Entenda o motivo da maioria dos objetos celestes serem redondos

POR Natália Pereira    EM Ciência e Tecnologia      02/05/18 às 12h29

Já parou para pensar no por que de praticamente todos os objetos celestes terem uma forma esférica? Se, assim como nós, você ainda não tinha pensado nisso então deve estar tentando analisar todas as possibilidades nesse instante. E, apesar dos asteroides, por exemplo, não terem essa forma definida, os grandes objetos espalhados pelo nosso sistema solar são dessa forma. E, na verdade, existem alguns motivos para isso.

Aparentemente, algumas forças específicas seriam capazes de superar a resistência estrutural da matéria e a transformar em um corpo esférico. Fazendo com que ela passasse de uma simples rocha para uma esfera ou uma forma elipsoidal. E, para falar a verdade, mesmo que não ganhe em números se comparada aos asteroides por aí, essa formação parece começas a se formar em corpos como o de um planeta anão.

O que deixa os objetos celestes esféricos?

Como mencionamos anteriormente, essa formação esférica começa a ser formada em estruturas como a de um planeta anão. E isso se dá, principalmente, por algo que estamos familiarizados desde a época da escola, a gravidade. Os corpos do planeta anão acabaram sendo classificados pela União Astronômica Internacional como tendo um equilíbrio hidrostático e uma auto-gravidade. Esse conjunto seria forte o suficiente para puxá-lo e dar a ele uma forma elíptica.

Resumidamente, para que os objetos celestes possam ter a forma realmente esférica, tudo que eles precisam é de uma gravidade forte o bastante para ir contra a força estrutural da sua matéria corporal. Mas, qual seria o tamanho necessário para que isso fosse possível? Na verdade, quando não se trata de um objeto sólido, isso pode ser realmente simples. Se você para para prestar atenção, até mesmo uma gota de água ganha uma forma circular enquanto caí. Agora, quando este é sólido não é tão simples assim.

Aparentemente, os objetos com corpos grandes o suficiente para serem considerados um planeta anão já possuem a forma mais definida. Ceres, um desses planetas, tem um raio de 473 km e uma gravidade superficial de 0,029 g, que já é o bastante para dar a sua forma. Enquanto isso, o planeta menor Vesta tem 525 km de dimensão e uma gravidade superficial de 0,029 que não é o bastante para dar a sua forma completamente esferoidal. Ou seja, como podê ver, é uma questão de proporção e força. O que acharam?

Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+