Notícias

Motorista abandona carro de luxo, tenta fuga com lancha, e é preso pela polícia no mar

0

O quão longe uma pessoa chegaria para tentar uma fuga? Um homem se mostrou muito disposto a conseguir escapar da prisão, tentando até táticas vistas em cenas dramáticas de filmes no estilo James Bond.

O caso aconteceu quando um motorista de um carro de luxo foi preso após abandonar o veículo e tentar uma fuga usando uma lanche em Porto Belo, no Litoral Norte, na última terça-feira (2). De acordo com informações da Polícia Militar, transeuntes abordaram agentes informando que viram um casal brigando próximo ao veículo. Então, foram até o local para averiguar se havia risco. Quando chegaram, o homem teria fugido e deixado uma pistola cair.

Registrou-se a ocorrência por volta das 10h, com a finalização às 13h40. Assim, os agentes se aproximaram do carro e viram uma mulher desacordada no banco traseiro. Para resgatá-la, foi necessário quebrar o vidro do carro. A mulher, que não teve sua identidade revelada, recebeu atendimento e não apresentou ferimentos aparentes.

Segundo o Corpo de Bombeiros, ela faz uso de remédios controlados e não foi capaz de explicar o que aconteceu. Interrogada quanto à arma de fogo que o homem detido deixou cair, ela disse que era dela.

Para localizar o suspeito, que fez a fuga em uma lancha, usaram o helicóptero Águia. Então, ele foi detido por porte ilegal de arma de fogo, violência doméstica e por conduzir uma embarcação sob efeito de substância psicoativa.

Fuga da prisão

prisão

Pixabay


Existe até uma série pautada tendo em conta um plano mirabolante para fugir da prisão. Afinal, quem está preso tende a não gostar muito do ambiente, o que também se aplica ao mundo real.

John Dillinger

Um exemplo é John Herbet Dillinger Jr., que foi um ladrão de banco estadunidense que conseguiu escapar da prisão duas vezes durante sua carreira de criminoso. Assim, depois de assaltar dois bancos, ele foi capturado e preso em Lima, no ano de 1933. Lá, ele fez amizade com criminosos experientes que traficavam armas dentro da prisão e conseguiram escapar apenas quatro dias após a detenção do assaltante.

Desse modo, o grupo voltou à prisão, fingindo ser agentes, e libertaram Dillingir. Passou um ano e ele foi preso novamente, agora enviado ao Crown Point, uma prisão famosa por ser impossível de fugir. Porém, lá, Dillingir fabricou uma arma de fogo usando um pedaço de madeira, fez 17 pessoas de refém e teve uma fuga de sucesso pela segunda vez.

Fuga de Alcatraz

Uma história que chegou a virar filme com Clint Eastwood aconteceu em 1962. Na ocasião, Frank Lee Morris, John Anglin e Clarence Anglin escaparam de Alcatraz no dia 11 de junho de 1962. Assim, o trio conseguiu tal feito ao cavar um buraco no concreto da cela usando uma colher. Além disso, fizeram manequins com papel e cabelo do barbeiro para fingir que estavam em suas celas.

Depois, fizeram um barco com mais de 50 capas de chuva roubadas e navegaram as águas ao redor da prisão. Nunca mais foram vistos, logo, a fuga foi um sucesso.

Os Sete de Texas

Os Sete do Texas armaram uma trama elaborada e fizeram 16 pessoas como reféns, incluindo supervisores, oficiais e três outros presos. Então, eles levaram cartões de crédito, identidades e roupas para poder se encaixar como civis. Quatro deles ficaram para trás para chamar os guardas da prisão para distraí-los. Já o resto deles assumiu a torre de guarda, roubou armas e um caminhão da prisão e todos eles escaparam no veículo.

El Chapo

Uma história mais conhecida é a de El Chapo, líder de cartel de drogas mexicano. Joaquín Guzmán Loera subornou seus guardas e escapou da prisão subindo em um carrinho de lavanderia. Ele foi recapturado em 2014 novamente, mas apenas 17 meses depois, ele escapou por um túnel de 1,6 km construído sob os chuveiros da prisão de segurança máxima, um túnel que tinha iluminação, ventilação e trilhas de motocicletas.

Fonte: G1

Os desafios para a produção de uma vacina universal contra o câncer

Matéria anterior

Comportamento das ‘Bruxas de Salem’ pode ter sido doença

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos