Curiosidades

Ex-morador de rua vai processar Instagram por perfil bloqueado

0

Há algum tempo o caso de traição envolvendo o morador de rua, Givaldo Alves de Souza, de 48 anos, e a esposa de um personal trainer ganhou atenção da mídia e teve vários desdobramentos. Um dos fatos foi que o morador de rua, agora ex-morador, virou uma celebridade da internet e parece ter conseguido mudar de vida.

Contudo, nem tudo tem sido suave na vida do ex-morador de rua. Um exemplo disso é que os advogados de Givaldo entraram com uma ação na Justiça depois de a conta principal do ex-morador de rua ter sido banida do Instagram. Quando isso aconteceu, o perfil de Givaldo estava com 477 mil seguidores e era o principal canal usado por ele que, depois de toda polêmica, acabou se tornando influenciador digital.

Embora os advogados do ex-morador de rua tenham entrado com o processo, o valor a ser pedido como indenização para a rede social ainda não foi definido. No entanto, os advogados pretendem estipular um valor em torno de 300 mil reais. De acordo com um representante do ex-morador de rua, Givaldo deixa de ganhar 30 mil reais por semana que seu perfil segue bloqueado no Instagram. Essa quantia se refere somente a publicidades que o homem faz em sua rede social.

Bloqueio

Direito news

O curioso é que o perfil do ex-morador de rua ainda aparece quando é pesquisado no Google, mas ele desapareceu do Instagram no último sábado. Isso aconteceu depois de uma série de ataques que os advogados de Givaldo chamaram de “ciberataques de ativistas”. O Instagram foi procurado, mas a rede social disse que não vai comentar sobre esse caso.

Quando o ex-morador de rua descobriu que o seu perfil tinha sido bloqueado no Instagram, ele publicou um vídeo dizendo que “cabeças vão rolar”. “Aguardem. Já que derrubaram minha conta lá no vizinho [Instagram], vou tirar uma folga até voltar. Podem tentar, mas a gente que viveu nas ruas aprende que cada dia é dia. Força e coragem a todos os que torcem por mim”, disse ele através da sua conta no TikTok.

Redes sociais

O vigilante

Antes mesmo desse bloqueio do Instagram do ex-morador de rua, todas as movimentações nas redes que envolviam a polêmica já tinham virado caso de justiça. Isso porque, em março, a Justiça do Distrito Federal determinou que YouTube, Facebook e Instagram retirassem do ar páginas que difamaram a imagem do casal.

A juíza Josélia Fajardo explicou o motivo da decisão com relação ao YouTube dizendo que “a parte autora pretende que seja determinada a imediata indisponibilização dos canais falsos e dos vídeos contendo conteúdo ofensivo, difamante, ultrajante à honra, imagem e à vida privada dos requerentes, criados na plataforma”.

Caso

Repórter social

Para quem não se lembra, o caso aconteceu em março em Planaltina, no Distrito Federal. A situação foi a seguinte: a mulher de 33 anos teve relação sexual de forma consensual com um morador de rua. Mas o que ela não esperava era que seria surpreendida pelo seu marido.

Quando o personal trainer de 31 anos se deparou com a cena, ele pensou que sua mulher estava sendo estuprada e então agrediu o morador de rua com chutes e socos.

Segundo os áudios da própria mulher, ela explicou como conheceu o morador de rua. Ela disse que quando foi abordada pelo mendigo pedindo dinheiro, disse que não tinha nada para dar a ele. Então, ele pediu para ver a bíblia que ela carregava, um presente do seu marido.

Depois disso, o morador de rua pediu um abraço para a mulher e os dois entraram no carro. O homem começou a fazer carinho no pé da mulher e sugeriu que os dois fossem para outro lugar.

Eles marcaram de se encontrar na rodoviária de Planaltina. Quando estavam na rodoviária, os dois tiveram relações sexuais, com consentimento das duas partes, dentro do carro.

A mulher disse que não tinha bebido bebidas alcoólicas e nem usado drogas. Ela afirmou que viu no morador de rua “imagens do marido e de Deus”. De acordo com o que o marido falou à polícia, sua mulher tem problemas psicológicos.

Depois da briga, tanto o marido quanto o morador de rua ficaram machucados e a mulher em estado de choque. O marido não foi preso. Ele prestou depoimento sobre o ocorrido e foi liberado. Todos os detalhes serão revelados apenas depois do fim da investigação.

Fonte: R7

Imagens: Direito news, O Vigilante, Repórter social

Após polêmica com lei anti LGBTQ+, Disney corre risco de perder benefícios fiscais

Matéria anterior

Ansiedade: crianças se cortam com lâmina de apontador em São Paulo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos