Ciência e Tecnologia

Dança das abelhas é usada na comunicação entre robôs

0

As abelhas são conhecidas por terem uma comunicação peculiar. Inclusive, para avisar as companheiras de colmeia sobre a localização das flores com mais néctar, elas executam uma espécie de dança.

A comunicação funciona assim: a abelha se mexe a partir de um ponto, desenhando uma espécie de semicírculo. Logo depois, ela percorre de novo o mesmo trecho reto e volta em outro semicírculo, mas desta vez pelo lado oposto. Ao notar a dança da colega, as outras abelhas conseguem saber a distância, a direção e até a qualidade da fonte de alimento anunciada.

Comunicação entre máquinas

Foto: Irina Tischenko/ Getty Images/ iStockphoto/ VEJA

A linguagem das abelhas despertou o interesse de pesquisadores da área da robótica. Eles se inspiram na técnica para desenvolver um novo tipo de comunicação entre máquinas.

Um primeiro robô traça uma forma no chão e, da mesma forma que as abelhas, a orientação da forma e o tempo para desenhá-la consegue informar para outro robô a direção e a distância.

A técnica pode ser utilizada em situações em que o trabalho do robô é necessário, mas que as comunicações tradicionais por rede não são viáveis, como, por exemplo, em uma zona de desastre ou no espaço. 


Os cientistas desenvolveram um sistema de comunicação visual, que consegue fazer os robôs interpretarem o que veem. Para testar o modelo, eles designaram ao robô uma tarefa simples: mover um pacote em um armazém.

Um humano foi responsável por sinalizar a um “robô mensageiro”, que, em seguida, instruiu um “robô de manejo” a realizar a tarefa. O humano utilizou gestos, como levantar a mão com o punho fechado, para coordenar o mensageiro. Quando reconheceu a mensagem, por meio de sua câmera integrada e rastreamento esquelético, o robô acompanhou o humano com o pacote e transmitiu a informação a outro robô.

Da mesma forma que as abelhas, o mensageiro “desenhou” na frente do robô de manuseio uma forma específica. Nesse teste, a orientação indicava a direção de deslocamento necessária, enquanto o tempo necessário para traçá-la indicava a distância. Os robôs conseguiram interpretar os gestos de maneira certa em 90% das vezes, indicando o potencial do método.

Os pesquisadores destacaram a possibilidade de replicação do método em robôs de diferentes tamanhos e configurações. Isso porque o sistema só precisa de uma câmera simples e dos programas desenvolvidos para o teste. 

Porque devemos evitar o desaparecimento das abelhas

Foto: DieterMeyrl/ Getty Images

“Ainda que não exista organismo mais importante que outro, sendo todos essenciais para ecossistemas saudáveis, as abelhas se destacam pela sua função primordial na manutenção da biodiversidade. Trata-se da polinização”, explica a exploradora da National Geographic Marina Arbetman, doutora em biologia.

De acordo com Arbetman, diferente de outros insetos, tanto as abelhas adultas, quanto suas larvas e pupas, alimentam-se exclusivamente de recursos florais. Para se alimentar, as abelhas visitam diversas flores, colhendo o pólen (fonte de proteína) e o néctar (fonte de carboidratos para elas e de produção do mel nas espécies que o fazem). 

“Este serviço de polinização, de transporte de pólen, permite a fertilização das plantas e sua reprodução. Em algumas espécies de plantas isso é essencial para a sobrevivência. Em outras, principalmente em espécies frutíferas, a polinização também está ligada à qualidade nutricional da fruta”, afirma a exploradora.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, na sigla em inglês), cerca de 85% das plantas com flores presentes nas matas e florestas da natureza, em algum momento, tiveram a ação destes polinizadores em algum momento.

“As abelhas garantem a variação genética tão importante ao desenvolvimento e reprodução das plantas e, com isso, garantem o equilíbrio dos ecossistemas e que existam plantas suficientes para a produção de oxigênio. São ainda consideradas um importante bioindicador da qualidade do meio ambiente”, acrescenta Ana Bueno, bióloga da ONG Bee or not to Be.

As abelhas e a produção de alimento

Foto: Anand Varma/ National Geographic

As abelhas também são importantes na produção de alimentos. Mais de 3/4 das espécies usadas pelo homem na agricultura dependem da polinização para uma produção de qualidade e quantidade significativas. 

“No mundo, estima-se que os serviços ecossistêmicos da polinização correspondam a cerca de 10% do PIB agrícola, representando mais de 200 bilhões de dólares ao ano”, afirma Daniel Malusá, diretor da ONG Bee or not to Be. 

Ainda de acordo com a FAO, 70% das culturas agrícolas dependem dos polinizadores. A polinização das abelhas é essencial para garantir a alta produtividade e a qualidade dos frutos em diversas culturas agrícolas.

Fonte: Superinteressante, National Geographic

Dicas para os jovens escolherem a profissão ideal

Matéria anterior

Cada vez mais filhos cortam laços com pais por saúde mental

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos