Cientistas descobrem como apagar memórias usando luz

POR Pietro Bottura    EM Ciência e Tecnologia      11/09/14 às 23h36

Se você já viu "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças", provavelmente já se pegou desejando a invenção que apaga a memória ao término de um relacionamento. Além desse exemplo, temos traumas de infância, a morte de entes queridos, fracassos da vida profissional, problemas de autoestima...E se fosse possível desligar todos esses obstáculos para a tranquilidade, como seria nossa vida?

Graças a pesquisadores da Universidade da California, em San Diego (EUA), essa tecnologia pode estar mais próxima da realidade do que se imagina. Numa experiência conduzida com ratos de laboratório, choques eram dados nas cobaias toda vez que um determinado som era tocado. Após alguma insistência, os animais passavam a ficar paralisados ao ouvir o som, esperando o choque e parando de andar. Pobres ratinhos.

zombie_pinky_and_the_brain_by_x9photography-d385fo6

Entretanto, quando um laser foi usado em pontos específicos dos cérebros desses roedores, as ligações sinápticas responsáveis pelo trauma eram "desligadas", o que os fazia não temer mais o barulho. Acionando novamente o laser, o trauma voltava como se nunca tivesse sumido.

Apesar dos animais serem geneticamente modificados para terem maior vulnerabilidade à luz, esse mesmo efeito é possível em humanos, e é chamado de optogenética. O efeito se dá pelo fato da luz estimular a atividade elétrica onde é direcionada, e esse mecanismo foi observado originalmente em algas, que alteram seu comportamento de acordo com a luz.

O lado bom dessa notícia é imaginar pacientes de Alzheimer e outras disfunções de memória, que poderiam ser curados quase que instantaneamente. Já o lado ruim, se você ainda não fez a associação, é esse aqui:

men in black

Pietro Bottura
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+