Curiosidades

Mulher criou 2500 personalidades após sofrer abusos do pai

0

Uma mulher foi estuprada e maltratada por seu pai tantas vezes que acabou desenvolvendo 2.500 personalidades para superar o trauma. Jeni Haynes foi assediada por seu pai, Richard, repetida e continuamente entre seus quatro e 14 anos de idade. Por isso, a mulher, que hoje tem 49 anos, desenvolveu múltiplas personalidades. Foi a sua maneira de lidar com o terrível trauma da experiência. No julgamento, que foi realizado em fevereiro deste ano, ela foi autorizada a testemunhar contra seu pai usando várias de suas personalidades, cada uma com suas próprias vozes, memórias e características. Nas filmagens, que foram transmitidas no programa 60 minutes, Haynes relembrou os ambientes em que sofreu as violências. A mulher criou 2500 personalidades após sofrer abusos do pai e conseguiu reverter o cenário caótico a seu favor (felizmente).

A mulher mostrou à polícia o quarto de seu pai: “E foi aí que ele me fez subir até o final da cama e me estuprou”, disse. “Esta é possivelmente uma das salas mais aterrorizantes do universo”. As imagens foram registradas pelos oficiais antes que o pai da vítima fosse acusado de seus crimes.

Maneira de superar os traumas

Jeni Haynes Criou 2500 Personalidades Para Superar Traumas Envolvendo Abuso Sexual 600x484, Fatos Desconhecidos

O abuso foi tão terrível que Jeni Haynes ficou com ferimentos graves e teve que se submeter a cirurgias para reparar seu intestino, cóccix e ânus. Além disso, a fim de enfrentar toda a experiência, a mulher criara muitas personalidades diferentes.

Isso, segundo o psiquiatra George Blair-West, é uma tática desenvolvida em crianças que sofreram intensos traumas psicológicos antes dos 8 anos de idade. Seu “alter ego” inclui, entre outros, uma menina de 4 anos (Symphony), um menino de 11 anos e um adolescente.

Jeni lutou durante anos para levar seu pai para os tribunais, o que lhe permitiu contar sua história de abuso através das vozes de suas muitas personalidades. De acordo com Blair-Oeste, aquelas personalidades “que vivem em diferentes realidades espaço-temporais” são capazes de descrever eventos passados “como se tivessem acontecido ontem”.

Julgamento

Jeni Haynes 600x338, Fatos Desconhecidos

Em fevereiro de 2017, Richard Haynes foi extraditado do Reino Unido para enfrentar um julgamento depois de ser acusado de abusos cometidos contra sua filha por uma década. As acusações eram tão sérias que existia a possibilidade dos relatos afetarem o júri a ponto de fomentar eventuais traumas.

Como vítima de abuso sexual, Jeni Haynes teve a oportunidade de permanecer anônima durante o processo judicial. Entretanto, se ela permanecesse nas “sombras”, seu pai também permaneceria anônimo. Por isso, Haynes tomou a decisão corajosa de tornar a história pública.

Enquanto se preparava para o julgamento, Haynes concordou com sua equipe jurídica sobre como apresentaria suas personalidades durante seu depoimento. Jeni Haynes testemunhou com a personalidade da Symphony por duas horas. Nesse ínterim, seu pai parou mudou a vertente de suas declarações previamente estabelecidas. Richard Haynes se declarou culpado de 25 acusações de estupros acometidos durante as décadas de 1970 e 1980.

Em entrevista ao programa 60 Minutes, Haynes declarou que achava normal ter múltiplas vozes dentro de sua cabeça. “Eu não sabia que você só deveria ter uma personalidade”, disse ela. Literalmente, a mulher criou 2500 personalidades após sofrer abusos do pai. Isso, inclusive, é justificável pela ciência.

Quase 90% dos casos de Transtornos Múltiplos de Personalidade, agora mais comumente referidos como Transtorno Dissociativo de Identidade, envolvem algum tipo de trauma ou abuso. Muitas vezes é pensado como um mecanismo de enfrentamento para as vítimas se desconectarem das situações.

Um especialista em intoxicação alimentar listou 6 alimentos que ele nunca come

Matéria anterior

Cientistas utilizaram ouro para transformar dióxido de carbono em combustíveis líquidos, entenda

Próxima matéria

Você também pode gostar

Mais em Curiosidades

Comentários

Comentários não são permitidos