Curiosidades

Cientistas mostram quantos objetos interestelares podem visitar o nosso sistema solar

0

Em outubro de 2017, um objeto estranho foi avistado por astrônomos. Os cientistas nomearam o objeto de Oumuamua, que quer dizer “mensageiro de muito longe que chega primeiro” em havaiano. Naquela época, os astrônomos afirmaram que esse é o primeiro visitante interestelar que havia caído na Terra.

Menos de dois anos depois, um segundo objeto foi detectado. Era um cometa interestelar que foi facilmente identificado e chamado de “2I / Borisov”. E o aparecimento desses dois objetos confirmou vários trabalhos teóricos anteriores que concluíram que os objetos interestelares (ISOs) entram de forma regular no nosso sistema solar.

E saber quantas vezes isso acontece tem sido o alvo de várias pesquisas desde que foi descoberto que os ISOs entram em nosso sistema. Segundo um novo estudo liderado por pesquisadores da Iniciativa para Estudos Interestelares  (i4is), aproximadamente sete ISOs entram no nosso sistema solar anualmente. E eles seguem órbitas previsíveis enquanto estão no sistema.

Pesquisa

Objeto1, Fatos Desconhecidos

A pesquisa pode dar a possibilidade de que uma espaçonave seja enviada para se encontrar com um desses objetos em um futuro próximo. Ela foi feita por vários pesquisadores da i4is, que é uma organização sem fins lucrativos dedicada à realização de voos interestelares possíveis em um futuro próximo.

Para fazer esse novo estudo eles se uniram aos pesquisadores do Instituto de Tecnologia da  Flórida, do Instituto de Teoria e Computação de Harvard (ITC), da Universidade do Texas em Austin, da  Universidade Técnica de Munique e do Observatoire de Paris.

O começo de uma revolução na astronomia e no estudo de objetos celestes aconteceu com ‘Oumuamua, em outubro de 2017. Ele não era somente um objeto formado em outro sistema estelar. Sua chegada e detecção implicava na existência de uma grande população desses objetos.

Em 2019, a detecção de 2I / Borisov apenas confirmou o que vários astrônomos já suspeitavam. Ele confirmou que os ISOs entram no nosso sistema solar com uma regularidade bem grande.

“Só provando que eles existem, teve um impacto profundo, criando um campo de estudo quase do nada um campo que as autoridades financiadoras estão apenas começando a reconhecer. Os objetos interestelares nos fornecem a oportunidade de estudar, e no futuro, literalmente toque, exobody décadas antes das primeiras missões possíveis até mesmo para as estrelas mais próximas, como Proxima Centauri”, explicou o autor principal do estudo Marshall Eubanks. Ele também é cientista-chefe da Space Initiatives Inc.  e CEO da  Asteroid Initiatives LLC.

Objetos interestelares

Objeto2, Fatos Desconhecidos

Com essa descoberta, várias propostas de missões que poderiam reunir futuros ISOs que formam detectados no passado no sistema solar. Um desses projetos é a missão Comet Interceptor, da ESA. O objetivo deles é lançar, em 2029, uma espaçonave para encontrar o cometa de longo período.

“Começamos a trabalhar em missões potenciais para objetos interestelares em 2017, logo após a descoberta de ‘Oumuamua. E, inicialmente, focamos em perseguir esse objeto específico, em contraste com  Seligman & Laughlin, que se concentraram em ISOs que podem ser descobertos no futuro. A missão Comet Interceptor cairia em uma categoria semelhante, construir e esperar”, disse Eubanks.

Como os ISOs são formados em outro sistema estelar, o estudo deles pode dar aos cientistas uma visão das condições que estão presentes onde eles foram formados. Estudar os ISOs é a melhor coisa depois do envio de sondas interestelares para os sistemas estelares vizinhos.

O que aconteceu com os membros do grupão pós BBB 21?

Matéria anterior

Uber concede aos motoristas do Reino Unido salário e outros benefícios

Próxima matéria

Você também pode gostar

Mais em Curiosidades

Comentários

Comentários não são permitidos