• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Stranger Things - Conheça o programa governamental que inspirou a série

POR Ana Monteiro    EM Séries e Sagas      04/09/17 às 17h13

Stranger Things conquistou uma legião de fãs quando a série estreou na Netflix ano passado. Entre os vários motivos que fizeram a série se destacar estão as referências a cultura nerd com os protagonistas jogando Dungeons & Dragons, a atmosfera sombria e a inspiração em vários filmes que marcaram a década de oitenta. Além dessas inspirações já confirmadas pelos irmãos Matt e Ross Duffer, eles citaram em uma entrevista que também se pautaram em histórias da Guerra Fria e do Projeto MK-Ultra.

A pequena Eleven é o foco desses aspectos na série: a garota era utilizada em uma série de experimentos secretos e possuía habilidades bastante misteriosas e poderosas. Mas, você sabe o que exatamente é o Projeto MK-Ultra, quais seus objetivos e métodos para alcançá-los?

MK-Ultra

Muitos aspectos sobre o MK-Ultra ainda são um mistério: em 1977, comitês do Senado norteamericano discutiram o que sabiam sobre ele e confirmaram que o projeto havia sido condenado por Jimmy Carter, que presidia os Estados Unidos naquele ano, e que já tinha sido encerrado. Essa polêmica surgiu porque, alguns anos antes, o diretor da CIA, Richard Helms, ordenou que toda a documentação sobre o MK-Ultra fosse destruída, mas sete caixas restaram e tudo o que sabemos sobre esse projeto é por conta das informações contidas nelas.

Inicialmente, a intenção do projeto era examinar como a guerra biológica e química poderia ser utilizada contra os Estados Unidos, mas a pesquisa se expandiu e passou a buscar os limites humanos para descobrir como "quebrar" um humano física e mentalmente, induzir hipnose e até mesmo amnésia. Como aplicação seria possível treinar melhor os agentes e soldados do país e os preparar para resistir a tortura. Quando o projeto terminou em 1964, estima-se que já haviam 86 universidades, 12 hospitais e 185 pesquisadores (incluindo especialistas em narcóticos e toxicologia) envolvidos. A situação começa a ficar estranha quando os civis envolvidos não estavam completamente informados sobre a natureza da pesquisa.

LSD

Após a Segunda Guerra Mundial, os químicos suíços desenvolveram o LSD e até a CIA começar a questionar o potencial de utilizá-lo foi uma breve questão de tempo. Os militares norte-americanos se uniram ao antigo cirurgião de Hitler, Dr. Walter Schreiber, para estabelecer uma base conhecida como Camp King. Em 1948, a maioria das pessoas  lá eram agentes soviéticos que desenvolviam técnicas de interrogatório eficientes para ajudar os soldados norteamericanos a resistir aos poderes de controle mental que a União Soviética supostamente aperfeiçoava.

O LSD entrou nessa história porque começou a ser usado como um soro da verdade para interrogar reféns. Juntando isso e os médicos nazistas recrutados surgiu o projeto MK-Ultra. Entre as experiências com a droga que vieram a tona há o depoimento de Russell Kirk, um ex-prisioneiro que afirmou, numa entrevista em 1983, ter sido administrado com LSD ao ponto de tentar se matar. Nas palavras dele, ele se sentiu muito triste pois sabia que algo de errado estava acontecendo, mas não sabia descobrir o que. Seu desespero foi tanto que ele tentou morder as próprias veias dos pulsos. Existem outras histórias envolvendo o uso dessa substância, como agentes do governo pagando para prostitutas servirem drinks com LSD a seus clientes. George White, o principal agente, chegou a escrever as seguintes palavras "Eu trabalhei de todo o coração nas vinhas porque era divertido, divertido, divertido. Onde mais um menino americano de sangue vermelho mentiria, mataria, trapacearia, roubaria, enganaria, violaria e saquearia com a sanção e a benção do altíssimo? "

Outros experimentos

Administrar LSD em civis não era o único método do MK-Ultra, na verdade existiam 149 programas diferentes em execução. Entre eles haviam oito envolvendo a hipnose (com ou sem o uso de drogas), quatro voltados para uso de truques de magia para operações secretas, nove que estudavam o sono e o impacto da psicoterapia no comportamento humano, três para detecção de mentira, vinte e três que analisavam as maneiras de motivar pessoas e entender desertores, seis para estudar o impacto do uso de drogas no organismo das pessoas, quatro para sabotagem de plantações e três para financiamento. Outros projetos trabalhavam com terapias de choque, pulverizadores a gás e algo chamado técnicas de assédio para uso ofensivo.

Lavagem cerebral

O responsável pelos estudos sobre lavagem cerebral foi o Dr. Ewen Cameron que foi classificado no subprojeto 68 do MK-Ultra. Ele desenvolveu um programa de lavagem cerebral em três passos que, segundo ele, poderia curar doenças mentais pois pessoas com esse tipo de doença precisavam ter suas personalidades completamente quebradas e remontadas. Cerca de 80 pacientes passaram por esse experimento, que chegava a durar 86 dias, e contava com sessões de terapia de choque.

Dr. Cameron afirmava que os pacientes eram levados ao nível de uma criança de quatro anos de idade sendo incapazes de engolir, mas capazes de sugar o líquido de um frasco de alimentação e os chamava de organicamente desorganizados. Essas pessoas passavam para a próxima etapa, a condução psíquica, que consistia em receber drogas paralíticas que os deixavam conscientes e receber várias mensagens simples como "minha mãe nunca gostou de mim" milhares de vezes. Segundo a CBC News, os pacientes que passaram por esses abusos chegaram a receber uma indenização de 100 mil dólares.

Privação sensorial

Os tanques de água salgada que tinham como função potencializar os poderes da mente humana realmente existiram. O neurocientista John C. Lilly os criou em 1954 e até mesmo chegou a utilizá-lo pessoalmente. Seu relato afirma que ele se juntou a um grupo alienígena chamado ECCO, e que ele se deparou com a Inteligência de um Estado Sólido que pretendia destruir a Terra e a humanidade.

Muitas pessoas que passam pela privação sensorial não denunciam ter se encontrado com extraterrestres, mas passam por alucinações terríveis, e crises de paranoia e ansiedade. Se brincar isso é pior do que ver criaturinhas verdes de outro mundo.

Bizarro, não é mesmo? Que outros experimentos do MK-Ultra você tem conhecimento? E o que mais você espera ver na série baseado nessas histórias reais? Deixe sua opinião nos comentários e não se esqueça que a segunda temporada de Stranger Things chega a Netflix no dia 25 de outubro. Já está contando os dias?




Matérias selecionadas especialmente para você

Ana Monteiro
Lok'tar ogar! For the Horde! Cresceu com um Mega Drive, um Super Nintendo e muitos desenhos animados. Jornalista, especialista em cinema, violinista, entusiasta de narrativas de fantasia e presença garantida em mesas de RPG. Muito tsunderismo em apenas 1,54 de altura.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+