Ciência e Tecnologia

Dia 1 de janeiro não é o primeiro dia do ano e os astrônomos te explicam o porquê

0
New Year, calendar date January 1 for background

O ano começou e muita gente já está empolgada com tudo o que pode acontecer ao longo desses novos 365 dias. O momento da virada de ano acontece em 31 de dezembro para o dia 01 de janeiro… No entanto, este é um dia que vem causando certas controvérsias ao redor do mundo. Convencionalmente, gente de todos os quatro cantos do planeta comemora o dia 01 como se fosse realmente o primeiro do ano, mas será que é mesmo?

O calendário adotado por nós é o gregoriano, onde a contagem dos dias, meses e anos começa a partir do 1. Entretanto, existem pesquisadores que acreditam que a contagem do zero é de extrema importância… Algo que pode ser bem estranho para nós, já que somos tão acostumados com a contagem da forma que conhecemos. Mas vamos entender as razões para tal argumento.

A contagem dos dias

É importante mencionar que a passagem de um século pode ocorrer de forma diferente do que você imagina. O ano 2000 não foi o primeiro do século 21, mas sim o ano 2001. Dessa forma, o início de um século sempre será em um ano 01, terminando em um ano 00. Apenas para que você possa se situar, o ano que veio após ao primeiro antes de Cristo (1 a.C.), foi na verdade o primeiro depois de Cristo (1 d.C.). Julgaram mais conveniente não adotar o ano zero. Por este motivo, houve muita confusão na recente passagem de século. Muitos não sabiam que o ano 2000 ainda faria parte do século 20.

Segundo Jorge Núñez de Murga, professor do departamento de Astronomia e Meteorologia da Universidade de Barcelona: “O primeiro dia de 2018 chamaremos de 1 de janeiro, mas tecnicamente não haverá transcorrido um dia inteiro do ano“. Bem, tudo acontece porque não temos o costume de contar o número zero. Por exemplo, na classificação de um concurso você não verá aquele candidato que ficou na posição zero, mesmo que este seja o primeiro número.

A falta dele se deve ao fato de sempre contarmos em forma ordinal, ou seja, hierarquizando uma sequência (primeiro, segundo…). A partir do momento em que houve a necessidade de calcular a passagem do tempo, a presença do dia zero se fez importante. Para resolver o problema, os astrônomos perceberam que o último dia do ano poderia ser utilizado como um bom recurso. Ainda segundo Núñez: “É muito simples… O zero de janeiro é o 31 de dezembro do ano anterior“.

Mas afinal, seria preciso mudar nosso calendário?

Bem, segundo o diretor do Observatório Fabra, na Espanha: “Se todos os meses fossem do dia 0 ao 30, não haveria esse problema“. No entanto, ele salienta que o dia zero é mais um recurso utilizado para os cálculos astronômicos. Dessa forma, no momento de divulgar dados, eles sofrem adaptações para nosso calendário convencional.

O zero será um número que continuará aparecendo em livros técnicos, mas que na verdade não faz tanta diferença para nós. Até porque… Com a atual tecnologia que temos a nossa disposição, até mesmo os computadores podem fazer com que este dia não seja mais tão importante para os astrônomos. Entretanto, Núñes afirma que o conceito ainda existirá. Nosso próximo dia 31 de dezembro de 2018, será o zero de janeiro de 2019 deles.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

10 coisas que só uma pessoa que tem cara séria vai entender

Matéria anterior

7 situações que só quem tem pais separados vai entender

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.