Esse truque promete melhorar sua memória de curto prazo

POR Diogo Quiareli    EM Curiosidades      10/04/18 às 19h04

Esquecer-se de uma coisa importante é algo que odiamos. O pior é quando somos aquelas pessoas que se esquecem quase tudo, até mesmo as coisas que vivemos a pouco tempo. A frase "você se lembra de..." pode ser o maio medo de alguns, justamente por causa da memória ruim. Quem passa por isso, logo pensa em diversas formas de resolver o problema. Embora não tenhamos a fórmula mágica para aumentar sua memória de longo prazo, podemos mostrar alguns truques que auxiliam muito na melhoria da memória em curto prazo. A Fatos Desconhecidos, pensando em cada um dos nossos leitores, resolveu trazer essa dica.

George A. Miller, psicólogo cognitivo da Universidade de Princeton, publicou no ano de 1956 um dos artigos que se tornaria fonte para estudos nesse campo. Suas teorias popularizaram-se tanto que as pessoas possivelmente já ouviram várias sem nem mesmo saber o nome dele. Ele é o famoso autor conhecido como Lei de Miller, esta que afirma que o ser humano médio só é capaz de ter sete elementos em sua memória de curto prazo. Criou também o teste de memória com número.

Melhorar a memória de curto prazo com o número 7

"Meu problema é que eu fui perseguido por um número inteiro. Durante sete anos, este número me seguiu por toda parte, intrometeu-se nos meus dados mais privados, e me atacou das páginas dos nossos periódicos mais públicos... ou é realmente algo incomum sobre o número ou se eu não estou sofrendo de delírios por perseguição", disse Miller. O número inteiro que ele descreveu foi, é claro, o 7. Suas observações o fizeramele concluir que, sem se preocupar com o assunto discutido, a maioria das pessoas só conseguia se lembrar de 7 coisas.

Ele explicou ainda que, se pedisse para as pessoas identificarem tons musicais individuais, a coisa tinha bons resultados quando só tinham dois ou três para escolherem. No entanto, era complicado e começou a causar confusão quando esse número aumentou para 6. A mesma coisa acontecia com listas de palavras. As pessoas eram capazes de lembrar-se de uma lista aleatória em ordem, mas quando chegava na sétima palavra, começavam a ficar confusos. A mesma coisa com dígitos. Milleu descobriu que as pessoas costumavam  a atingir seu limite de precisão por volta do 7.

Como aplicar a teoria para aprender a memorizar?

Miller sugeriu que as pessoas dividissem as informações recebidas em 7 partes. Se você dividir em unidades familiares, pode se lembrar delas como elementos individuais. Um exemplo disso é o número de telefone que tem 9 dígitos, ultrapassando o limite da lei de Miller. Se aplicarmos a sua teoria, conseguiremos inconscientemente lembrar-se de forma mais fácil. Basta separar os dígitos em blocos menores e com fácil memorização. Por exemplo: 91-555-84-63. Desse modo, o número de telefone é dividido em fragmentos com scripts. O mesmo se aplica às frases e etc.

E aí, o que você achou desse método? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos.

Via   Super Curioso  
Imagens Tua Saude
Diogo Quiareli
Geminiano, 24 anos, goiano.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+