Estudo mostra o que acontece no interior de uma cobra quando ela engole um jacaré

POR André Quincas    EM Entretenimento      05/01/16 às 13h39

Sabia que as cobras não mastigam? Elas têm uma mandíbula flexível que abre de acordo com a necessidade. Elas têm também articulações no crânio que as permitem abrir a boca  o suficiente para engolir a presa inteira. Algumas esmagam os ossos das presas antes de as comerem. Outras matam as presas envenenadas antes de as comerem.

A digestão delas é uma atividade pesada. Até porque elas ingerem os animais inteiros. A temperatura do corpo das cobras, que geralmente é fria, sobe 6 graus acima da temperatura ambiente durante a digestão. Quando se veem em situação de ameaça após as refeições, o normal é que elas vomitem a presa para ter agilidade para fugir.

A cobra que mais corresponde a essas características é a Sucuri. Mas ela é conhecida por muitos outros nomes: boiaçu, arigbóia, sucurujuba, boiuna, sucuriú, anaconda, viborão etc. Anaconda é inclusive como ela é designada mais comumente na América do Norte.

Em 1997, Luis Llosa dirigiu o filme Anaconda, que contava a história de um grupo que explorava a Floresta Amazônica para fazer um documentário sobre uma tribo indígena que cruzam com um caçador insano que quer capturar a todo custo uma dessas cobras que podem chegar a 12 metros e engolir uma pessoa inteira - inclusive o filme é cheio dessas cenas.

Em Abril do ano passado, biólogos da Universidade do Alabama realizaram um experimento através do qual monitoraram o processo de digestão de uma phyton que engoliu um jacaré. Todo o processo levou 7 dias e você acompanha a seguir a imagens capturadas por raio x diariamente durante o experimento. Mas primeiro, vejamos a cena da phyton se alimentando:

1º dia

281794D400000578-3058837-Day_1_Scientists_have_taken_x_ray_images_of_a_python_as_it_diges-m-32_1430216606865

O jacaré pode ser visto nitidamente no interior do intestino da cobra. Crânio, troncos, membros e cauda.

2º dia

281794DD00000578-3058837-Day_2_The_soft_tissue_has_been_dissolved_away_and_the_skeleton_i-m-33_1430216616579

No segundo dia, a função metabólica da cobra é latente. Coração, intestino fino, fígado e rins aumentam de proporção para ajudarem o réptil na digestão.

3º dia

281794FB00000578-3058837-Day_3_The_bones_and_scaly_skin_of_the_alligator_are_now_being_di-m-34_1430216625446

No terceiro dia já é possível ver que os tecidos moles do jacaré já foram quebrados e digeridos.

4º dia

2817963800000578-3058837-Day_4_Only_the_hardest_parts_of_the_alligator_remain_and_they_pa-m-37_1430216645826

Ao dilatar seus órgãos, a phyton é capaz de digerir rapidamente sua refeição, antes que essa apodreça dentro dela. No quarto dia só restam a pele dura e o esqueleto do jacaré.

Do 5º dia a diante

281794EE00000578-3058837-Day_5_Just_a_few_fragments_of_the_large_meal_remain_The_python_h-a-39_1430216668708

2817950C00000578-3058837-image-a-41_1430216976530

Todo o jacaré é digerido, restando apenas os compostos que o organismo da cobra não absorve.

Agora que você já sabe que esses animais podem engolir presas maiores do que eles e inteiras, e que ainda por cima levam uma semana para digeri-los, conte-nos o que achou.

 

Via   Daily Mail  
Imagens Daily Mail
André Quincas
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+