada. Isso porque, além dos pontos já ditos, se a correia dentada arrebentar os problemas podem ficar mais complicados.

Essa correia é responsável por sincronizar a abertura e o fechamento das válvulas e pode se romper se já estiver desgastada. E esse risco fica ainda maior se o “tranco” for muito forte.

Quando essa correia arrebenta, as válvulas ficam paradas, mas os pistões continuam em movimento. Por conta disso, o risco de uma ou mais delas acabar sendo atingida pelo pistão e enrolar é bem grande, ainda mais levando em consideração a taxa de compressão elevada vista nos motores de hoje em dia.

Se o motor for a diesel, a possibilidade de estragos é ainda maior, porque a taxa de compressão dele também é maior. Também existe o risco de danos a outras peças, como os pistões e as bielas. Caso isso aconteça, o motorista terá que fazer uma retífica do motor.

É importante ressaltar que esses danos podem acontecer tanto em carros manuais como nos automáticos.

Carro

Canaltech

Como dito, os carros estão sempre se atualizando para o mundo atual e as necessidades dos consumidores. Um exemplo disso é a Toyota, que está preparando uma atualização bem grande para o Corolla, o sedan médio mais vendido do país e o carro mais importante da empresa. As mudanças serão feitas no interior do carro, colocando mais itens tecnológicos, e uma opção nova com um motor híbrido.

De acordo com o Motor1, o Corolla terá um painel digital no cluster digital, uma central multimídia nova, moderna e conectada, e também acontecerá uma evolução no pacote Toyota Safety Sense. Isso fará com que o carro tenha mais recursos de direção.

Dentre os recursos estão: alerta de saída de passageiros, controle de velocidade quando for fazer manobras apertadas, e aprimoramentos dos itens que já são vistos no modelo.

O carro também deve passar por mudanças, mesmo que sutis, no seu visual. De acordo com as imagens, a grade frontal irá mudar e ter um novo desenho. E o conjunto óptico deve ser de LED em todas as versões do carro.

Da mesma forma que foi visto na Europa, o Corolla 2024 irá ganhar uma atualização bem grande na motorização híbrida. Ele continuará tendo uma unidade 1.8 aspirada, mas sua divisão elétrica irá receber melhorias nas baterias de íons de lítio, que serão mais leves e eficientes. Mesmo que a divisão das potências não tenham sido anunciadas, com os dois trabalhando rende 140 cavalos, no modelo da Europa.

Com essa mudança, o Corolla pode não ficar tão rápido como o Honda Civic e:HEV, mas ele continuará bastante econômico, fazendo cerca de 20 quilômetros por litro na gasolina, e 14 quilômetros por litro no etanol. E o carro vai de zero a 100 quilômetros por hora em cerca de nove segundos.

Ainda conforme a Motor1, o Corolla 2024 será lançado em setembro, chegando nas lojas no último trimestre do ano.

Fonte: UOL, Canaltech

Imagens: Autopapo, Canaltech

Quantas vezes o sol deu a volta na Via Láctea?

Artigo anterior

Saiba quais são os transtornos mentais mais comuns na infância e seus sinais

Próximo artigo