Curiosidades

Esse medicamento comum pode salvar sua vida quando você sofrer um infarto

0

É muito importante prestar atenção em sintomas como dores no peito e no braço, que são sintomas comuns de infarto. As dores servem como um alerta para que o auxílio médico seja procurado. Caso tais sintomas apareçam, enquanto não se chega ao hospital, danos ao coração e a morte de alguém podem ser evitados ao ingerir uma medicação muito fácil de se encontrar e que você provavelmente tem em casa, o AAS.

O uso da medicação pode até mesmo evitar a morte da pessoa que pode estar tendo o início de um infarto. Tal condição acontece como consequência de uma oclusão arterial. Quando não recebe sangue, um tecido não irrigado necrosa, o que vem a comprometer o bom funcionamento de nosso coração.

AAS e o infarto

Dois comprimidos de AAS (ácido acetilsalicílico) podem vir a salvar a vida de uma pessoa que possa estar infartando. Essa medicação é comumente administrada para tratar dores de cabeça, febres e cólicas. Além disso, o AAS consegue impedir a união de plaquetas, o que faz com que o sangue possa fluir normalmente.

Dessa forma, a pessoa que esteja passando pelos sintomas do infarto conseguirá mais tempo para que possa chegar ao hospital e receber os cuidados médicos adequados. A forma ideal para ingerir a medicação é, ao invés de tomá-lo com água, como na maioria das vezes fazemos para outras finalidades, o ideal é mastigar os comprimidos.

Isso faz com que se aumente a potencialidade de seus efeitos, permitindo que ele chegue mais rápido à corrente sanguínea. É importante saber que o AAS para casos de suspeita de infarto é utilizado como uma medida emergencial, para que os riscos de morte e danos ao coração sejam minimizados. O acompanhamento médico e a busca por auxilio profissional em um pronto-socorro é imprescindível.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Por que não fazemos contato com as civilizações que são isoladas da civilização?

Matéria anterior

Cientistas descobrem nova parte do cérebro totalmente por acidente

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos