• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Esqueleto encontrado está sendo chamado de ''homem-pássaro'' e intriga pesquisadores

POR Cristyele Oliveira    EM Ciência e Tecnologia      07/06/19 às 12h11

Uma sepultura, de aproximadamente 5 mil anos, foi encontrada por arqueólogos na escavação de Ust-Tartas, em Novosibirsk, na Sibéria. Encontrar restos mortais dos povos antigos é comum, o que torna essa descoberta diferente das outras são as características dela. O esqueleto de um homem vestindo um traje repleto de bicos de pássaros e que tem sido chamado pelos arqueólogos de "homem-pássaro". Além disso, encontraram ainda um par de óculos da Idade do Bronze.

Os pesquisadores acreditam que o homem fazia parte da cultura de Odinov, que viveu por volta de 18 a 16 a.C. Esses povos teriam habitado a região da Sibéria Ocidental durante o período conhecido Idade do Bronze. Próximo ao esqueleto, os pesquisadores encontraram ainda outras duas sepulturas, uma com duas crianças e a outra com os restos de um outro homem adulto.

O "homem-pássaro"

Devido as características específicas, os restos mortais encontrados na Sibéria intrigaram os pesquisadores. Isso devido ao fato de o traje conter dezenas de bicos e crânios de pássaros. Sob a cabeça do chamado pelos pesquisadores de "homem-pássaro", estavam cerca de 30 a 50 crânios de aves, e longos bicos.

Já no pescoço, uma espécie de colar unia vários bicos menores. Os pesquisadores acreditam que os bicos faziam parte de um traje de ritual. Também poderia ser um cocar ou parte de uma armadura. "Os objetos foram colocados como se quisessem cobrir o pescoço, como um colarinho", disse a pesquisadora do Instituto de Arqueologia e Etnografia de Novosibirsk, Lidia Kobeleva.

"Enquanto movíamos os ossos na área do pescoço, encontramos bicos de aves deitados de forma a cobrir o pescoço, como um colar. Por isso acreditamos que poderia ter sido parte de uma vestimenta. É difícil chamar isso de armadura, mas era a parte de uma roupa que protegia a pessoa", explicou a pesquisadora em entrevista concedida ao The Siberian Times.

Até agora, a equipe não conseguiu identificar claramente quais espécies de ave eram. Mas devido ao tamanho dos crânios e bicos, acredita-se que eram grandes aves, como garças, por exemplo.

A descoberta

Outro detalhe curioso é os arqueólogos não identificaram ainda como os restos dos pássaros se prendiam um ao outro. Isso porque não foi identificado nenhum tipo de furo ou danificação nos crânios e nos bicos que pudessem se juntar o traje.

Além do "homem-pássaro", foi encontrado naquele local outra sepultura. Nela estavam os restos de duas crianças, de aproximadamente 5 e 10 anos, e ainda o esqueleto de outro homem adulto. No caso do homem, a sepultura era dividida por um pedaço de madeira. Junto aos restos mortais, os pesquisadores encontram uma máscara de bronze estilo óculos e uma espécie de cruz.

Os pesquisadores suspeitam que as pedras polidas, encontradas junto ao corpo do outro homem, faziam parte de algum ritual ou cerimonial religioso. O que indica que esses dois indivíduos poderiam fazer esses rituais juntos, como uma espécie de xamã. "Ambos os homens podem ter desempenhado papéis especiais na sociedade", afirmou Kobeleva.

A descoberta dos quatro esqueletos poderá revelar outros aspectos da cultura de Odinov. Esses povos dominavam a região da Sibéria Ocidental entre 18 e 16 a.C.

Próxima Matéria
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+