Curiosidades

Ciência e gosto musical podem ajudar na escolha de fones de ouvido

0

Se existe uma coisa que acompanha você durante quase todos os dias, e provavelmente só perde para o seu celular, é o seu fone de ouvido. Aquele famoso aparelhinho, que pode custar preços surreais e que te traz tantas alegrias. Basicamente, ele te ajuda a escutar sua música preferida sem que ninguém te atrapalhe na rua.

Em suma, os fones de ouvido costumam ser companheiros para muitas situações. Principalmente aquelas em que queremos escapar do mundo e nos conectar só com nós mesmos. Nesse ínterim, colocamos os fones e o mundo ao nosso redor parece sumir, ou pelo menos, diminuímos o volume das coisas que não queremos ouvir e focamos naquilo que estamos fazendo.

Seja ouvindo música, podcasts, jogando, ou vendo algum conteúdo online, a maior parte das pessoas passa horas da semana usando esse aparelho. Como resultado de ser usado tanto, as pessoas tendem a trocá-los com uma certa frequência. Aliado a isso, existem várias opções. Como saber qual é o certo para você?

Timothy Hsu, músico profissional e professor de tecnologia musical que estuda acústica, estuda essa interseção entre os elementos científicos, artísticos e humanos que são subjetivos ao som. Por isso, para escolher um fone de ouvido certo é preciso envolver todos os aspectos.

Ouvido

https://www.terra.com.br/noticias/o-fone-de-ouvido-ideal-para-cada-atividade,dd774e582bae605cfa70e4fe9c58a25foe4i9ylr.html

Os ouvidos humanos são realmente incríveis. Tanto que, uma pessoa comum pode ouvir uma grande variedade de tons. E também diferentes níveis de volume. Em resumo, o funcionamento do ouvido acontece com o som entrando no ouvido e o tímpano traduzindo as vibrações do ar em vibrações mecânicas dos minúsculos ossos do ouvido médio.

Por sua vez, essas vibrações mecânicas se tornam fluidas no ouvido interno. Assim, os nervos sensíveis as transformam em sinais elétricos que o cérebro interpreta como som.

Embora as pessoas consigam ouvir uma faixa de tons de aproximadamente 20 Hz a 20.000 Hz, a audição humana não responde igualmente bem em todas as frequências.

Isso é um fato que a maioria das pessoas não sabe. Contudo, os engenheiros que fazem os fones de ouvido precisam levar isso em consideração.

Fones de ouvido

https://guiaesperto.com.br/melhor-fone-de-ouvido/

Independente do modelo dos fones de ouvido, eles são pequenos alto-falantes. Ou seja, eles fazem o oposto do que o ouvido faz. Convertendo os sinais elétricos, do celular, computador, toca discos, ou qualquer outro dispositivo, em vibrações no ar.

A maioria dos alto-falantes é feito de quatro componentes. São eles: um ímã para se mover para frente e para trás, uma bobina de fio ao redor desse ímã, um diafragma que empurra o ar e uma suspensão que segura o diafragma.

De forma ideal, esse alto-falante iria converter os sinais elétricos da entrada de forma perfeita em representações sonoras. No entanto, o mundo físico real possui limitações. Com isso, alguns fatores, como o tamanho e o material do ímã e do diafragma, acabam impedindo que o alto-falante combine perfeitamente a saída com a entrada.

Tudo isso irá levar a algumas distorções, o que irá fazer com que algumas frequências sejam mais altas ou mais baixas do que elas são originalmente.

Por mais que nenhum fone de ouvido consiga recriar perfeitamente o sinal, existem infinitas formas de escolher como esse sinal será distorcido. Por isso que dois fones de ouvido que podem ser igualmente caros podem soar diferentes. Isso acontece porque eles distorcem as coisas de formas diferentes.

Na construção dos fones de ouvido, os engenheiros precisam considerar não somente como a audição humana distorce o som, como também as limitações físicas de qualquer alto-falante.

Escolha

https://www.oficinadanet.com.br/headphones/35962-a-nova-geracao-dos-fones-de-ouvido-tws-da-google-se-chamara-pixel-buds-a

Além de todas essas variantes dos fones de ouvido, os próprios usuários tem um papel importante na decisão do que faz com que um deles seja um “bom” par. Fatores como idade, experiência, cultura e preferência de gênero musical mudam o tipo de distorção de frequência que uma pessoa vai preferir.

Desse modo, os fones de ouvido são uma questão de gosto pessoal. Assim como várias outras coisas. Por exemplo, algumas pessoas vão preferir aqueles que tenham graves para músicas hip-hop. Enquanto outras pessoas podem preferir os fones com uma menor distorção, se eles gostam mais de ouvir músicas clássicas.

Portanto, uma maneira de saber se escolheu os fones de ouvido de forma certa é se certificar de que eles correspondem à maneira como a pessoa irá usá-los. Uma dica interessante é que para ter uma maneira infalível de saber se os fones de ouvido são bons, basta escolher uma música e colocar para eles tocarem.

Fonte: Science Alert

Imagens: Terra, Guia Esperto, Oficina Net

As universidades mais deslumbrantes do mundo

Matéria anterior

Os tufões mais destrutivos da história

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos