• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Já é possível transformar pensamentos em fala?

POR Bruno Destéfano    EM Ciência e Tecnologia      25/04/19 às 18h56

Os cientistas desenvolveram um implante cerebral com o incrível objetivo de ler a mente das pessoas e... transformar seus pensamentos em fala. Não acredita? A equipe da Universidade da Califórnia, em São Francisco, diz que a descoberta pode ajudar as pessoas que sofrem com doenças que lhes usurpam a capacidade da fala. Em entrevista para a BBC, um dos pesquisadores disse: "Pela primeira vez, este estudo demonstra que podemos gerar frases inteiras com base na atividade cerebral de um indivíduo". Inclusive, especialistas disseram que as descobertas foram de fato convincentes e ofereceram esperança de restaurar a fala. "Esta é uma estimulante prova de princípio de que, com a tecnologia que já está ao nosso alcance, devemos ser capazes de construir um dispositivo que seja clinicamente viável em pacientes com perda de fala.", Prof Edward Chang reforça. Então, se por um acaso alguém te perguntar "já é possível transformar pensamentos em fala?", não pense duas vezes para dizer que há reais estudos em progresso.

A tecnologia de leitura da mente funciona em dois estágios. Primeiro, um eletrodo é implantado no cérebro para captar os sinais elétricos que manobram os lábios, a língua, a caixa de voz e a mandíbula. Então, algoritmos são usados para simular os diferentes movimentos na boca e na garganta. Isso resulta em fala sintetizada, que sai de um "trato vocal virtual".

Benefícios e Limitações

Muitas doenças podem levar à perda de fala, como doença do neurônio motor, lesões cerebrais e câncer de garganta. A equipe diz que pode funcionar em alguns casos patológicos, mas a tecnologia depende das partes do cérebro que controlam os lábios, a língua, a caixa de voz e a mandíbula. Assim, pacientes com alguns tipos de derrame não poderiam se beneficiar do avanço tecnológico. "Esta não é uma solução para todos que não podem se comunicar", diz o professor Chang.

Há também a perspectiva mais distante de ajudar pessoas que nunca falaram, incluindo algumas crianças com paralisia cerebral. Nesse caso, elas aprenderiam a falar com esse tipo de dispositivo.

Durante os testes, os participantes foram orientados a não realizar movimentos específicos da boca. O professor Chang disse que eles foram orientados para a leitura mental de certas frases. "Então é um ato muito natural que o cérebro traduza isso em movimentos em si", explica.

Pensamentos isolados

Literalmente falando, já é possível transformar pensamentos em fala? No momento, ainda é difícil ler a "matéria-prima" dos pensamentos. Ou seja, o que é pensado sem estar de acordo com leituras mentais. "Nós e outros, na verdade, tentamos ver se é realmente possível decodificar apenas pensamentos. E acontece que é um problema muito difícil e desafiador. Essa é apenas uma das razões pelas quais, de muitos, nos concentramos realmente no que as pessoas estão realmente tentando dizer", esclarece Chang.

Alguns cientistas argumentam que há, em voga, um debate ético sobre as tecnologias de interface cérebro-máquina. A partir das discussões, serão definidos os limites da análise e do próprio avanço tecnológico.

No entanto, a professora Sophie Scott, da University College London, lembra: "Este é um trabalho muito interessante de um grande laboratório, mas deve ser notado que ele está em estágios iniciais e ainda não está próximo de aplicações clínicas".

Será que estamos lidando diretamente com o "futuro" que há tanto mencionamos em filmes e livros? O que você acha destes avanços na ciência? Há um limite do que deve ou não ser alcançado?

Próxima Matéria
Via   BBC News  
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+